Esporte Vôlei

12/01/2017 | domtotal.com

Bernardinho diz que decisão de saída se deu após abraço em Bruninho

Após meses de espera, vitorioso técnico não seguirá no comando da equipe masculina.

Técnico fez com que país vivesse anos soberano no cenário do vôlei mundial.
Técnico fez com que país vivesse anos soberano no cenário do vôlei mundial. (Reuters)

A "Era Bernardinho", tão vitoriosa no vôlei brasileiro, chegou ao fim nesta quarta-feira (11) - pelo menos no comando técnico. Depois da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) anunciar a saída do comandante, Bernardinho se pronunciou e afirmou que decisão de saída se deu após abraço no filho Bruninho, na final dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

"A primeira vez em 23 anos eu pensei realmente em deixar. Para ver outras coisas, pensar um pouco. Quando o Bruno me abraça no final da Olimpíada foi o momento que eu falei: realmente deu. Se de alguma forma eu inspirei, fiz alguma coisa legal, onde eu estiver vou tentar continuar a fazer. O professor, ele quer que o grande reconhecimento seja quando um ex-aluno vem a ele. O Gustavo Endres mandou uma mensagem linda, e é o que fica", disse Bernardinho em entrevista ao Jornal Nacional.

Bernardinho se despede da Seleção com a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O último jogo do Brasil sob o comando de Bernardo Rezende aconteceu na final da Olimpíada, no duelo entre o país sede e a Itália, que garantiu mais um ouro para o treinador.

Apesar da saída da Seleção, Bernardinho segue no comando do Rio de Janeiro, que disputa a Superliga Feminina. No lugar do multicampeão entra o experiente Renan Dal Zotto. Amigo de Bernardo, o ex-jogador Dal Zotto, de 56 anos, conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Los Angeles, em 1984.

Como treinador, Dal Zotto levou o Florianópolis à conquista da Superliga masculina de 2006. Há oito anos Renan não comanda uma equipe de vôlei.


Gazeta Esportiva

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Mais Lidas
Indicadores Econômicos
Instituições Conveniadas