Renault-Sandero-2019

Renault Sandero 2019: veja como vai ficar o modelo reestilizado

Grande novidade do novo Renault Sandero fica pela parte traseira: as lanternas ganharam um prolongamento na tampa do porta malas
Renault-Sandero-2019

Por Thiago Ventura

Projeções técnicas da linha reestilizada do Sandero vazaram na internet. Essas imagens são do registro feito pela marca junto ao INPI, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial. O Logan e o Stepway também vão receber a mesma alteração.

O carro apresenta um novo para-choque, enquanto a grade e os faróis mantêm o mesmo formato, mas com elementos internos diferentes: frisos horizontais, sendo que o último deles é acompanhado por uma linha no conjunto óptico. Na lateral, tudo está mantido, mas o desenho também revela uma nova oferta de rodas de liga leve.

renault-sandero-2019-inpi

A grande novidade fica pela parte traseira: as lanternas ganharam um prolongamento na tampa traseira (muito provavelmente será apenas estético). Já tem gente comentando que lembra o Argo ou HB20, o que não deixa de ser verdade, mas a inspiração está nos modelos da Renault na Europa, como o Megàne ou o SUV Koleos, que deve, enfim achegar ao Brasil em 2018.

Renault-Sandero-2019-b
Renault-Sandero-Stepway-2019

Na parte mecânica, segue com os mesmos motores SCe 1.0 12V três cilindros e o 1.6 SCe 16V. A grande novidade será por conta a oferta da transmissão automática do tipo CVT, equipamento que já equipa os “primos” da Nissan. A caixa CVT enterra (enfim!) o automatizado Easy-R.

O que você achou?

Renault-Logan-2019 logan-2019

Renault Symbioz é a aposta da marca para o futuro do automóvel.

Carro do futuro será um celular com rodas

Automóvel pode virar um shopping, com entretenimento e compras dentro da cabine.  E as montadoras de veículos já estão de olho nesse mercado!

Renault Symbioz é a aposta da marca para o futuro do automóvel.
Renault Symbioz é a aposta da marca para o futuro do automóvel.


Por Thiago Ventura

Que a conectividade já é uma realidade nos carros, isso não é nenhuma novidade. Atualmente, mesmo modelos de entrada e mais acessíveis já contam com oferta de centrais multimídia, com recursos cada vez mais complexos: conexão com aplicativos via Android Auto, Apple Car Play e mesmo serviço de concierge. Mas essa gama de possibilidades vai aumentar.

Isso será possível com a chegada do nível quatro de automação dos veículos. Pode parecer algo para um longo prazo, mas especialistas estimam que esteja disponível comercialmente daqui a cinco ou 10 anos.

Em tempo: o primeiro nível de automação diz respeito a equipamentos de auxílio ao motorista, como o cruise control, o piloto automático, algo já presente há muito tempo. No segundo estágio, há uma automação parcial: os veículos possuem radares e sensores que mapeiam objetos ao redor e tomam alguma decisões. É o caso do Cruise Control adaptativo.

No terceiro nível, os  veículos podem se movimentar por conta própria tanto na parte de aceleração e direção quanto no monitoramento ativo do ambiente. Já existem modelos em oferta, como o BMW Série 5, que atuam assim. Conseguem manter uma condução em rodovias e mesmo trechos urbanos em que o motorista pode tirar as mãos do volante.

O nível quatro já é da automação alta: o condutor poderá até mesmo dormir ao longo da viagem, já que praticamente todas as atividades serão feitas pelo sistema autônoma. Contudo, ainda haverá a figura do volante e controles do carro. No quinto nível, a conversa fica mais séria: tudo será feito pela máquina. O motorista vira um mero passageiro e pode dedicar todo o seu tempo dentro do veículo para fazer outras atividades.

 

Interior do Tesla Model 3: tela de 15" de série com muita conectividade.
Interior do Tesla Model 3: tela de 15″ de série com muita conectividade.



O que a indústria automobilística planeja é o seguinte: a partir do nível quatro, o ambiente do carro é praticamente o mesmo de uma casa ou escritório conectado à internet, em que o motorista poderá fazer outras atividades, dentre elas comprar coisas: pedir pizza, ingressos para shows, roupas e tudo mais. Há ainda a possibilidade de consumir produtos virtuais, como serviços de streaming (Netflix e Youtube Red).

As marcas já estão trabalhando para isso. Já a General Motors, revelou neste mês o lançamento do serviço Marketplace, no qual os proprietários podem pré-comprar café ou gasolina ou fazer reservas de restaurantes, tudo a partir do assento do motorista. Um menu de compras está disponível na central multimídia com produtos (de marcas parceiras da GM): basta selecionar o item desejado e buscar num drive-thru. O pagamento será feito com cartão de crédito, já registrado no carro.

Já a Renault anunciou, na Europa,  a aquisição de 40% do capital de uma editora na França que publica cinco revistas. A montadora francesa revelou pesquisa em que os condutores do velho continente gastam cerca de duas horas por dia em seu deslocamento.

Sem a necessidade de conduzir o veículo, cada motorista poderá utilizar esse tempo tanto para o trabalho, como para diversão. Ele poderá, por exemplo, assistir um filme ou seriado. Os carros já possuem opção do sistema de som de qualidade e a cada lançamento as telas vão ficando maiores e com mais qualidade!

Os veículos autônomos vão abrir novas possibilidades de negócios. Além de fabricantes de automóveis, as montadoras já preparam o caminho para virar difusoras de conteúdo (e publicidade) e serviços. Assim, ao comprar um carro o consumidor não levar somente um meio de transporte, mas um verdadeiro equipamento de entretenimento móvel. Tudo o que o celular é hoje em dia, com a vantagem de levá-lo aonde quiser.

Veja o vídeo sobre o Marketplace da GM:
youtu.be/WysXyfRbC_M

LEIA TAMBÉM:
Nissan-Kicks-teaser

Fiat-Argo-Mobi-Recall

Fiat convoca recall de 150 mil Argo, Uno e Mobi

Problema na chave de setas pode fazer com que as luzes não se acendam quando o motorista aciona o comando de virar para esquerda ou direita

Fiat-Argo-Mobi-Recall

Por Thiago Ventura

Marca italiana anunciou um chamado para mais de 150 mil veículos por defeito na chave de seta. O problema é no software da central eletrônica do equipamento: eventual falha do componente poderá acarretar o não funcionamento das luzes das setas de direção sem a ciência do condutor, aumentando o risco de acidente, com consequentes danos físicos e materiais ao condutor, aos passageiros e a terceiros.

O recall envolve 56.371 unidades do Mobi ano/modelo 2016 a 2018; 91.338 Unos, ano/modelo 2014 a 2018; e 3.771 Argos, ano/modelo 2017/2018, informou a Fiat.

Um dos principais lançamentos dos últimos anos da Fiat, o Argo passa pelo segundo recall em menos de uma semana. O modelo foi lançado no início do segundo semestre e já havia sido chamado devido problema no chicote elétrico do volante em cerca de 22 mil unidades do modelo.

Fiat-Argo-Mobi-Recall

O reparo é gratuito e será feita a reprogramação da central. O tempo de reparo é de, aproximadamente, 1 (uma) hora. Agendamento do serviço pode ser feito a partir de 18 de dezembro Para saber mais informações e conferir os números de chassis envolvidos, entre no site da marca ou ligue telefone da Fiat: 0800 707 1000

 

Veículo

 

Ano/Modelo

 

Chassis

(não sequenciais)

 

Unidades envolvidas

 

Mobi

 

2016 a 2018

 

410.168 a 509.791

56.371
 

Argo

 

2017/2018

10.373 a 23.103 3.771
 

Uno

 

2014 a 2018

 

581.806 a 827.256

91.338

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEIA TAMBÉM:

Nissan-Kicks-teaser

Nissan-Kicks-Crash-Test-2017

Nissan Kicks ganha quatro estrelas em crash test

SUV compacto fabricado no Brasil registra fraca proteção ao peito dos ocupantes, mas  a proteção contra impactos laterais foi de adequada para boa.

Nissan-Kicks-Crash-Test-2017

Por Thiago Ventura

O Programa de Avaliação de Veículos Novos para América Latina e o Caribe, Latin NCAP, revelou a última rodada de testes de segurança com modelos vendidos no continente. Dos três carros avaliados, um interessa bem ao mercado nacional.

O utilitário-esportivo (SUV) compacto Nissan Kicks, fabricado em Resende (RJ), recebeu quatro das cinco estrelas possíveis no crash test promovido pela entidade. O índice foi igual tanto para segurança de passageiros adultos como para crianças.

O Kicks testado oferece dois airbags como equipamento padrão apresentou um desempenho apenas instável na estrutura e na área dos pés no teste de batida frontal, explicando a fraca proteção do peito. A proteção contra impactos laterais foi de adequada para boa, sendo aceitável em termos global, obtendo as quatro estrelas para o adulto.

O SUV oferece controle de estabilidade (ESC), cumprindo os requisitos do Latin NCAP quanto a rendimento e disponibilidade. Os ocupantes infantis receberam boa proteção no impacto frontal e lateral, com ambos os sistemas de retenção infantil (SRI) instalados com ancoragens ISOFIX, demonstrando o veículo seu bom desempenho a respeito.

No entanto, a falta de interruptor de desativação do airbag do passageiro e a sinalização de ISOFIX considerada deficiente explicam as quatro estrelas para a proteção do ocupante infantil.

Nissan Murano e Chevrolet Aveo

O LatinNCAP também avaliou outros dois modelos, o Nissan Murano e o Chevrolet Aveo, ambos sem chances de chegar ao mercado brasileiro. Produzido nos Estados Unidos, o Murano ganhou cinco estrelas para a proteção do ocupante adulto e três estrelas para a proteção do ocupante infantil. O Murano foi avaliado em 2016 pelo Latin NCAP alcançando apenas duas estrelas para os ocupantes adultos e quatro estrelas para os ocupantes crianças.

Já o Chevrolet Aveo, produzido no México, foi atualizado com dois airbags como equipamento padrão e testado em impacto frontal e lateral conforme os últimos protocolos do Latin NCAP. O resultado foi de zero estrela para a proteção do ocupante adulto e três estrelas para a proteção do ocupante infantil.

“É alentador ver as melhoras da Nissan com o Murano, ganhando, rapidamente, um nível de cinco estrelas para adultos, bem como maiores níveis de segurança no Kicks. O Latin NCAP demonstrou, mais uma vez, que o fato de incorporar airbags não garante que um veículo seja seguro quando a estrutura é instável. Solicitamos à GM que proporcione à América Latina e ao Caribe os mesmos níveis de segurança oferecidos, de forma padrão, em outros mercados”, comentou Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP.

Nissan-Kicks-2018

New-Fiesta-EcoBoost-Style-&-New-Fiesta--SEL-(2)

Ford lança New Fiesta com visual renovado, mas com câmbio problemático

Linha 2018 do hatch ficou mais cara e é vendida com motor antigo e câmbio Powershift. Enquanto isso, nova geração já é vendida na Europa

New-Fiesta-EcoBoost-Style-&-New-Fiesta--SEL-(2)

Por Thiago Ventura

Marca americana lançou no Brasil a linha 2018 do Fiesta, que passou por uma leve reestilização. A atual geração chegou no mercado nacional em 2011; em 2013 já havia passado por um facelift. Uma nova geração foi lançada este ano na Europa. E o que a Ford do Brasil resolveu fazer? Dar um discreto tapa no visual no Fiesta vendido por aqui. E aliás, também ficou mais caro. Tal estratégia pode se configurar um verdadeiro tiro no pé.

Os  faróis ganharam novos grafismos internos e a grade recebeu detalhes cromados que lembram efeito 3D. O para-choque foi redesenhado e as molduras dos faróis de neblina estão maiores. A reestilização contempla novas lanternas traseiras, mas só na versão topo de linha.

Do lado de dentro, a novidade é o sistema multimídia SYNC 3 permite uma interação intuitiva com o veículo por comandos de voz ou direto na tela. O sistema é é de série a partir da versão SE Plus AT. O equipamento é compatível com Android Auto e Apple Carplay e vem com som da Sony. Disponível a partir da versão SE Plus AT.

New-Fiesta-Titanium-1
Câmbio problemático

Apesar de ganhar um ar de novidade com as mudanças no visual, um ponto problemático do carro está mantido. O Ford Fiesta segue com a mesma oferta de motores e câmbio de até então.

O carro tem opção do motor 1.6 Sigma com 125/128cv a 6.500 rpm e torque  154/156 Nm a 5.000 rpm. Há também o turbo 1.0 Ecoboost tem potência de 125 cv e torque de 172 Nm  a gasolina.

A transmissão pode ser manual ou automatizada de dupla embreagem Poweshift, ambas de cinco marchas. Esse câmbio Powershift virou uma verdadeira dor de cabeça para vários proprietários.

Os clientes reclamam de barulho, trepidação, superaquecimento e até necessidade de troca prematura do kit de embreagem. Isso com carros novos, recém saídos de fábrica. A Ford foi alvo de várias ações no Procon se se viu obrigada a arrumar gratuitamente o equipamento. Nos EUA, a marca também foi processada pelo mesmo problema.

Quando lançou o novo EcoSport no Brasil, a Ford, sabiamente, retirou o equipamento. O SUV vem com o novo motor 1.5 TiVCT de 130/137 cv e câmbio automático de seis marchas.

Eis que agora, já no final de 2017, ao lançar o Fiesta 2018, a Ford optou por não só manter o antigo motor 1.6 Sigma, com continuar o oferecendo o problemático Powershift!

New-Fiesta-SEL-1

Geração antiga

Além da parte mecânica, a Ford optou por apenas reestilizar o Fiesta de sexta-geração no Brasil. Enquanto isso, na Europa, o hatch já está na sétima, com visual mais moderno, especialmente no interior.

Isso sem falar que para o consumidor europeu, há opção de teto solar panorâmico, motores turbinados EcoBoost com até 140 cv de potência e sistemas de segurança como Adaptive Cruise Control, alertas de tráfego cruzado, saída de faixa e ponto cego, dentre outros.

Enquanto isso, um potencial rival, o Volkswagen Polo, chegou ao Brasil praticamente com o mesmo visual do vendido na Europa.

Tabela de Preços Ford Fiesta 2018

Fiesta SE 1.6 – De R$ 53.660 para R$ 56.690
Fiesta SE Style 1.6 – De R$ 56.590 para R$ 59.590
Fiesta SE Style Plus 1.6 – R$ 62.390
Fiesta SEL 1.6 – De R$ 58.590 para R$ 61.090
Fiesta SEL 1.6 AT – De R$ 59.790 para R$ 65.390
Fiesta SEL Style 1.0 EcoBoost AT – R$ 69.790
Fiesta Titanium 1.6 AT – De R$ 68.990 para R$ 71.190
Fiesta Titanium Plus 1.6 AT – De R$ 73.090 para R$ 75.190