Blogs CULTURA
Carlos Ávila
É poeta e jornalista. Publicou, entre outros, Bissexto Sentido e Área de Risco (poesia); Poesia Pensada (crítica) e Bri Bri no canto do parque (infantil). Foi, por quatro anos (1995/98), editor do “Suplemento Literário de Minas Gerais”. Trabalhou também na Rede Minas de Televisão e foi editor do caderno de cultura do jornal “Hoje em Dia”. Participou de mais de vinte antologias no país e no exterior.

Invenção

28/08/2015 06:00:00

Por Carlos Ávila A história da literatura brasileira é marcada por gerações e revistas. Em geral, em torno das revistas formam-se grupos que trabalham dentro de uma mesma direção estética ou de pensamento. Foi assim no modernismo com os nomes reunidos em “Klaxon”, “A Revista”, “Verde”, “Revista de Antropofagia”, “Terra Roxa” e “Estética”; foi assim […]

Leia Mais...




Um clássico finlandês

26/08/2015 11:23:22

Por Carlos Ávila “Kalevala”: livro diferente e atraente; um clássico da literatura finlandesa – um épico formado por 50 textos, reunidos pelo estudioso Elias Lönnrot (1802/1884); seu “poema primeiro” foi publicado, em 2009, pela Ateliê Editorial, traduzido diretamente do original. Os autores dessa façanha são José Bizerril – poeta e doutor em Antropologia pela Universidade […]

Leia Mais...




O marinheiro beberrão

21/08/2015 06:00:00

Por Carlos Ávila O texto abaixo pode funcionar como uma espécie de mini-conto, desentranhado de um dos “Cantos” do poeta norte-americano Ezra Pound (1885/1972); na tradução dos Campos e de Pignatari, “Cantares” (título que segue indicação do próprio Pound, em carta aos tradutores: “if not too late can you use the title cantares”). Trata-se de […]

Leia Mais...




Trocadalhos do carilho

19/08/2015 06:00:04

Por Carlos Ávila “Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!/Criança! não verás nenhum país como este!” – Olavo Bilac sobre a pátria edulcorada (e nada educadora!); “Bravil, anda com ferro e gorgulho a terra onde Maciste, criança, enfrentou João Lúcio Godar: não verás nenhum Paris como este” – Caetano Veloso parodiando/trocadilhando sobre […]

Leia Mais...




Poética de Horácio

14/08/2015 06:00:22

Por Carlos Ávila É incrível (e inegável) a atualidade de algumas ideias de Horácio – Quintus Horatius Flaccus (65-8 a.C.), o lírico romano, o poeta do carpe diem, que escreveu inúmeras sátiras e odes, epodos e epístolas; essas ideias estão na Epistula ad Pisones – sua arte poética, traduzida diretamente do latim por Jaime Bruna […]

Leia Mais...




Sabedoria de Gracián

12/08/2015 06:00:37

Por Carlos Ávila “O homem nasce bárbaro” – afirma Baltasar Gracián (1601/1658), o grande barroco-conceptista. E acrescenta, no seu “A arte da sabedoria mundana – um oráculo de bolso”: “Redime-se a besta cultivando-a. A cultura nos transforma em pessoas: e tanto mais, quanto maior for a cultura. Com tal crença, a Grécia pode chamar o […]

Leia Mais...




O caderno de Boris

07/08/2015 06:00:15

Por Carlos Ávila “Que se afirme tratar-se de um setor de combate relativamente secundário, se pensarmos na Frente Russa ou no desembarque na Normandia, tudo bem, nada a objetar. Mas não pensar sequer no sacrifício de tantos jovens e no que isso significou na vida de cada um é um verdadeiro absurdo” – assim Boris […]

Leia Mais...




Disgrafia sensível

05/08/2015 06:00:10

Por Carlos Ávila Começou a escrever versos na década de 1930, contando sílabas, influenciado formalmente por parnasianos & simbolistas – coisa inacreditável para os que conhecem sua ousada poesia visual: Edgard Braga (1897/1985), poeta-médico, assim como o “Dr. Williams” (William Carlos Williams, o grande modernista norte-americano). Braga era alagoano, de Maceió, mas radicou-se em São […]

Leia Mais...