09 Jan 2018 | domtotal.com

Sette Câmara sonha com Campeonato Brasileiro, mas só acordará campeão com defesa forte


Iago Maidana terá a difícil missão de tornar a defesa do Atlético forte e confiável.
Iago Maidana terá a difícil missão de tornar a defesa do Atlético forte e confiável. (Bruno Cantini/Atlético-MG)

Por Juliano Paiva

O novo presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, tomou posse mirando justamente a taça mais importante do país: o Campeonato Brasileiro. “De todos os títulos, o que o meu coração atleticano mais gostaria de ter é o título de campeão brasileiro”, disse.  

Mas Brasileirão de pontos corridos só se ganha com defesa forte. Eis o grande problema do mandatário atleticano. Então, se quer mesmo faturar o Nacional, quebrando um tabu de 47 anos, Sette Câmara precisa qualificar a defesa do Galo. Será necessário um elenco que dê opções ao técnico Oswaldo de Oliveira de criar um sistema defensivo que funcione.

E, como todos se lembram, no Brasileirão 2017, a defesa alvinegra definitivamente estava longe de ser confiável. Decepcionou? Muito! O Galo teve a quinta pior defesa com 52 gols sofridos. Para efeito de comparação, o campeão Corinthians sofreu somente 30 gols. E é sempre assim. O time que levanta a taça tem uma defesa forte, consistente. Em 2016, o campeão Palmeiras tomou 32 gols. Em 2015, o Corinthians levou 31. 

Para mudar esse quadro ruim defensivamente, o trabalho no Atlético deve ser incessante. Desde a diretoria que contrata, passando pela comissão técnica que treina e escala, e culminando com dedicação total, tanto tática quanto fisicamente, dos escolhidos para entrar em campo. 

Mas tudo isso deve ser feito a partir de agora, na pré-temporada, usando o Campeonato Mineiro como teste. Iniciado o Brasileiro, a defesa precisa estar encaixada. Parece óbvio, não é mesmo? Mas é comum os clubes brasileiros tentarem “trocar o pneu com o carro em movimento”. 

O primeiro passo foi dado com a contratação de Iago Maidana. O jovem de 21 anos chegou motivado, prometendo dedicação à camisa atleticana. Tão importante quanto isso será repetir no Atlético o bom futebol por onde passou. 

Alto (1,95m), e por isso seguro nas bolas altas, sabe fazer gols e é disciplinarmente confiável, tomando poucos cartões. É o que falam dele. E então? E agora? Maidana disputará posição com Leonardo Silva ou Gabriel? E Erazo? Vai sair? Felipe Santana terá finalmente recuperado sua boa técnica? Bremer e Matheus Mancini, outros jovens, terão chances? E, além de Maidana, chegará mais reforços para o sistema defensivo? Outro zagueiro? Um lateral-direito? 

Muitas perguntas e poucas respostas até o momento. Mas se solucionar essas questões, o Atlético pode voltar a ser campeão brasileiro. 

Juliano Paiva
é jornalista formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente editor do Dom Total, Paiva trabalhou nos jornais O Tempo, Hoje em Dia e no extinto Diário da Tarde, tradicional periódico de Belo horizonte fechado pelos Associados Minas em julho de 2007. No DT, começou como repórter da editoria Cidades, mas, na época do fechamento do jornal, fazia cobertura esportiva. Também foi responsável pela cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro para a Folha de São Paulo no segundo semestre de 2007.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas