;
ESDHC

08/09/2017 | domtotal.com

Congresso do Conhecimento: Especialista em Leitura Veloz é um dos destaques

Luís Netto já leu a Bíblia, na íntegra, em seis horas. Oficina será ministrada nos dia 13 e 14 de setembro, das 14h às 17h.

Luís Antônio Gonçalves Netto
Luís Antônio Gonçalves Netto (Divulgação)

É possível ler 900 páginas por hora. Quem garante é o estudante Luís Antônio Gonçalves Netto, um dos convidados do Congresso do Conhecimento. Criador do método ‘Leitura Veloz’, Luís Antônio conduzirá oficina nos dias 13 e 14 de setembro, das 14h às 17h, apenas para os participantes inscritos. 

Natural de São Carlos, Luís mora em São José do Rio Preto há cerca de 12 anos e cursa atualmente a graduação em Direito. O interesse pela leitura, no entanto, começou ainda no Ensino Fundamental, após um castigo imposto pelo pai: se ele tirasse alguma nota vermelha, teria de ler dez livros nas férias. 

“Não deu outra, as notas saíram e eu havia, novamente, ficado para recuperação final de História. Sendo assim eu já dava como certo que minhas férias tivera sido imensamente prejudicada, não me sobraria tempo para mais nada além de ler os livros combinados”, conta Luís. 

Para surpresa do estudante, a punição se tornou um prazer e acabou apontando uma habilidade natural. “Passado 10 dias, terminei o último livro da quantia combinada, o prazo foi muito mais rápido do que o esperado”, afirma. Os familiares duvidaram, claro, e submeteram Luís a uma sabatina. 

“Decidimos cronometrar o tempo de leitura, para saber o que estava acontecendo e foi quando notamos que eu lia cerca 150 paginas em uma hora”, lembra. Luís passou então a colecionar números impressionantes: as 150 páginas viraram 900, contabilizando mais de 6000 livros lidos. Para percorrer as 1.417 páginas de ‘A Grande Guerra pela Civilização’, do jornalista inglês Robert Fisk, o estudante precisou de apenas 5 horas. Já a Bíblia foi lida em 6 horas, na íntegra, com um intervalo de 30 minutos para o almoço. 

Confira abaixo entrevista exclusiva concedida ao portal Dom Total, com a colaboração do professor Adair Rocha, do Núcleo de Ensino Personalizado (NEP) da Dom Helder. 

Dom Total: As pessoas adquirem o gosto pela leitura por diferentes motivos. Como você desenvolveu o seu gosto pela leitura

Luís Antônio Gonçalves Netto: Minha história com a leitura é um pouco diferente do convencional. Comecei a ler devido a um castigo imposto pelo meu pai, como penitência do meu insucesso na matéria de História, ao término do 9º ano do Ensino Fundamental. Com a obrigação de ler 10 livros durante as férias, por indicação de meu pai, ingressei no mundo dos livros com a obra de Dan Brown, “O Código da Vinci”, pelo qual me encantei por sua maneira de conquistar a atenção do leitor.  

Como as escolas e professores podem estimular o interesse dos alunos sem transformar a leitura em um ‘castigo’?

Vejo em muitas pessoas um certo bloqueio ao falarmos sobre livros. Com a certeza de que a atividade da leitura representa para muitos algo tedioso e cansativo, sugiro que as escolas e professores repensem se, talvez, não seja mais efetivo trabalhar primeiro o prazer da leitura, utilizando assim livros de interesse próprio do aluno. Entendendo que o desprazer não está no conteúdo apresentado pelo livro, mas na atividade que é a leitura. Penso que primeiro devemos buscar o gosto ou, ao menos, a naturalidade com a prática e depois apresentar as leituras obrigatórias.

Atualmente você é capaz de ler 900 páginas por hora. Qual é a reação dos estudantes quando escutam isso?

Espanto! Sei que não é ‘normal’, por isso busco ter muito cuidado ao explicar como isso é possível e tento utilizar a minha história como um incentivo.

O método que você propõe, o Leitura Veloz, utiliza três técnicas: Concentração Mental, Amplitude de Visão e Memória Fotográfica. De que forma elas se relacionam e ampliam a capacidade de leitura?

Usada como base para a Leitura Veloz, a Concentração Mental fará todo o caminho para a potencialização, é a partir dela que conseguiremos atingir a Amplitude de Visão, considerada a especificação mais difícil desse ensino personalizado de alto rendimento. A união das duas técnicas citadas trará ao aluno a facilidade no desenvolvimento de sua Memória Fotográfica, possibilitando assim a ele a capacidade cerebral para atingir, o mínimo, de 130 páginas por hora. 

O que difere esse método da Leitura Dinâmica?

A Leitura Dinâmica é uma técnica muito conhecida, no entanto seu conceito não se assemelha ao da Leitura Veloz. Tendo em vista que a Leitura Veloz visa a alteração da leitura para o sentido vertical constante com apenas uma fixação por linha, enquanto a Leitura Dinâmica determina uma leitura realizada por saltos com dois ou mais pontos de fixação a cada linha. 

A edição de 2015 da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil mostra que 44% da população brasileira não lê e que 30% nunca comprou um livro. O que você tem constatado nos seus cursos de Leitura Veloz sobre os hábitos de leitura dos estudantes brasileiros?

Percebo que a leitura para os brasileiros é algo discriminado, comprovado pela pesquisa citada. Sempre antes de começar qualquer desenvolvimento com meus alunos, pergunto a eles se gostam de ler. Se a resposta for não, prontamente, os questiono sobre o motivo e, dificilmente, me surpreendo com respostas diferentes das tradicionais “ler é muito chato, quando começo, logo tenho sono”. 

O público do Congresso do Conhecimento será formado, principalmente, por estudantes das áreas de Direito e Engenharia, e empreendedores. Você tem alguma dica especial para eles? 

Sim, além de que cada um acredite em seu potencial para realizar seus sonhos, acho viável falar sobre a influência que a leitura pode fazer na vida de cada um. A leitura mudou a minha vida, me trouxe conhecimento, me tirou da zona de conforto, me ensinou a debater, impor minhas ideias e também ouvir as pessoas e, eu creio, que ela também pode e mudará a vida daqueles que dela se aproximarem.

Como a Leitura Veloz transformou a sua vida e quais seus planos para os próximos anos?

Sou estudante de Direito. A Leitura Veloz mudou muito o meu modo de pensar, hoje carrego o sonho de continuar com a missão de mudar a vida das pessoas da mesma maneira que ganhei um novo rumo para a minha. Além desse meu sonho, quero dar vida a minha carreira jurídica, seja na advocacia ou magistratura, dúvida ainda presente em mim. 

Você é também estagiário na Câmara Municipal de São José do Rio Preto. Como a Leitura Veloz pode contribuir para o êxito acadêmico em cursos como Direito e Engenharia? 

É sabido por todos que o Direito envolve muito a prática da leitura, então logo percebemos da necessidade em ler rápido. Quanto à Engenharia, pesquisei sobre os 10 hábitos necessários para um estudante dessa matéria e encontrei, no site Engenharia Livre, as primeiras posições ocupadas por “Estude todos os dias” e “Leia bastante”, demonstrando novamente o benefício que seria a capacidade em aumentar a velocidade de leitura e potencializar seus estudos diários. Falo com muita tranquilidade sobre os benefícios da Leitura Veloz para os estudantes, pois o propósito desse ensinamento é mostrar nossa capacidade de obter muita informação em pouco tempo, sendo assim, ela é vantajosa para qualquer segmento.


Redação Dom Total

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!


Instituições Conveniadas