;
Religião

15/12/2017 | domtotal.com

A festa nas religiões: encontro entre o humano e o divino

Fazemos festa porque damos significado para o que vivemos.

As religiões fazem um verdadeiro festejo dos momentos em que o humano e o divino se encontram.
As religiões fazem um verdadeiro festejo dos momentos em que o humano e o divino se encontram. (Reprodução/ Pixabay)

Por Felipe Magalhães Francisco*

Festejamos porque vivemos. Não importa se há situações em que a vida se torne árida: nós encontraremos sentido para o viver e o encheremos de significado. É por isso que fazemos festa: porque damos significado para o que vivemos, para as transformações pelas quais passamos, pelas escolhas acertadas que fazemos, pela prosperidade humana que alcançamos. Tornamos os momentos que nos são preciosos, célebres. E eis que temos motivo para reunir quem amamos, reunir quem participa de nossa vida, para celebrar os muitos significados que vamos atribuindo para o viver.

Também as religiões fazem dos momentos em que o humano e o divino se encontram, um verdadeiro festejo. Afinal, celebra-se a salvação e a alegria pelo fato de o divino transbordar em nós o seu amor e sua presença. A festa, nas religiões, é sempre oportunidade de encontro, no qual a solidariedade e a comunhão entre os partícipes, manifesta a comunhão que fazemos com o divino. Como início de uma conversa, de temática tão rica para as religiões, preparamos três artigos, refletindo sobre a festa no cristianismo católico, no candomblé e no hinduísmo.

As celebrações litúrgicas para o cristianismo católico têm caráter festivo. Há as celebrações nas quais esse caráter se torna mais explícito, tal como podemos perceber a partir calendário litúrgico. É sobre essa dimensão festiva do cristianismo católico, que Washington Paranhos escreve, no artigo A festa na tradição cristã. No texto, o autor assinala a correspondência entre as festas cristãs e as judaicas, sendo que essas últimas são ressignificadas à luz da morte e ressurreição de Jesus.

O segundo artigo, Festa de Candomblé: um ordenamento existencial via o religioso, de Guaraci Santos, aborda nossa temática, a partir dessa religião de matriz africana e tão presente em nossa cultura brasileira. Narrando os elementos que compõem uma festa de candomblé, o autor aponta para o caráter da festa como inter-relação entre o mundo físico e o mundo espiritual, o que propicia um ordenamento existencial para quem dela participa.

O hinduísmo abarca tradições religiosas que são eminentemente festivas e alegres. É o que nos ajuda a perceber o terceiro e último artigo de nossa matéria, Festivais de milhões, de Romero Carvalho. No texto, o autor relata algumas das festas que compõem o calendário hindu, bem como seu significado. Algumas dessas festas, destaca o autor, ultrapassam o território da Índia, alcançando outros lugares no mundo. Nos festivais hindus, antecipa-se o encontro com o divino, sendo eles uma oportunidade do caminho espiritual humano e reafirmando o real propósito da passagem humana pelo mundo.

 Boa leitura!

*Felipe Magalhães Francisco é teólogo. Articula a Editoria de Religião deste portal. É autor do livro de poemas Imprevisto (Penalux, 2015). E-mail para sugestões de temas: felipe.mfrancisco.teologia@gmail.com.

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas