11 Out 2017 | domtotal.com

O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu

Sim, O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu gerou revolta!

Sim, O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu gerou revolta!
Sim, O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Cu gerou revolta!

Por Charles Mascarenhas

Na porta da Funarte cruzes, flores e fotos de algumas pessoas transgêneros, que morreram somente neste ano de 2017 no Brasil. A performance chamava atenção para o alto indicie de homicídio à comunidade trans e travesti, que não diminui com o passar dos anos, e com o acesso ao conhecimento.

Em frente também ao teatro, alguns cristãos protestavam e oravam. Mas, não era para as pessoas que foram cruelmente assassinadas, e sim, para imporem, num espaço de arte, seus conceitos baseados na própria religião.

Na Funarte, acontecia o monólogo O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu, texto da britânica Jo Clifford, sob direção de Natalia Mallo, no qual a atriz Renata Carvalho reconta, sob sua perspectiva, conhecidas histórias bíblicas como “O Bom Samaritano”, “A semente de mostarda” e “A Mulher Adúltera”, no intuito de fazer um paralelo com a vivência de Jesus Cristo na terra.

Na peça, um cenário simples, mas que remetia a uma igreja. Todos aguardavam a chegada de alguém para dar início a performance, e em alguns minutos uma voz anuncia “Este é o lugar, esta é a hora”. Uma mulher alta, cabelos médios, tomou o centro do palco com sua maleta branca. Estava ali, Jesus (?) de carne e osso, mais uma vez para relatar sua vivencia aqui na terra, porém agora, de uma outra perspectiva, através do olhar de uma mulher transexual, mas com o mesmo objetivo: ilustrar, principalmente, que a compaixão deve ser aplicada a todas as pessoas.

Dezenas, e quem sabe milhares de peças e filmes já retrataram a morte e vida de Jesus Cristo. Todas bem emocionantes e aplaudidas de pé. Aliás, se trata de uma representação de uma pessoa que se dedicou a mostrar o amor de todas as formas, e no final foi crucificado.

Mas, por que a mudança de interprete do personagem pode não comover tanto, e gerar revolta?

Sim, O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu gerou revolta!

Na peça, uma mulher trans vive Jesus, que a propósito não tem intuito de levantar questionamentos sobre sexualidade e gênero do filho de Deus, e sim propor reflexão de que qualquer pessoa pode assumir tal papel, e acima de tudo reiterar os valores cristãos.

Assim como as inúmeras representações e releituras sobre o filho de Deus, O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu é emocionante e busca dialogar com todos os públicos sobre os temas da opressão, intolerância, perdão e aceitação. É muito lamentável que o público que deveria ser atingido ficou para fora do teatro, justamente pelo preconceito.

'O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu' estreou na Escócia em 2009 sob ameaças de censura e de ataque à autora. Desde então, Jo Clifford, que é católica e ativista transgênero, recebeu prêmios como o Scottish Arts Club e LGBT Award.

Charles Mascarenhas
Charles Mascarenhas é estudante de Comunicação Social em Cinema pela Puc-Minas, onde tem se dedicado à pesquisa sobre cinema.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas