25 Ago 2017 | domtotal.com

Motivo para ser um voluntário

Ninguém dá o que não possui. Para se doar, há de se buscar a própria fonte, aquilo que há em si mesmo e que é fonte de vida.

The Street Store é um movimento que acontece em diversas partes do mundo.
The Street Store é um movimento que acontece em diversas partes do mundo. (The Street Store)

Por Gilmar Pereira

Às vezes se tem vontade de comer, mas não se tem fome. Outras vezes se tem fome, mas não vontade de comer. Entre o desejo e a vontade parece que há uma cisão. A vontade assemelha-se a um ímpeto que determina o querer. Ainda que se queira algo, sem a vontade nada é feito.

Jonh Locke a definia como "o poder de começar ou não começar, continuar ou interromper certas ações do nosso espírito, ou certos movimentos do nosso corpo, simplesmente com um pensamento ou com a preferência do próprio espírito". Nesse sentido, a ausência de vontade seria uma total apatia, quase uma morbidez. É diferente ter vontade de nada fazer do que não ter vontade. Se no primeiro caso há uma escolha e uma disposição, no segundo não há nada. Talvez por isso possamos definir a vontade como um impulso de vida. Uma pessoa sem vontade é uma pessoa morta.

Para Schopenhauer vontade e vida se equivalem. Segundo o filósofo "o que a vontade sempre quer é a vida, justamente porque esta é apenas o manifestar-se da vontade na representação, e é simples pleonasmo dizer vontade de viver em vez de vontade". Toda vontade é um impulso de vida e para ela se ordena.

É interessante notar a relação entre vida e vontade quando se fala de voluntariado. Isso porque um voluntário é alguém que se dispõe a algum serviço por vontade própria. Ou melhor, é alguém que aplica sua vida em favor de alguma causa. Aí está o cerne da experiência de voluntariado, no transbordar de vida.

Aliás, ninguém dá o que não possui. Para se doar em qualquer espécie de voluntariado, há de se buscar a própria fonte, aquilo que há em si mesmo e que é fonte de vida. Quem encontra o próprio manancial pode dele beber e dar dele também aos outros. É daí que brotam as próprias qualidades, dons, talentos. A fonte de cada um é a instância da própria profundidade e segundo a qual se pode ser o melhor de si. As ações pessoais podem brotar das próprias feridas, das mágoas, rancores e traumas que compõem a própria história, ou da própria fonte.  Tudo depende daquilo com o que cada qual se conecta, com o que lhe dói ou com o melhor de si.

Na busca por doar-se, o voluntário tem a possibilidade de encontrar com a própria fonte e experimentar-se novo. A partir daí irá se deparar com a força que não sabia que tinha e, mesmo que se esvaziando em favor de outro, sentir-se-á plenamente vivo. Voluntário é quem vive com vontade e leva a outros a terem vontade de viver.

Solidariedade

Nem sempre se consegue tempo hábil e constante para se dedicar de modo permanente a algum tipo de voluntariado, o que não impede de se fazer o bem na medida do próprio possível. Uma dessas possibilidade está na doação de roupas masculinas, femininas, calçados e acessórios para o 8º The Street Store BH. O evento voltado para o atendimento à população em situação de rua e à população carente, terá sua oitava edição realizada no dia 26 de agosto, das 10h às 14h, na Praça Afonso Arinos, localizada no Centro de Belo Horizonte. Além da disponibilização de roupas e acessórios, o projeto também terá uma praça de alimentação para as pessoas em situação de rua, com café da manhã e lanches ao longo do dia. Os locais para doações e outras informações na página do evento no Facebook.

Uma oportunidade de se divertir e ainda fazer o bem está na Fora de Série - Feira Mix, que acontece no dia 26 de agosto na Concessionária Recreio (Avenida Barão Homem de Melo, 3535, Estoril), às 10h, com entrada é gratuita. O evento contará com produtos de arte, moda, decoração e gastronomia, encontro de carros antigos, além de Food Trucks e Food Bikes. A cada edição do evento, uma instituição de caridade é beneficiada. Desta vez será a ong LACRE DO BEM, idealizada pela Julia Macedo quando tinha apenas 9 anos, hoje com 13 anos e consiste em arrecadar lacres de latinhas de alumínio. E todos podem ajudar, a feira receberá doações durante todo funcionamento. Com os recursos arrecadados com a venda desses lacres, são adquiridas cadeiras de rodas que são doadas para pessoas carentes, creches e outras instituições. É necessário o equivalente a 140 garrafas de 2 litros (105 quilos de lacres) para adquirir uma cadeira de rodas de uso geral – ou seja, 352.800 mil lacres. Já foram reciclados 13,7 toneladas de lacres de alumínio (46 milhões) e 131 cadeiras de rodas doadas. Informações no Facebook.

 

Gilmar Pereira
Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, graduado em Filosofia pelo CES-JF e em Teologia pela FAJE. Apaixonado por arte, cultura, filosofia, religião, psicologia, comunicação, ciências sociais... enfim, um "cara de humanas". Escreve às sextas-feiras.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas