09 Mar 2017 | domtotal.com

O inacreditável Barcelona e o real Murici-AL


No mesmo dia da vitória épica do Barcelona, Cruzeiro visitou o Murici-AL
No mesmo dia da vitória épica do Barcelona, Cruzeiro visitou o Murici-AL

Por Rômulo Ávila

São quase 14 horas desta quinta-feira, 9 de março de 2017, e eu ainda me pego revendo vídeos da maior virada que já vi no futebol mundial. Mesmo por se tratar de um dos melhores times do mundo, é difícil acreditar naquele 6 a 1 do Barcelona sobre o PSG, nessa quarta-feira. Viradas épicas são frequentes no futebol, mas daquela maneira eu nunca tinha visto e tenho quase certeza que não viverei o suficiente para testemunhar algo parecido novamente. 

Acho que por isso estou em um estado de incredulidade, sem saber definir o que é possível e impossível quando o assunto é futebol, mais precisamente o Barcelona, do craque Neymar e tantos outros. Talvez por isso já perdi as contas de quantas vezes revi os gols e a ensandecida comemoração de jogadores, torcida e todos que presenciaram algo sem precedentes na história do futebol.

Se o juiz errou na marcação dos dois pênaltis ou não é outra história. Até acho que o espetacular Luis Alberto Suárez Díaz cavou o pênalti e o juiz embarcou. Mas quer saber? A 'remontada' do Barcelona tinha e iria acontecer de qualquer maneira. O futebol agradece. Queria escrever muito mais sobre a melhor virada de todos os tempos, mas caio na real e lembro do Murici, de Alagoas.  

É um choque de realidade necessário. Adversário do Cruzeiro na Copa do Brasil, o Murici vive o auge de sua história por conseguir chegar tão longe na competição mais democrática do injusto futebol brasileiro. Apesar disso, foi o estádio José Gomes da Costa que ganhou destaque no noticiário esportivo. Para muitos, é um absurdo o poderoso Cruzeiro (ou qualquer time da elite) jogar em um estádio sem estrutura e com o gramado péssimo. 

Fico me perguntando em qual mundo vivem certas pessoas. O Murici-AL representa muito mais a realidade do futebol nacional do que qualquer outro time da elite. Virar as costas para isso é ignorar a condição vivida por 82,40% dos jogadores brasileiros.Dados da CBF mostram que 23.238 dos 28.203 atletas profissionais recebem até R$ 1.000 por mês. O percentual de jogadores com salário acima de R$ 50 mil mensais não chega a 1%. 

O Brasil tem 900 clubes profissionais - Federação Nacional de Atletas Profissionais de Futebol (FENAPAF) . Cruzeiro, Atlético, Flamengo e os demais considerados grandes fazem parte da minoria. A realidade está em times como o Murici, responsavel por empregar milhares de jogadores e movimentar o futebol pelo interior do Brasil. 

A verdade é que muitos colegas de imprensa comem ovo e arrotam caviar... ou melhor, dormem pensando no Camp Nou e acordam no  José Gomes da Costa. É como se a elite não pudesse frequentar a ‘casa grande’! 

Rômulo Ávila
É jornalista formado pela Newton Paiva. Foi repórter esportivo durante dois anos do extinto Diário da Tarde (tradicional periódico de BH fechado pelos Associados Minas em julho de 2007). Atualmente é repórter do Portal DomTotal. Antes de cursar comunicação, foi jogador de futebol profissional. Começou no Villa Nova-MG e passou pelo futebol paulista e nordestino.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas