;
ESDHC

17/08/2018 | domtotal.com

Seminário transforma Dom Helder em casa nacional dos Direitos Humanos

Foram mais de 30 palestrantes De Minas e de outros estados, lançamentos de livros, sete grupos de trabalho e 14 minicursos em dois dias de trabalhos.

Foram mais de 30 palestrantes De Minas e de outros estados, lançamentos de livros, sete grupos de trabalho e 14 minicursos em dois dias de trabalhos.
Foram mais de 30 palestrantes De Minas e de outros estados, lançamentos de livros, sete grupos de trabalho e 14 minicursos em dois dias de trabalhos. Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Participantes do Seminário Nacional Direitos Humanos como Projeto de Sociedade
Participantes do Seminário Nacional Direitos Humanos como Projeto de Sociedade Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Participantes do Seminário Nacional Direitos Humanos como Projeto de Sociedade
Participantes do Seminário Nacional Direitos Humanos como Projeto de Sociedade Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Professor Kiwonghi Bizawu com o livro de sua autoria, de João Batista Moreira e José Adércio 'O processo de Constituição do Desenvolvimento Sustentável'
Professor Kiwonghi Bizawu com o livro de sua autoria, de João Batista Moreira e José Adércio 'O processo de Constituição do Desenvolvimento Sustentável' Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Professor João Batista faz a abertura dos últimos painéis da noite
Professor João Batista faz a abertura dos últimos painéis da noite Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Aluno da Dom Helder mostra game de Direitos Humanos para participantes do seminário
Aluno da Dom Helder mostra game de Direitos Humanos para participantes do seminário Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
O professor Alexandre Bernardino Costa faz a abertura do VII painel da noite
O professor Alexandre Bernardino Costa faz a abertura do VII painel da noite Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Palestrante Julienne Andrade Widmarck fala do painel
Palestrante Julienne Andrade Widmarck fala do painel "As experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos econômicos e sociais" Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Palestrante Fabiana Goulart de Oliveira fala do painel
Palestrante Fabiana Goulart de Oliveira fala do painel "As experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos econômicos e sociais" Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Palestrante Jairo dos Santos Pereira fala do painel
Palestrante Jairo dos Santos Pereira fala do painel "As experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos econômicos e sociais" Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Palestrante e professor da Dom Helder Luiz Gustavo Levate fala do painel
Palestrante e professor da Dom Helder Luiz Gustavo Levate fala do painel "As experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos econômicos e sociais" Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Painel VIII falou
Painel VIII falou "As experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos socioambientais e culturais" Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Palestrante Camila Cecilina do Nascimento Martins fala do painel
Palestrante Camila Cecilina do Nascimento Martins fala do painel "As experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos socioambientais e culturais" Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Palestrante Marcilene Aparecida Ferreira fala do painel
Palestrante Marcilene Aparecida Ferreira fala do painel "As experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos socioambientais e culturais" Foto (Patrícia Almada / DomTotal)
Palestrante Walter Ernesto Ude Marques fala do painel
Palestrante Walter Ernesto Ude Marques fala do painel "As experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos socioambientais e culturais" Foto (Patrícia Almada / DomTotal)

Por Rômulo Ávila
Repórter Dom Total

O II Seminário Nacional Direitos Humanos como Projeto de Sociedade transformou a Dom Helder Câmara em um espaço único de debate sobre o tema. O evento, iniciado nessa quinta-feira (16), terminou na noite desta sexta-feira (17) e apresentou novas compreensões sobre Direitos Humanos.

Foram mais de 30 palestrantes (entre mestres, doutores e pós-doutores) de Minas e de outros estados, lançamentos de livros, sete grupos de trabalho e 14 minicursos em dois dias de trabalhos. O seminário contou a participação de estudantes, professores, militantes de Direitos Humanos e representantes da sociedade civil. Os oito painéis de discussão abriram espaço para os estudantes questionar, argumentar e debater sobre os diferentes temas.  

“Vi que, principalmente nos debates, os alunos estavam muito agitados, com os olhos brilhando, querendo falar. No debate do último dia faltou tempo para responder tantas perguntas”, diz a aluna Luiza Helena Martins Saraiva, que cursa o 6º período na Dom Helder.

Organizador do evento, o professor João Batista avalia que o seminário conseguiu apresentar novas compreensões sobre o tema, combatendo a ‘divulgação estrategicamente equivocada e reducionista dos Direitos Humanos’.  Além disso, deu voz aos estudantes, como destacado pela aluna Luiza Helena. “O seminário abriu essa grande possibilidade de trazer novas referências e houve, a meu ver, um interesse muito grande”, disse o professor.

“O grande objetivo, e acredito que alcançamos, era que as pessoas tivessem essa visão ampla e complexa dos Direitos Humanos, partindo de realidades muito plurais. Todos os painéis foram muito ricos, expondo realidades de pessoas que estudam e vivenciam violações dos Direitos Humanos”, pontuou.    

‘Melhor possível’

Luiza Helena foi uma das alunas com presença destacada nos dois dias de trabalho. Participou de oficinas, de GT e posicinou-se nos debates. “Minha avaliação para esse congresso é a melhor possível, ainda mais pelo tema. Uma faculdade com o nome de Dom Helder Câmara não poderia ser diferente. Em tempos sombrios, falar de Direitos Humanos é essencial. Despertar o interesse dos alunos em um congresso cheio nos dá esperança de melhora. Porque daqui vai sair o futuro da sociedade. Ver os alunos engajados nessa luta acalma o coração”, disse a jovem, que elogiou a qualidade das pesquisas. 

“Nas oficinas foram muitos trabalhos importantes. Isso mostra como a Dom Helder apoia a pesquisa. Vi que os alunos estão aí para discutir essas pautas e com uma grande carga de conhecimento”.    

Experiências contra-hegemônicas

O seminário foi encerrado com panéis sobre experiências contra-hegemônicas nos campos dos direitos econômicos, sociais, socioambientais e culturais.  

Participaram do sétimo painel Julienne Andrade Widmarck (UFV); Fabiana Goulart de Oliveira (UNA e Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável); Jairo dos Santos Pereira (membro do Movimento Terra, Trabalho e Liberda de  também do Instituto DH); Luiz Gustavo Levate (procurado de Belo Horizonte - ESDHC); e Alexandre Bernardino Costa (UnB), coordenador do debate.

Já o último painel foi integrado por Camila Cecilina do Nascimento Martins (Membra do Movimento pela Soberania Popular na Mineração; a advogada e professora Marcilene Aparecida Ferreira (Instituto DH); Walter Ernesto Ude Marques (professor da UFMG e da Faculdade Universo); e a professora Beatriz Souza Costa (ESDHC), coordenadora da mesa.

  • Leia mais sobre o seminário

Pesquisadores destacam a importância dos debates sobre Direitos Humanos

Desafios para tornar Direitos Humanos em projeto de sociedade são debatidos

Pesquisadores analisam experiências contra-hegemônicas em diferentes campos

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas