15 Mar 2018 | domtotal.com

Time do Atlético é um barco à deriva


Pequeno torcedor sofre durante o jogo contra o Figueirense
Pequeno torcedor sofre durante o jogo contra o Figueirense (Bruno Cantini/Atlético)

Por Rômulo Ávila

De onde a diretoria do Atlético tirou a ideia de fazer um time forte e competitivo sem gastar um centavo em contratações?  A receita mágica do bom e barato não funciona no futebol e o primeiro trimestre assombroso do Atlético prova isso: futebol de quinta, time sem identidade e falta completa de personalidade. É o pior time do Atlético dos últimos sete anos.  

O cenário para o futuro é preocupante. Se nada for feito, o Atlético passará aperto para se manter na elite do futebol nacional. Os resultados e o péssimo futebol apresentado até aqui sinalizam isso e servem como alerta. Se a diretoria não percebeu, talvez durante o Brasileirão seja tarde demais. 

Na Copa do Brasil, por exemplo, o Atlético está fazendo hora extra. Por sorte não foi eliminado pelo fraquíssimo Atlético acreano e pelo modesto Figueirense, em partida disputada nessa quarta-feira no Independência que mostrou, mais uma vez, as limitações de um arremedo de time. Contudo, a derrota para o Figueira fica fora da minha avaliação, já que o abatimento emocional em razão da morte repentina do diretor Bebeto de Freitas, na terça-feira, pode ter pesado na atuação irregular dos jogadores.

A verdade no Atlético é somente uma: o time (pelo menos até agora) não vingou e dificilmente vingará. Das contratações para a temporada, apenas Ricardo Oliveira convenceu. Alguns ‘reforços’, como Arouca e Samuel Xavier, somente a diretoria do Atlético acreditava que poderiam dá certo. Outros, como Ròger Guedes e Erik, não conseguiram render tudo que podem. E sem falar que o time não tem treinador, parece um barco à deriva prestes a naufragar.

Os sinais estão claros. É preciso contratar um treinador de peso e reforçar o elenco com pelo menos quatro jogadores de ponta. Para isso é preciso gastar, investir. Não existe milagre no futebol.  

Rômulo Ávila
É jornalista formado pela Newton Paiva. Foi repórter esportivo durante dois anos do extinto Diário da Tarde (tradicional periódico de BH fechado pelos Associados Minas em julho de 2007). Atualmente é repórter do Portal DomTotal. Antes de cursar comunicação, foi jogador de futebol profissional. Começou no Villa Nova-MG e passou pelo futebol paulista e nordestino.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas