;
Mundo Ciência e Tecnologia

18/06/2017 | domtotal.com

Cientistas anunciam novo antibiótico eficaz contra bactérias resistentes

Produzido por um micróbio encontrado no solo, que foi batizado como "pseudouridimycine" (PUM), substância conseguiu destruir uma ampla gama de bactérias, muitas delas resistentes.

Centistas anunciaram a descoberta, em um teste na Itália, de um novo antibiótico eficiente contra as bactérias resistentes.
Centistas anunciaram a descoberta, em um teste na Itália, de um novo antibiótico eficiente contra as bactérias resistentes. (AFP/Arquivos)

Cientistas anunciaram a descoberta, em um teste na Itália, de um novo antibiótico eficiente contra as bactérias resistentes.

O novo antibiótico, produzido por um micróbio encontrado no solo, que foi batizado como "pseudouridimycine" (PUM), conseguiu destruir uma ampla gama de bactérias, muitas delas resistentes, durante os testes de laboratório. Também foi capaz de curar alguns ratos infectados com escarlatina.

A descoberta foi publicada na revista americana Cell.

O pseudouridimycine neutraliza a polimerase, uma enzima essencial para todas as funções de cada organismo.

Seu mecanismo, no entanto, é diferente ao da rifampicina, uma categoria de antibiótico que atua na mesma enzima. Também é 10 vezes menos suscetível de desencadear resistência como os antibióticos atualmente no mercado.

O "pseudouridimycine" (PUM) matou 20 espécies de bactérias de laboratório e foi particularmente eficaz contra os estreptococos e estafilococos, que muitas vezes são resistentes a múltiplos antibióticos.

Os testes clínicos com o novo antibiótico podem começar em três anos e chegar ao mercado dentro de uma década, afirmaram os cientistas da Universidade Rutgers-New Brunswick e da empresa italiana de biotecnologia Naicons.

A descoberta demonstra mais uma vez que as bactérias encontradas no solo são a melhor fonte de novos antibióticos, destaca a pesquisa.


AFP

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas