14 Mar 2019 | domtotal.com

Levir não é o único culpado


(Bruno Cantini/Atlético)

Por Rômulo Ávila

A culpa pelo fracasso do Atlético no começo da fase de grupos da Libertadores precisa ser dividida. Colocar tudo na conta do técnico Levir Culpi, como vários torcedores têm feito, é ignorar outros problemas graves, como a falta de reforços de peso e, especialmente, a fase ruim de alguns jogadores importantes para um time que tem a 'conta do chá'. Fábio Santos, Elias, Chará, Adílson e até  mesmo Igor Rabello estão devendo muito. Isso reflete diretamente no rendimento da equipe, até porque o elenco é limitadíssimo em termos de opções. Não há peça de reposição. 

Por isso, considero exagero parte da torcida pedir a demissão do treinador. O Atlético penou para acertar com um técnico em 2018. Passou parte da temporada apostando em Thiago Larghi, que caiu na reta final do Brasileirão justamente para a chegada de Levir. Contudo, a desaprovação momentânea da torcida do Atlético com o treinador tem justificativa.

Levir fez lambanças demais na derrota para o limitado Nacional-URU. Entre elas: demorar a substituir, escalar Elias aberto como ponta esquerda ( Atlético não atua como três volantes) e insistir com Patric, que teve febre e quadro de gripe antes do duelo (era a chance para Guga). Mas Levir é teimoso.O resultado não poderia ser outro.   

Fato é que Levir tem um desafio pela frente que vai muito além da pressão da torcida. Como administrar a fase ruim de vários jogadores e recuperar a confiança do time em pouco tempo? Considero a missão quase impossível em termos de Libertadores. São 12 pontos em disputa para tirar diferença de seis. 

E olha que meu pessimismo nem tem relação com Cerro e Nacional-URU, mesmo porque são rivais com qualidade técnica bem inferior em comparação com o Atlético. O principal problema do alvinegro na Libertadores tem sido ele mesmo, o que, muitas vezes, requer tempo para ser solucionado. 

O preço pode ser a eliminação precoce na fase de grupo. Como bem diz o ex-técnico Muricy Ramalho, a ‘bola pune’.

Rômulo Ávila
É jornalista formado pela Newton Paiva. Foi repórter esportivo durante dois anos do extinto Diário da Tarde (tradicional periódico de BH fechado pelos Associados Minas em julho de 2007). Atualmente é repórter do Portal DomTotal. Antes de cursar comunicação, foi jogador de futebol profissional. Começou no Villa Nova-MG e passou pelo futebol paulista e nordestino.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas