;
Economia

11/01/2017 | domtotal.com

Oposição aponta que inflação na Argentina atingiu 40,3%

O governo lida com uma economia em recessão, que acumula no ano uma queda de 2,4%, com uma forte piora do poder aquisitivo.

Macri iniciou seu governo com uma desvalorização de 34% e um drástico ajuste das tarifas de serviços básicos.
Macri iniciou seu governo com uma desvalorização de 34% e um drástico ajuste das tarifas de serviços básicos. (AFP)

O índice de preços na Argentina aumentou 40,3% em 2016, segundo estimativas privadas divulgadas nessa terça-feira pela oposição no Congresso, à espera do índice oficial, que será publicado na quarta-feira pelo instituto Indec.

O governo divulgou nessa terça-feira o dado de inflação de Buenos Aires, que alcançou 41% em todo o ano de 2016.

O chamado "índice Congresso" é uma estimativa divulgada pela oposição diante da falta de credibilidade das estatísticas oficiais durante o governo de Cristina Kirchner (2007-2015).

"Ainda está longe do 1,3% mensal necessário para cumprir com o teto de 17% estabelecido no Orçamento. Está longe dos objetivos planejados e fica claro que a luta contra a inflação está sendo perdida", disseram deputados da oposição em um comunicado.

A inflação é o calcanhar de Aquiles do governo de Mauricio Macri.

Recentemente, ele retirou Alfonso Prat-Gay do Ministério da Fazenda, designando Nicolás Dujovne para o seu posto. No Ministério das Finanças, nomeou Luis Caputo. Ambos assumiram formalmente nesta terça-feira.

O governo lida com uma economia em recessão, que acumula no ano uma queda de 2,4%, com uma forte piora do poder aquisitivo.

Macri iniciou seu governo com uma desvalorização de 34% e um drástico ajuste das tarifas de serviços básicos de até 2000%, que organizações de consumidores conseguiram diminuir, mediante ações judiciais, para em torno de 400%.


AFP

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas