26 Dez 2017 | domtotal.com

Fred, a metamorfose ambulante


Por Juliano Paiva

“Estou em casa! Minha família inteira é atleticana”. As palavras são de Fred em uma das suas primeiras entrevistas pouco depois de chegar ao Atlético. Era junho de 2016, com o Campeonato Brasileiro já em andamento, quando o Galo venceu uma difícil disputa com Internacional, Palmeiras e Cruzeiro para ter o atacante que deixava o Fluminense após sete anos.
 
Algo até então inimaginável espantava boa parte do planeta bola: Fred, muito identificado com a Raposa, vestia o preto e branco do Atlético. E, mais do que isso, falava em alto e bom som que toda a família é atleticana.
 
Eis que um ano e meio depois, no último sábado, Fred volta a vestir o azul do Cruzeiro e, num vídeo divulgado pelo clube, diz: “... estou realizando o desejo do meu coração de conseguir voltar para a minha casa”.
 
Qual dos dois é o verdadeiro Fred? Ou será que ambos são o Fred, uma verdadeira metamorfose ambulante?
 
Há quem o defenda dizendo que isso é ser profissional, que não há mal nenhum em vestir a camisa de clubes rivais. Realmente não há! Não há desde que não o faça enganando, mentindo. Fred, então, está longe de ser profissional nesse episódio. Ou ele mentiu quando chegou ao Galo ou mente agora no retorno à Raposa. É uma coisa ou outra. Não tem meio termo.
 
Fred dissimulou na cara dura, sem o menor contrangimento. E está tudo registrado. Na era das redes sociais quase nada escapa aos smartphones. 
 
Durante sua passagem pela Cidade do Galo, Fred declarou seu amor, que hoje se mostra falso, interesseiro, pelo Atlético. “1001 coisas que todo jogador deve fazer antes de morrer: vestir a camisa do Galo! Que torcida é essa! #aquiégalo” dizia em uma postagem no seu Instagram oficial, @fredgol9.
 
Em outra postagem ainda expôs a filha, Júlia, que, segundo Fred (outra mentira?) teria falado sua primeira palavra no dia do seu primeiro título pelo Atlético: Galo! Título que, detalhe, foi conquistado em cima do Cruzeiro, o Campeonato Mineiro deste ano.
 
Essas e todas as outras postagens relacionadas ao Atlético foram apagadas de sua conta. E nessa metamorfose aconteceu algo bizarro no seu Instagram. Por alguns minutos, Fred apareceu vestindo as camisas de Atlético e Cruzeiro ao mesmo tempo. Algo bem simbólico, significativo, que sintetiza bem quem é Frederico Chaves Guedes.

Juliano Paiva
é jornalista formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente editor do Dom Total, Paiva trabalhou nos jornais O Tempo, Hoje em Dia e no extinto Diário da Tarde, tradicional periódico de Belo horizonte fechado pelos Associados Minas em julho de 2007. No DT, começou como repórter da editoria Cidades, mas, na época do fechamento do jornal, fazia cobertura esportiva. Também foi responsável pela cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro para a Folha de São Paulo no segundo semestre de 2007.
+ Artigos
Instituições Conveniadas