14 Mai 2018 | domtotal.com

O Atlético perde muitos gols


Campanha do Atlético é boa, mas time perde muitos gols que, cedo ou tarde, farão falta.
Campanha do Atlético é boa, mas time perde muitos gols que, cedo ou tarde, farão falta. (Bruno Cantini/CAM)

Por Juliano Paiva

O Atlético definitivamente não sabe “matar o jogo”. A importante vitória na Arena da Baixada esteve por um fio, apesar do ótimo segundo tempo. O castigo poderia ter chegado – como aconteceu diante de Vasco e São Paulo – com um erro individual, um conta ataque ou um pênalti contra.

Desta vez, a sorte esteve com os alvinegros que chegaram ao topo da tabela do Campeonato Brasileiro com 10 pontos, os mesmos de Flamengo e Corinthians, líder e vice-líder do Nacional.

Para se manter entre os melhores, o que invariavelmente é sempre mais difícil, o Galo tem que aprender a “matar os jogos”. Ganhar sem sustos será uma evolução. Thiago Larghi precisa identificar o (s) motivo (s) que leva (m) seus comandados a perderem tantos gols.

Um empate nos últimos minutos ou, pior, uma derrota como foi em São Januário, pode fazer toda a diferença na classificação final ao adjetivar a campanha como um sucesso ou um fracasso.

Copa do Brasil

A primeira chance de melhorar no quesito “matar o jogo” será contra a Chapecoense, quarta-feira, na Arena Condá. Será a segunda partida das oitavas de final da Copa do Brasil. Como a primeira no Independência terminou 0 a 0, o time que vencer segue na competição nacional. O empate leva a decisão da vaga para os pênaltis.

O jogo promete ser duro, daquele para corações fortes. A Chapecoense mostrou força ao vencer o Flamengo no domingo. A torcida estará empolgada e deve lotar o estádio, onde o Atlético venceu no ano passado com time reserva no turno do Brasileiro.

No returno, porém, o troco dos catarinenses no Independência (vitória por 3 a 2 na 29ª rodada), custou caro ao Galo: a vaga na Copa Libertadores deste ano.  Os dois clubes terminaram o Brasileirão com 54 pontos. Se tivesse pelo menos empatado a partida no Horto, seria o Atlético o time que disputaria o torneio continental.  

Juliano Paiva
é jornalista formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente editor do Dom Total, Paiva trabalhou nos jornais O Tempo, Hoje em Dia e no extinto Diário da Tarde, tradicional periódico de Belo horizonte fechado pelos Associados Minas em julho de 2007. No DT, começou como repórter da editoria Cidades, mas, na época do fechamento do jornal, fazia cobertura esportiva. Também foi responsável pela cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro para a Folha de São Paulo no segundo semestre de 2007.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas