02 Abr 2019 | domtotal.com

Na Libertadores tudo é possível, inclusive o impossível


Atlético já passou por situações difíceis na história da Libertadores e conseguiu superá-las.
Atlético já passou por situações difíceis na história da Libertadores e conseguiu superá-las. (Bruno Cantini/Atlético)

Por Juliano Paiva

O Atlético não joga nesta terça (2), mas a torcida estará ligada numa partida que interessa, e muito, aos alvinegros. Líderes com seis pontos cada, Cerro Porteño e Nacional do Uruguai estarão em campo no estádio La Olla Azulgrana no Paraguai, pela 3ª rodada da fase de grupos da Libertadores 2019. 

Mas para qual deles torcer? Qual secar? Bom, devido às circunstâncias, péssimas vale ressaltar, o ideal é que haja um vencedor na partida. Se for o Cerro, melhor.  Melhor porque o jogo seguinte do Galo, depois do Zamora nesta quarta (3), será justamente contra os paraguaios, fora. 

E enfrentar o Cerro no La Olla Azulgrana lotado, depois de uma derrota em casa para o Nacional, não deve ser uma missão das mais fáceis. E o Nacional já estaria com nove pontos no caso de triunfo no Paraguai, podendo chegar a 12 diante do Zamora em casa. 

Então, atleticano, seque o Nacional e torça pelo Cerro. 

Passada a noite de terça, virá a de quarta que, pode ter certeza, contará com muita emoção. O Zamora, frente a um Atlético que precisa ganhar a qualquer custo, será um franco atirador. A derrota não seria nenhuma vergonha e a vitória, a glória. 

Por isso, mais do que nunca, o Galo precisa entrar para matar o jogo o quanto antes. E, se possível, fazer saldo diante dos venezuelanos. 

Numa projeção bem otimista, o Cerro dispara e chega a 14 pontos. Além dos seis que já tem, ganharia do Nacional hoje, empataria com o Atlético, venceria o Zamora e ficaria na igualdade com o Nacional na rodada final. 

Assim, há boas chances de Atlético e Nacional terminem com 10 pontos cada, decidindo a segunda vaga para as oitavas no saldo de gols. 

Se quiser passar sem drama, o Galo precisa vencer os quatro jogos restantes, inclusive contra o Cerro no Paraqguai que, na projeção acima, coloquei empate. Mas aí já é querer muito do Alvinegro. Pelo menos até agora, o Atlético não mostrou futebol para tanto. 

Mas como é Libertadores, tudo é possível. Inclusive o impossível. O Atlético que o diga. Já esteve nessa situação em 2015 e conseguiu avançar. Nos resta, então, aguardar. E curtir! Cmo dizem por aí, "Libertadores é doido demais". 

Juliano Paiva
é jornalista formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente editor do Dom Total, Paiva trabalhou nos jornais O Tempo, Hoje em Dia e no extinto Diário da Tarde, tradicional periódico de Belo horizonte fechado pelos Associados Minas em julho de 2007. No DT, começou como repórter da editoria Cidades, mas, na época do fechamento do jornal, fazia cobertura esportiva. Também foi responsável pela cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro para a Folha de São Paulo no segundo semestre de 2007.
+ Artigos
Instituições Conveniadas