26 Fev 2018 | domtotal.com

Cruzeiro inicia Libertadores como melhor time brasileiro 


Cruzeiro está pronto para tentar a conquista da Copa Libertadores.
Cruzeiro está pronto para tentar a conquista da Copa Libertadores. (Washington Alves/Light Press)

Por Juliano Paiva

O Cruzeiro inicia nesta terça a caminhada pelo tricampeonato da Copa Libertadores. A Raposa entra na disputa como o melhor time brasileiro da atualidade e forte candidata ao título. Há quem diga que é o badalado Palmeiras com seu elenco milionário. Não, não é. O time do país a ser batido é o celeste. 

E por que? Por um motivo simples. O Cruzeiro está pronto, ajustado e preparado para o torneio continental. O Palmeiras não. A Raposa pensa na Libertadores desde o fim da Copa do Brasil do ano passado, quando foi campeã. Não por acaso manteve Mano Menezes, especialista em mata-mata, como técnico. 

E eis a grande vantagem do Palestra de Minas Gerais em relação ao de São Paulo. Enquanto o Alviverde teve um final de 2017 turbulento com saída de Cuca, técnico interino e contratação de Roger Machado, o Cruzeiro de Mano usou o Campeonato Brasileiro como preparação para a Libertadores. 

A Raposa, portanto, está num estágio superior ao Palmeiras que, neste momento, passa pela fase de adaptação de como Roger Machado gosta que seus times joguem. É sabido que o elenco mais caro do pais não resultou num time competitivo e forte em 2017. O Porco não quer, pelo segundo ano consecutivo, ser lembrado apenas como um amontoado de excelentes atletas. Para tanto, terá que melhorar.  

A Libertadores é longa – só termina em novembro – e muita coisa pode mudar no decorrer da temporada, mas é fato que os outros brasileiros – Grêmio, Flamengo, Santos, Corinthians e Vasco – têm problemas para resolver durante a disputa, o que evidencia um atraso em relação ao time azul. 

Racing, Universidad de Chile e Vasco devem ser as primeiras vítimas.  

Juliano Paiva
é jornalista formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente editor do Dom Total, Paiva trabalhou nos jornais O Tempo, Hoje em Dia e no extinto Diário da Tarde, tradicional periódico de Belo horizonte fechado pelos Associados Minas em julho de 2007. No DT, começou como repórter da editoria Cidades, mas, na época do fechamento do jornal, fazia cobertura esportiva. Também foi responsável pela cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro para a Folha de São Paulo no segundo semestre de 2007.
+ Artigos
Instituições Conveniadas