18 Fev 2017 | domtotal.com

Felizes os convidados

Então, senta aqui comigo e come da minha carne-pão-palavra.

Senta aqui. Vamos conversar.
Senta aqui. Vamos conversar. (Chá comigo.)

Por Gilmar Pereira

Senta aqui. Vamos conversar. Palavra é pão que alimenta a alma. Sabia que quem come do mesmo pão é chamado de companheiro? Quero dividir com você o que me alimenta, a palavra que guardo. Também espero poder comer da sua e por ela ser nutrido. Se dividirmos entre nós, não faltará. Ao contrário, esses pães multiplicarão.

Dou-lhe minha palavra. Ela não designa apenas minha subjetividade, meu corpo também a compõe já que sou (n)ele. Por isso, dou-lhe também meu corpo para que o coma e, desde agora, alimento-me de seus olhos, de seu sorriso, de seu abraço. Receber-lhe e lhe acolher em mim é abrir-me para que você possa compor minhas estruturas mais íntimas, qual nutriente absorvido. Meus olhos terão algo dos seus, como meu sorriso e meu abraço. Se me der sua palavra, ela será minha e você viverá em mim.

Então, senta aqui comigo e come da minha carne-pão-palavra. Eu viverei em você e, se me abrir a porta de sua vida, aí entrarei e farei festa. Você viverá em mim por sua palavra guardada e eu viverei em você. Somos um se nos guardamos, se nos colocamos em guarda um pelo outro, em vigília respeitosa pelo sagrado que se ostenta nesse pão. Quem come do pão do outro, viverá por ele.

Palavra, pão, comunhão e esta mesa para a qual lhe convido farão memorial dessas presenças que se interpenetram. Mas só lhe peço, senta aqui comigo. E faz calar a solidão. E faz calar a angústia. E faz calar o medo. Hoje só quero sua presença (adorável).

Para conversar

Amizade se cultiva à mesa. Não é à toa que o momento da refeição é tido como hora sagrada. Por isso é justo reservar um tempo para se alimentar de presenças boas. Quem quer conversar, costuma encontrar certa dificuldade em encontrar lugares onde se possa ficar à vontade. Um lugar excelente no tumulto de BH é o “Chá comigo”. Como diz a página da casa, trata-se de “Um refúgio sem reserva e sem garçons, mas com muito amor. Chás, cafés, comidinhas, cervejas e vinhos. Wifi, livros, vinil e amigos.”. Com as agitações do dia-a-dia, há de se ter lugares onde se possa descansar. E você? Que lugares indicaria que são espaços onde se pode cultivar a amizade e a intimidade?

Chá comigo - Rua Leopoldina, 634, Belo Horizonte. Site: chacomigobh.com
 

Gilmar Pereira
Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, graduado em Filosofia pelo CES-JF e em Teologia pela FAJE. Apaixonado por arte, cultura, filosofia, religião, psicologia, comunicação, ciências sociais... enfim, um "cara de humanas". Escreve às sextas-feiras.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas