;
Engenharia Ensaios em Engenharia

06/03/2018 | domtotal.com

Gênios da matemática (segunda parte) - Do Renascimento aos dias atuais

Matemáticos que se notabilizaram durante o período do Renascimento até os dias atuais

Algumas publicações fornecem até 100 matemáticos de destaque ao longo de toda a História.
Algumas publicações fornecem até 100 matemáticos de destaque ao longo de toda a História. (Reprodução)

Por Lino de Freitas*

No artigo anterior mostramos um resumo da vida de alguns dos pioneiros que se distinguiram no campo da Matemática desde antes da era cristã até o século XIII de nosso atual calendário. No presente texto apresentaremos alguns fatos marcantes da vida de matemáticos que se notabilizaram durante o período que vai do Renascimento até os dias atuais.

Leia também:

O autor gostaria de salientar que não se trata de uma lista exaustiva englobando todos os sábios que se distinguiram nesse ramo da Ciência. Algumas publicações fornecem até 100 matemáticos de destaque ao longo de toda a História. Alguns cientistas, tais como Leonardo da Vinci, Gauss e Eistein, entre outros, além de excelentes matemáticos, notabilizaram-se também em outras áreas do conhecimento, notadamente na Física e, por esse motivo, não foram incluídos em nossa lista.

Vejamos, portanto, algumas curiosidades acerca dos nomes escolhidos para a segunda parte de nossa resenha.

John Napier (1550 - 1617)

Matemático, físico e astrônomo, descendente de uma família de nobres, John Napier nasceu no Castelo de Merchiston, Edimburgo, na Escócia. O local no qual ele nasceu é hoje parte da Universidade Napier de Edimburgo

Após frequentar a Universidade de St-Andrews, em 1564 Napier viajou para o continente europeu. Acredita-se que em Genebra e na Basiléia, na Suiça, além de se dedicar com afinco à Matemática, ele aprendeu grego e latim, ferramentas por ele consideradas fundamentais para um perfeito entendimento dos trabalhos dos matemáticos famosos da Antiguidade.

De volta à Escócia, Napier especializou-se em Matemática. Em sua maior obra, Mirifici Logarithmorum Canonis Descriptio (1614), encontram-se 57 páginas de teoria e 90 tabelas de números relacionados aos chamados logaritmos naturais - denominados por ele na época por “números artificiais” - hoje conhecidos como logaritmos neperianos. Esse livro contém igualmente uma excelente discussão sobre teoremas de trigonometria esférica, hoje denominados “Regras das Partes Circulares de Napier”.

Os matemáticos de sua época reconheceram o potencial da obra de Napier para reduzir substancialmente o tempo necessário para realizar cálculos matemáticos extensos. Embora não tenha sido o inventor do ponto (ou vírgula) decimal, Napier popularizou bastante o seu uso.

Renê Descartes (1596 - 1650)

René Descartes foi um filósofo, físico e matemático francês. É considerado o criador do pensamento cartesiano, sistema filosófico que deu origem à Filosofia Moderna. Descartes estudou entre 1607 e 1615 no Colégio Jesuíta Royal Henry-Le Grand, na época o colégio mais prestigiado da França. Formou-se em Direito pela Universidade de Poitiers.

Aos 22 anos, Descartes começou a formular sua famosa “geometria analítica” e seu “método de raciocinar corretamente”. Rompendo com a filosofia aristotélica adotada na época pelas principais universidades européias, em 1619 propôs uma ciência unitária e universal, lançando as bases do método científico moderno.

Em sua principal obra, O Discurso Sobre o Método (1637), Descartes apresentou seu método de raciocínio baseado na famosa afirmativa “penso, logo existo”, alicerce de toda a sua filosofia e do futuro racionalismo científico. Nessa obra apresentou as quatro regras para se chegar ao conhecimento: nada é verdadeiro até ser reconhecido como tal, os problemas precisam ser analisados e resolvidos sistematicamente, o raciocínio deve sempre partir do mais simples para o mais complexo e o processo deve ser revisto do começo ao fim para que nada importante seja omitido.

René Descartes faleceu em Estocolmo, Suécia, em 1650.

Nota do autor: os estudantes de hoje são convidados a adotar a seguinte variante do pensamento cartesiano: PENSO, LOGO ESTUDO.

Isaac Newton (1642 - 1727)

Considerado um dos maiores sábios da história da humanidade, Isaac Newton nasceu em Woolsthorpe, uma pequena aldeia da Inglaterra. Publicou diversos estudos sobre Mecânica, Astronomia, Física, Química, Matemática, Alquimia, além de trabalhos sobre Teologia. Desde cedo, manifestou interesse por atividades manuais. Ainda criança, construiu um moinho de vento e um quadrante solar de pedra, que se acha hoje exposto na Sociedade Real de Londres.

Com 18 anos, foi aceito no Trinity College, da Universidade de Cambridge, da qual, depois de 4 anos, recebeu o grau de Bacharel em Artes, em 1665. De volta à sua cidade natal, durante um período de 18 meses no qual a universidade teve que fechar suas portas devido a uma epidemia de peste bubônica que dizimou 10% da população inglesa, Newton fez suas descobertas consideradas as mais importantes para a ciência: desenvolveu as leis básicas do movimento, estudou os corpos celestes, formulou a chamada “Lei da Gravitação Universal”, inventou os métodos de cálculo diferencial e integral e estabeleceu os alicerces de suas grandes descobertas sobre a ótica e a luz.

Retornando a Cambridge, em 1667 Newton graduou-se em Matemática e tornou-se professor daquela universidade. Em 1703, foi eleito presidente e membro vitalício da Sociedade Real Britânica, instituição que congregava os mais célebres pensadores da época. Foi sócio correspondente da Academia Francesa de Ciências. Em 1705, a rainha Ana concedeu-lhe o título de "Sir"; foi o primeiro cientista a receber tal honraria.

Isaac Newton morreu em Londres, em 1727. Seus restos mortais repousam até hoje na Abadia de Westminster. Em sua homenagem foi erguida, em Cambridge, uma estátua com os dizeres: ”Ultrapassou os humanos pelo poder de seu pensamento”.

Gottfried Wilhelm Leibniz (1646 - 1716)

Filho de Friedrich Leibniz, professor de filosofia na Universidade de Leipzig, Alemanha, Gottfried Wilhelm Leibniz nasceu em 1646 na cidade de mesmo nome. Embora tenha perdido o pai com apenas 6 anos de idade, desde pequeno Leibniz mostrou profunda aptidão pela leitura, tendo lido quase toda a imensa coletânea de livros deixados por seu pai, muitos dos quais em latim, língua que ele aprendeu por conta própria.

Com apenas 15 anos ingressou na universidade na qual seu pai lecionava, tendo obtido o grau de mestre em filosofia com 17 anos de idade e o de bacharel em Direito em 1666, aos 20 anos. No mesmo ano, publicou seu primeiro livro, A Arte das Combinações, no qual propôs que todo o raciocínio humano é a combinação de conceitos infinitesimais.

De forma totalmente independente de Newton, Leibiniz desenvolveu o cálculo diferencial e integral, razão pela qual ele ocupa uma posição de destaque na Matemática. Outra de suas importantes contribuições, foi a invenção de uma das pimeiras máquinas de calcular, por ele batizada “Calculador em Degraus” (“Stepped Reckoner”), capaz de realizar as operações de soma, subtração, multiplicação e divisão.

A Leibiniz é creditada uma gama de contribuições igualada por poucos nos mais diversos ramos da ciência. Merecem menção suas obras sobre Matemática (Cálculo e Lógica Matemática, sobretudo), Filosofia, Física, Metafísica, Engenharia, Economia, Geologia, Psicologia, Direito, Ciências Sociais e até mesmo em Biblioteconomia.

Leibiniz morreu em Hanover, Alemanha, em 1716, aos 70 anos de idade.

* Lino de Freitas é professor da Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE)

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas