;
Religião

11/07/2018 | domtotal.com

Aberta canonização de antigo superior mundial dos jesuítas

Causa de canonização do padre Pedro Arrupe começa em Roma.

Anúncio foi feito pelo superior geral da Companhia de Jesus, Arturo Sosa.
Anúncio foi feito pelo superior geral da Companhia de Jesus, Arturo Sosa. (Reprodução)

O superior geral da Companhia de Jesus anunciou nesta quarta-feira (11) a abertura da causa de canonização do padre Pedro Arrupe, que foi responsável mundial dos Jesuítas entre 1965 e 1983.

“Começámos, de forma empenhada, o processo de beatificação do padre Pedro Arrupe”, afirmou o padre Arturo Sosa, numa reunião em Bilbau, terra natal do antigo prepósito-geral da Companhia de Jesus, onde estavam reunidas várias centenas de jesuítas e leigos do norte da província espanhola.

O portal ‘Ponto SJ’, dos jesuítas portugueses, noticia que o processo vai ser iniciado na Diocese de Roma, onde faleceu o padre Pedro Arrupe.

“Para nós é uma figura de grande importância e queremos sublinhar que viveu a santidade de uma forma muito profunda e original em toda a sua vida: como jovem, como jesuíta, como mestre de noviços, como provincial e geral”, disse o padre Arturo Sosa, 31.º superior geral da Companhia de Jesus e o primeiro sucessor de Santo Inácio de Loiola nascido fora da Europa.

A tramitação do processode santidade de um católico morto com fama de santo passa por etapas bem distintas.

Pelo menos cinco anos após a sua morte, qualquer católico ou grupo de fiéis pode iniciar o processo, através de um postulador, constituído mediante mandato de procuração e aprovado pelo bispo local.

Aos bispos diocesanos compete o direito de investigar acerca da vida, virtudes ou martírio e fama de santidade ou de martírio, milagres aduzidos, e ainda, se for o caso, do culto antigo do Servo de Deus, cuja canonização se pede.

Este levantamento de informações é enviado à Santa Sé: se o exame dos documentos é positivo, o “servo de Deus” é proclamado “venerável”.

A segunda etapa do processo consiste no exame dos milagres atribuídos à intercessão do “venerável”; se um destes milagres é considerado autêntico, o “venerável” é considerado “beato”.

Quando após a beatificação se verifica um outro milagre devidamente reconhecido, o beato é proclamado “santo”.

A canonização, ato reservado ao Papa, é a confirmação por parte da Igreja de que um fiel católico é digno de culto público universal (no caso dos beatos, o culto é diocesano ou do âmbito de uma congregação religiosa) e de ser dado aos fiéis como intercessor e modelo de santidade.

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas