Entretenimento

13/08/2017 | domtotal.com

Gravuras em metal revelam universo poético e imaginativo de Paulo Roberto Lisboa

Natural de Leopoldina, Paulo Roberto Lisboa é um dos mais celebrados gravadores de sua geração.

Uma das obras de Lisboa na exposição.
Uma das obras de Lisboa na exposição. (Divulgação)

Uma das mais remotas técnicas de impressão, a gravura em metal, será o destaque da exposição Estórias Gravadas, do mineiro Paulo RobertoLisboa, que ocupa a PQNA Galeria do Palácio das Artes até 3 de setembro. Nesse recorte – com aproximadamente 30 estampas originais –, sutilezas e poesia se encontram por meio das criações instigantes do artista, moldadas pelo constante exercício de observação de cenas cotidianas.

Natural de Leopoldina, Paulo Roberto Lisboa é um dos mais celebrados gravadores de sua geração. O artista, que encontrou nessa técnica sua vocação nas artes visuais, iniciou seu trabalho no fim da década de 1970, quando se graduou na Escola Guignard, e passou a expor em diversas galerias de Belo Horizonte, ganhando, posteriormente, destaque no cenário das artes visuais, acumulando inúmeros prêmios e exposições nacionais e internacionais. Neste ano, ele vai representar o Brasil na Trienal de Gravura na França.

O título Estórias Gravadas é uma alusão às inspirações que permeiam o trabalho do artista e o ajudam a criar suas próprias histórias nas chapas de metal. As Estórias de Paulo Lisboa, grafadas com “E”, acentuam o brasileirismo do artista, já que o termo só existiu em nosso português, nunca no de Portugal. Seu significado remete aos contos, lendas, fábulas, histórias imaginadas, ao reino da criação. As gravações são inspiradas em paisagens bucólicas, como os cenários de sua terra natal. Cada traço revela um momento único, proveniente ora da memória de Paulo Roberto, ora das observações cotidianas.

Estórias Gravadas é uma rara oportunidade de ver reunidas algumas das últimas gravuras de Paulo Roberto Lisboa, entre elas: O Caso do tenor do meu quintal (2012), Nota de Falecimento de um pássaro (2015), Paisagem entardecida por um pincel (2016). Paulo Lisboa explica que os títulos e as gravuras mantêm sempre uma relação íntima, e conversam durante todo o processo de criação, gravação e impressão, entre os riscos e rabiscos dos projetos e das provas de estado.

Para o artista, a gravura em metal, apesar de ser repleta de pormenores técnicos específicos, que podem ser pensados aproximando-a da Alquimia, como diz o gravador, é instrumento poético contemporâneo, reunindo, também, "mineirices e brasileirices, quais prescindem de poemas, e sonham quando beijam o vento”, pontua o gravador.

Imersão Técnica - Por meio das Estórias gravadas, os visitantes poderão conhecer a arte da gravura, desenvolvida por diferentes técnicas, como a Água-forte, em que a chapa recebe uma camada de cera e, após os desenhos serem feitos, é mergulhada em uma solução com ácido para gravação; a Água-tinta, mais comumente utilizada para gravações de tonalidade, que consiste em utilizar resina sobre a chapa, aquecida até o ponto de fusão da mistura; e o Verniz-mole, em que uma cobertura de cera é utilizada na chapa de metal para gravar as marcações.

Paulo Lisboa sempre fabricou brinquedos, objetos e ferramentas. Na gravura em metal encontrou espaço para desenvolver essas invenções, para usar alguns dos instrumentos que faz. O gravador, além de inventar seus próprios objetos, desenha e pinta. Para ele, além de um resgate dessa tradicional técnica, Estórias Gravadas é uma oportunidade para que o visitante se conecte com diferentes formas de criação. “Encontrei na gravura essa relação próxima com a Alquimia. E isso é muito prazeroso, pois fabricar o meu próprio trabalho é uma forma de expandir a minha criação. Estou muito feliz com o convite da Fundação Clóvis Salgado e muito grato em poder compartilhar meu trabalho com o público que frequenta esse espaço”, revela o artista.

EXPOSIÇÃO ESTÓRIAS GRAVADAS

Local: PQNA Galeria – Palácio das Artes

Endereço: Av. Afonso Pena, 737 – Centro

Período: 5 de julho a 3 de setembro

Horário: terça-feira a sábado, das 9h30 às 21h; domingos, das 16h às 21h

Entrada gratuita

Informações para o público: (31) 3236 7400


Fundação Clóvis Salgado

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas