Blog CULTURA

Carlos Ávila

É poeta e jornalista. Publicou, entre outros, Bissexto Sentido e Área de Risco (poesia); Poesia Pensada (crítica) e Bri Bri no canto do parque (infantil). Foi, por quatro anos (1995/98), editor do “Suplemento Literário de Minas Gerais”. Trabalhou também na Rede Minas de Televisão e foi editor do caderno de cultura do jornal “Hoje em Dia”. Participou de mais de vinte antologias no país e no exterior.

últimos Posts

30/03 2016

Por Carlos Ávila O trabalho de Iberê Camargo (1914/1994) nunca atraiu ou motivou o interesse deste colunista, formado dentro de uma visão construtivista, em termos de arte moderna ou contemporânea. Conhecia apenas alguns trabalhos esparsos do artista – vistos em mostras aqui e ali –, embora tivesse plena consciência e informação sobre a relevância de […]

Leia Mais...
25/03 2016

Por Carlos Ávila Aldir Blanc é um artesão da palavra cantada. Trata-se, seguramente, de um dos melhores letristas brasileiros; figura ao lado de outros craques como, por ex., Capinam e Torquato Neto. Entre suas letras encontra-se uma curiosa, divertida e algo punk, paródia de um soneto do simbolista Augusto dos Anjos (1884/1914) – autor do […]

Leia Mais...
23/03 2016

Por Carlos Ávila O inimigo do mundo (Baudelaire) ● Ladrão de fogo (Rimbaud) ● Um fingidor (Fernando Pessoa) ● Pilar da ponte de tédio (Sá-Carneiro) ● Um pulso ferido que sonda as coisas do outro lado (García Lorca) ● Lúcido sim, eleito não (Manuel Bandeira) ● Um homem sem profissão (Oswald) ● Gauche na vida […]

Leia Mais...
18/03 2016

Por Carlos Ávila A leitura do poeta/prosador e ensaísta português Alberto Pimenta aguça nossa visão crítica: “todo o filho da puta tem vocação pública, dado que se ocupa e preocupa tanto com os outros; no entanto, o grande estilo dele, do filho da puta, consiste num modo particular de ser público, um modo quase sempre […]

Leia Mais...
16/03 2016

Por Carlos Ávila Depois da festa (democrática), vem a ressaca… Qual a saída? Ruim com fulano, pior com sicrano (o drama da deterioração política). Perspectiva zero na crise brasileira: corrupção generalizada, volta da inflação, desemprego, falta de investimento e de oportunidade para os jovens, desencanto para os mais velhos – que já viram muita coisa, […]

Leia Mais...
11/03 2016

Por Carlos Ávila Editado em 1936 – ou seja, há exatos 80 anos – pela Sociedade Amigos do Livro, de BH, “Velórios” reúne apenas oito contos do escritor mineiro Rodrigo Melo Franco de Andrade (1893/1969), integrante da geração modernista (trata-se do único volume de literatura publicado por Rodrigo; foi reeditado pela Cosac & Naify em […]

Leia Mais...
09/03 2016

Por Carlos Ávila O poeta paulista André Vallias – radicado no Rio, depois de viver na Alemanha de 1987 a 94 – vem trabalhando na área da poesia visual e também com traduções (publicou uma extensa coletânea de Heine); afora isso, é designer gráfico da Refazenda e editor da revista eletrônica “Errática” (esta e a […]

Leia Mais...
04/03 2016

Por Carlos Ávila Dois Murilos mineiros figuram na literatura brasileira do séc. 20 – um na poesia, o outro na prosa; escritores que têm nas suas obras relações, respectivamente, com o surrealismo e com o chamado “suprarrealismo” (ou realismo mágico): o poeta Murilo Mendes (1901/1975) – autor, entre outros, de “Poesia em pânico” e “As […]

Leia Mais...
02/03 2016

Por Carlos Ávila “Prelo de costelas e gumes,/espátulas, conheço, de assobios/coçando as palavras e gravuras/com seus receios, pudores e gavetas/num mastigar assombrado/ó quanta corroída caligrafia…”. Difícil identificar esses estranhos versos, algo surrealistas; é quase inacreditável saber que foram escritos por Wlademir Dias-Pino – conhecido como poeta visual. Carioca/mato-grossense (nasceu no Rio, em 1927, mas mudou-se […]

Leia Mais...