;
ESDHC

29/06/2018 | domtotal.com

EMGE recebe conselheiros do CREA-MG

Mudanças na grade têm como objetivo garantir aos estudantes todas as atribuições profissionais.

Professora Aline Oliveira e Davina Márcia de Souza, conselheira do CREA-MG.
Professora Aline Oliveira e Davina Márcia de Souza, conselheira do CREA-MG. Foto (Patrícia Azevedo/Dom Total)
Professora Aline Oliveira e Davina Márcia de Souza, conselheira do CREA-MG.
Professora Aline Oliveira e Davina Márcia de Souza, conselheira do CREA-MG. Foto (Patrícia Azevedo/Dom Total)
Anacélia Santos, Bernardo Abraão, Davina Márcia, Cláudio Soares, Aline Oliveira e Marcus Vinícius Cardozo.
Anacélia Santos, Bernardo Abraão, Davina Márcia, Cláudio Soares, Aline Oliveira e Marcus Vinícius Cardozo. Foto (Patrícia Azevedo/Dom Total)
Professora Aline Oliveira e Davina Márcia de Souza na Biblioteca Arnaldo Oliveira.
Professora Aline Oliveira e Davina Márcia de Souza na Biblioteca Arnaldo Oliveira. Foto (Patrícia Azevedo/Dom Total)
Conselheiros do CREA-MG visitam a EMGE e participam de reunião.
Conselheiros do CREA-MG visitam a EMGE e participam de reunião. Foto (Patrícia Azevedo/Dom Total)
Conselheiros do CREA-MG visitam a EMGE e participam de reunião.
Conselheiros do CREA-MG visitam a EMGE e participam de reunião. Foto (Patrícia Azevedo/Dom Total)

Por Patrícia Azevedo
Repórter Dom Total

A Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE) recebeu, nesta semana, a visita dos conselheiros Davina Márcia de Souza Braga e Bernardo Abraão Lopes, que integram a Câmara Especializada de Engenharia Civil (CEEC) do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (CREA-MG).

Eles reuniram-se com a pró-reitora Anacélia Santos Rocha, com a coordenadora do curso de Engenharia Civil, Aline Oliveira, e os professores Cláudio Soares e Marcus Vinícius Cardozo, integrantes do Núcleo Docente Estruturante (NDE). O objetivo do encontro foi acompanhar e avaliar as alterações realizadas na grade curricular do curso de Engenharia Civil, de forma a garantir aos futuros profissionais todas as atribuições concedidas pelo CREA.

“O Ministério da Educação (MEC) autoriza o início do curso, diz que pode funcionar, mas ao final quem dá as atribuições é o CREA, através das Câmaras Especializadas. Então o que nós fizemos foi exatamente orientar, deixar sugestões para que o aluno da EMGE tenha todas as atribuições que são determinadas pela legislação”, explicou Davina. De acordo com a conselheira, o exercício da Engenharia, a atuação do CREA e a sua relação com as instituições de ensino são guiados, principalmente, pela Lei 5194/1966 e as resoluções nº 218/1973 e nº 1073/2016 do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA).

Sobre a visita realizada na EMGE, Davina se mostrou bastante animada. “A Escola está de parabéns porque entendeu o procedimento e conseguiu alternativas para que o aluno realmente saia com todas as atribuições para trabalhar no mercado”, destacou.

O conselheiro Bernardo Abraão Lopes também avaliou a experiência de forma bastante positiva. “Desde o primeiro contato com a Escola, a gente já percebia essa perspectiva de desenvolver um bom trabalho. O resultado hoje é que estamos saindo daqui surpresos com a qualidade do retorno que a EMGE trouxe para nós, do alinhamento que foi alcançado. Estamos esperançosos que servirá de exemplo para o trabalho do CREA com outras instituições”, afirmou Bernardo.

Esforços

De acordo com a professora Aline Oliveira, a EMGE realmente se empenhou para atender as orientações do CREA, de forma a garantir uma formação completa aos estudantes. “A EMGE quer se consolidar como uma Escola de Engenharia de referência em Minas Gerais. Para isso, a parceria com o CREA é fundamental, no sentido de valorizar as atribuições que eles dão aos profissionais, especialmente na Engenharia Civil, e traçar nossas ementas e nossa matriz curricular de acordo com os critérios avaliados. Queremos formar engenheiros bem capacitados, atualizados de acordo com o que o mercado necessita”, apontou Aline.

Sobre as alterações realizadas na grade curricular, que começam a valer já no segundo semestre de 2018, a coordenadora informou que todas elas foram validadas pelo CREA. “É importante que estejamos totalmente em consonância com os pedidos do Conselho, para que os nossos engenheiros possam ter todas as atribuições no mercado de trabalho”, reforçou.

Para o professor Cláudio Soares, o retorno dado pelo CREA confirma que a Escola está no caminho certo. “Eles ficaram muito satisfeitos com o trabalho que nós realizamos. Praticamente 100% do que eles sugeriram na primeira visita foi atendido, hoje fizemos apenas pequenos ajustes na disposição das disciplinas”, informou.

Matrícula

A renovação de matrícula dos veteranos para o segundo semestre de 2018 terá início na próxima quarta-feira (4) e prosseguirá até o dia 15 de julho.


Redação Dom Total

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!


Instituições Conveniadas