Brasil Cidades

10/08/2017 | domtotal.com

Os que insistem em ensinar

Mais do que imaginar onde hoje podem estar penso no que deixaram para trás com seus ensinamentos, implicâncias, perseveranças e contradições.

Nesses tempos onde poucos querem aprender volto meus olhos aos que insistem em ensinar.
Nesses tempos onde poucos querem aprender volto meus olhos aos que insistem em ensinar. (Reprodução)

Por Ricardo Soares*

Nesses tempos onde poucos querem aprender volto meus olhos aos que insistem em ensinar. Não , não é dia 15 de outubro, data fincada no calendário das efemérides vazias para lembrarmos dos professores. É um dia qualquer do mês de agosto do ano de 2017 e lá fora o sol de inverno deixa a paisagem menos feia mas não dá jeito de amenizar a paisagem árida da vida dos professores.

Mais do que lembrar das mazelas dos que insistem em ensinar eu lembro da importância deles em nossas vidas, do quanto deixaram marcas em nossos destinos e escolhas. No meu caso e no caso da maioria de vocês. Vejo num relance passar diante de minha memória professoras de nomes tão remotos como Maria Célia, Yolanda , Zélia, Nair e Lurda , severa e exigente que turbinou meus gostos literários e me incentivou a seguir escrevendo. Me lembro do Zé Luiz, risonho e baixote professor de matemática , tolerante com minha zero propensão a matemática. Entra aqui o Aranda, professor de música,  a quem chamávamos "homem Aranda" fazendo alusão ao "homem Aranha".  Também cabe aqui Arquimedes, maçante professor de desenho geométrico, Silvana, sexy professora de inglês com quem sonhávamos acordados. E por aí vai . 

Mais do que imaginar onde hoje podem estar- quantos terão morrido, quantos seguem lecionando ?-  penso no que deixaram para trás com seus ensinamentos, implicâncias, perseveranças e contradições. Sou grato a todos eles, mesmo àqueles com os quais não tinha a menor empatia como o janotinha João Carlos professor de administração de empresas que cultivava um bigodinho anacrônico e sempre andava de terno.

Eu mesmo já fui professor algumas vezes. E embora tenha sido bem avaliado por meus alunos não segui o caminho por me faltar o fundamental. Paciência. Paciência para tolerar o desinteresse, paciência para corrigir provas e planejar aulas, paciência para conviver com os transatlânticos egos acadêmicos. Tentei ensinar o pouco que sabia tanto em "jornalismo interpretativo" como nas andanças como professor num curso de pós graduação em jornalismo cultural. Tenho a ligeira impressão de que plantei dúvidas na mente dos alunos. Sendo assim me dou por feliz com minha curta carreira de professor.

A vida colocou no meu caminho duas mulheres, ex- companheiras e librianas, que foram e são professoras. Impecáveis em seu ofício. Determinadas, aguerridas, focadas. Também por coincidência as duas professoras de português e de literatura brasileira.  Diante delas sou minúsculo no ofício e diante delas me rendo em incondicional admiração àqueles que insistem em ensinar. Os meus mais profundos respeitos mesmo não sendo 15 de outubro.

* Ricardo Soares é roteirista, escritor, diretor de tv e jornalista. Dirigiu 12 documentários e publicou 8 livros. Escreve às segundas e quintas para o DOM TOTAL.

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas