19 Abr 2017 | domtotal.com

É preciso falar sobre suicídio

Se por um lado a série agradou um público, por outro, ela vem gerando uma grande polêmica.

Estar diante de 13 Reasons é como estar de fato próximo a uma pessoa que sofre com transtornos mentais, cuja causa é o bullying.
Estar diante de 13 Reasons é como estar de fato próximo a uma pessoa que sofre com transtornos mentais, cuja causa é o bullying. (Divulgação)

Por Charles Mascarenhas

Ultimamente muito se tem comentado nas redes sociais sobre o tema suicídio. E a série americana 13 Reasons Why (Netflix) é uma das responsáveis pelo assunto que virou polêmica.

Produzida pela cantora Selena Gomez e Tom McCarthy (diretor de Spotlight), a série 13 Reasons Why é baseada no romance homônimo do escritor americano, Jay Asher, e conta a história da jovem Hannah Baker (Katherine Langford), que aos 17 anos tirou a própria vida, depois de ser vítima de bullying na escola em que estudava.

Dividida em treze episódios, 13 Reasons... vai revelando a cada sequência um motivo pelo qual Hannah Baker se matou, e quem narra tudo é a própria personagem, Hannah. Ela havia deixado uma série de fitas cassete (13), nas quais estão os relatos de bullying que sofreu, e todos os que contribuíram para sua morte, deveriam ouvir os áudios, para terem ciência de suas respectivas culpas. Ela diz: “Talvez eu nunca saiba por que vocês fizeram o que fizeram. Mas eu posso fazê-los sentir como foi”.

E todos sentem. Os áudios mexem com o psicológico de quem os ouve. Porém, Clay Jensen (Dylan Minnete), colega de classe e de trabalho, é o mais atingido emocionalmente. Entre uma fita cassete e outra, ele vivencia por flashbacks os horrores que Hannah sofria na pele.

Se por um lado a série agradou um público, tanto pela autoidentificação, quanto por sua narrativa, por outro, ela vem gerando uma grande polêmica por romantizar o suicídio, e por ser repleta de gatilhos para uma pessoa depressiva.

Estar diante de 13 Reasons... é como estar de fato próximo a uma pessoa que sofre com transtornos mentais, cuja causa é o bullying. O mais deprimente ainda é ver a personagem definhando enquanto os colegas a hostilizam.

Vale lembrar, que a história de Hannah é apenas um recorte do que acontece na vida real. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano cerca de 800 mil pessoas cometem suicídio, e isso se deve ao fato delas perderem o sentido existencial.
A repercussão que 13 Reasons Why têm tomado pode ser visto como uma oportunidade para se discutir sobre o suicídio, tema que ainda é um tabu para a sociedade.

Leia também:

Suicídio ao vivo com som estéreo

Clique aqui e confira o trailer!

Charles Mascarenhas
Charles Mascarenhas é estudante de Comunicação Social em Cinema pela Puc-Minas, onde tem se dedicado à pesquisa sobre cinema.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas