23 Fev 2017 | domtotal.com

Conceitos, palavras e expressões

A inclusão das tecnologias está mudando radicalmente a existência.

A inclusão das tecnologias está mudando radicalmente a existência.
A inclusão das tecnologias está mudando radicalmente a existência.

Por Wagner Dias Ferreira

No século 18 quando a humanidade já virava a página para o século 19 era iniciada uma  enorme estrada, que até hoje percorremos. O movimento dos iluministas que buscavam levar a todos o conhecimento acumulado pela humanidade ao longo de sua existência, visando que todos tivessem acesso ao uso regular desses conhecimentos produzindo novos, a razão como meio de libertação do que antes eram superstições e crendices, conjugado a uma mudança radical na economia, antes de feudos e agora de burgos e ampliação dos meios de produção econômica, bem como ao surgimento de uma legião de homens dissociados da terra, fazem daquele período o campo fértil para as revoluções liberais: Revolução Norte Americana ou Guerra de Independência Norte Americana, a Revolução Francesa e no Brasil a Inconfidência Mineira.

A partir de toda esta movimentação da humanidade é que se começa a utilizar no cotidiano as palavras Democracia, Soberania, Cidadania e a famosa expressão “O poder emana do povo”. Com os séculos, estas palavras, que naquele tempo tiveram força revolucionária, mudando um modo de existir humano, feudal rural para um modo de existir humano urbano protocapitalista fizeram com que o uso comum de tais expressões as enfraquecessem.

Há hoje uma nova e pujante mudança no modo de existir humano. A inclusão das tecnologias está mudando radicalmente a existência.

Em tempos feudais a dificuldade de locomoção e comunicação bem como a falta de informação abria um espaço enorme para as imaginações onde habitavam as crendices e superstições. Assim os iluministas eram uma janela para um universo de realidade libertadora.

 Hoje as tecnologias são a janela para a realidade libertadora da humanidade. Com um pequeno aparelho nas mãos uma pessoa de área rural pode interagir em tempo real com alguém na 5ª Avenida de Nova York, via de regra tratando de frivolidades, como se estivessem conversando pessoalmente sobre a briga dos vizinhos ontem.

 Daí acontece um atentado em Paris ou na Turquia e se recebe a comunicação instantânea no celular. Promovendo mundialmente uma comoção geral, pessoas se constrangem como que participando do velório de um parente próximo. A semente de um sentimento humanitário está lançada.

É bem verdade que para a semente brotar e frutificar há aspectos que precisam morrer e desaparecer. Mas por hora é preciso festejar a semente humanitária. Este sentimento real de união entre todos os homens que é incipiente mas pode se tornar forte como aquelas ideias iluministas do século 18.

Neste contexto é que surgem palavras e se reelaboram conceitos que hoje proclamamos sem observar a robustes de tais palavras. É aí que surgirão novas perspectivas revolucionárias para a reelaboração de conceitos, palavras e expressões cunhadas no século 18 mas que até hoje se encontram nos textos constitucionais.

Um dos artigos da Constituição da República Federativa do Brasil diz que ela é  formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, e ainda que esta união constitui-se em Estado Democrático de Direito, tendo como fundamentos: soberania, cidadania, a dignidade da pessoa humana, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e pluralismo político.

O artigo primeiro da Constituição que traz estas palavras, conceitos e expressões registrou em seu parágrafo único a proclamação máxima de que “todo poder emana do povo”.

Muitas palavras, conceitos e expressões que exigem atenção especial a cada uma. Porém, lidas hoje em contexto de tecnologias e ambientes virtuais clamam por novas significações e aplicações, que só podem emergir de novos  questionamentos, desejos e ações humanas.

Wagner Dias Ferreira
Advogado e membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB/MG
Comentários
+ Artigos
Mais Lidas
Instituições Conveniadas