01 Out 2018 | domtotal.com

'Tem o Galo ainda! Tem o Galo ainda!'


A torcida do Atlético acredita e se mobiliza pelo título brasileiro, mas é preciso que Thiago Larghi também acredite.
A torcida do Atlético acredita e se mobiliza pelo título brasileiro, mas é preciso que Thiago Larghi também acredite. (Pedro Souza / Atlético)

Por Juliano Paiva

O relógio marcava 14h41 de domingo. Faltava pouco mais de uma hora para os jogos da tarde do Campeonato Brasileiro, entre eles o do Atlético contra o Sport. Eu fazia compras num supermercado quando percebi uma conversa entre os funcionários do local. O assunto? Galo!

Eles detalhavam as possibilidades dos favoritos ao título do Brasileirão deste ano, o mais disputado desde 2009. “O Palmeiras assumiu a liderança hoje de manhã, mas está tudo muito indefinido”, disse um deles. Outro lembrou da ascensão do time de Renato Gaúcho. “O Grêmio também está chegando!”

E assim foram listando as qualidades e pontos fracos também de Internacional, São Paulo e Flamengo. Eis que um mais distante do grupo gritou: “Tem o Galo ainda! Tem o Galo ainda!”

Pois é, a torcida do Atlético não se entrega. Por mais que os números digam o contrário – o Galo está a oito pontos do agora líder Palmeiras –, a Massa ainda mira o título, contrariando inclusive personagens importantes nessa história como o técnico do Alvinegro. 

Na sexta-feira passada, Thiago Larghi provocou a ira dos atleticanos nas redes sociais com uma fala, no mínimo, infeliz. “São 47 anos sem esse título (do Brasileiro). Esse ano teria a obrigação de ter esse título? Por que? Não sei.” 

Larghi respondia à pergunta de um repórter que comentou sobre o desejo dos torcedores de ter um técnico mais experiente no comando do time em 2019. 

Depois de o time passar por duas reformulações no ano realmente fica mais difícil levantar a taça que não veem desde 1971. Isso é verdade! Mas Larghi, como qualquer outro dentro do clube, não pode desistir. Não devem “jogar a toalha” em respeito à torcida atleticana que nunca deixa de acreditar. 

Prova disso são os jogos do Atlético com casa cheia depois da Copa do Mundo. Diante do Sport, a Massa foi além ao quebrar o recorde de público do novo Independência. Já que não basta fazer número, a torcida do Galo participa ativamente, cantando até a garganta sangrar como gostam de dizer.  

E um dos gritos mais comuns esse ano é, na verdade, um pedido: “Vamos Galooo, ganhar o Brasileirooo!!” O hit do momento entre os atleticanos tem ecoado por todo o país. Seja no Horto, Morumbi ou Maracanã. 

Nas redes sociais a movimentação pelo bicampeonato também é enorme. Torcedores e torcedoras como Camila Pontes (clique aqui e veja) declaram seu amor ao Galo e pedem o título que a maioria deles não viu ainda o time ganhar. 

Como negar o pedido de luta incansável enquanto houver chances? 

O Atlético é conhecido por ser um time de raça, que não se entrega. O “time do impossível” como já destacou o apresentador e narrador da ESPN Brasil, Paulo Andrade, nas suas narrações. 

E já que Thiago Larghi adora números, saiba que ao fim da 27ª rodada do Brasileiro 2009, o Flamengo, que se tornaria o campeão, estava a 10 pontos do líder Palmeiras. 

Então, cabem à diretoria, comissão técnica e elenco fazer valer a fama e não se entregar enquanto for possível ser campeão. 

A torcida acredita! 

Juliano Paiva
é jornalista formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente editor do Dom Total, Paiva trabalhou nos jornais O Tempo, Hoje em Dia e no extinto Diário da Tarde, tradicional periódico de Belo horizonte fechado pelos Associados Minas em julho de 2007. No DT, começou como repórter da editoria Cidades, mas, na época do fechamento do jornal, fazia cobertura esportiva. Também foi responsável pela cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro para a Folha de São Paulo no segundo semestre de 2007.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas