19 Fev 2018 | domtotal.com

A luta do Atlético para não 'morrer' cedo em 2018


Atlético vive momento delicado na temporada com indefinição sobre técnico e jogo importante na Copa do Brasil.
Atlético vive momento delicado na temporada com indefinição sobre técnico e jogo importante na Copa do Brasil. (DENIS DIAS / Gazeta Press)

Por Juliano Paiva

A luta do Atlético para não ‘morrer’ cedo em 2018 terá um capítulo importante na quarta-feira. O Galo terá pela frente o Botafogo-PB na segunda fase da Copa do Brasil. Invicto na temporada, mais entrosado e com a torcida do lado em seu estádio.  Eis o rival que pode contribuir para que a atual temporada seja bem curta para o Alvinegro das Minas Gerais. 

Para quem não se lembra, o ano de 2017 terminou para o Atlético no dia 9 de agosto. Campeão mineiro, eliminado da Copa do Brasil pelo Botafogo, sem chances de título no Campeonato Brasileiro, o Galo empatou com o Jorge Wilstermann naquela noite fatídica no Mineirão e deu adeus ao sonho do bicampeonato da Copa Libertadores. 

Em 2018, se o time não reagir, pode ser ainda pior. Com o futebol instável e nada convincente apresentado até o momento, o Atlético não será bicampeão mineiro e corre sério risco de sequer passar pelo Belo, como é conhecido o Botafogo-PB. 

Restariam o Campeonato Brasileiro – que com defesa ruim e elenco limitado, o Atlético terá que se dar por satisfeito se não lutar contra o rebaixamento –, e a Copa Sul-Americana, cujo adversário é o San Lorenzo, nos dias 11 de abril e 8 de maio. 

O 2018 para o atleticano, então, tem boas chances de acabar em 8 de maio, três meses antes do que em 2017. 

Tudo isso devido a um erro fatal de avalição da diretoria no final do ano passado. Sette Câmara, aconselhado por Alexandre Gallo, manteve Oswaldo de Oliveira sem convicção, sem ter certeza, e só fez todos do clube perderem tempo e, talvez, toda a temporada de 2018.

A bola da vez é Thiago Larghi, que ganhou moral após a boa vitória sobre o América-MG. Mas, de novo, está aí sem a menor convicção da diretoria. Tanto é verdade que Abel Braga, Cuca e Carille foram convidados para treinar o time, mas recusaram por motivos diferentes.   

O que me parece é que, mesmo que Largui sobreviva ao Botafogo-PB, ao Cruzeiro, ao Campeonato Mineiro, cairá com duas ou três derrotas no Campeonato Brasileiro. E lá se vai mais uma temporada perdida depois do maior erro de todos: a não renovação com Levir Culpi, lá no fim de 2015. Foi ali que o caldo entornou e tudo começou a dar errado. 

Juliano Paiva
é jornalista formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente editor do Dom Total, Paiva trabalhou nos jornais O Tempo, Hoje em Dia e no extinto Diário da Tarde, tradicional periódico de Belo horizonte fechado pelos Associados Minas em julho de 2007. No DT, começou como repórter da editoria Cidades, mas, na época do fechamento do jornal, fazia cobertura esportiva. Também foi responsável pela cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro para a Folha de São Paulo no segundo semestre de 2007.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas