;
Brasil Cidades

21/09/2018 | domtotal.com

Fossa

Cavamos fundo e vemos as fezes se espalharem em quantidades assustadoras, mal-cheirosas e contaminadoras.

O ressentimento como rito de passagem, a virulência como eixo da conduta, a ignorância como substrato do pensamento.
O ressentimento como rito de passagem, a virulência como eixo da conduta, a ignorância como substrato do pensamento. (Reprodução)

Por Eleonora Santa Rosa*

Não estamos apenas no fundo do poço, estamos no fundo do fosso, da fossa, nos dois sentidos, literalmente. Cavamos fundo e vemos as fezes se espalharem em quantidades assustadoras, mal-cheirosas e contaminadoras.

País em profunda depressão, empurrado para o buraco, crônica sensação de melancolia, de desesperança, de falência múltipla das crenças, de total desrespeito à diferença, de tristeza profunda que afunda mais e mais em meio ao desastre do rumo traçado pelo comando do preconceito, do comportamento ofensivo e agressivo, que se alastra pela pandemia da ira.

O ressentimento como rito de passagem, a virulência como eixo da conduta, a ignorância como substrato do pensamento, a baixa estima como chancela de identificação, o medo como princípio, a ordem como mito, a exclusão como meta, a truculência como modus operandi.

Muita coisa em jogo, muito tempo a ser jogado fora, muita cizânia pela frente, muita trincheira a ser cavada em face ao boçalismo do movimento de 'reencarnação' nacional.

Renovada velha ação dos velhacos de sempre, travestidos em postes de outros velhacos de porte, gente encarnada de tédio e ambição, bastiões do assédio, com pavor da sociedade que aflora e se coloca com outros valores, linguagens, demandas, consciência e articulação.

Fossa contaminadora de espécies traiçoeiras, habitada por colônias de vírus que corroem o tecido da sociedade democrática fragilizada por golpes e pancadas, portadoras do mau trato, do mau gosto, do obtuso, do desgosto, do desamor e das fobias mais tenebrosas, do bullying, do bate e rebate de panelas em hino de ofensas.

Tudo contra o doido, tudo contra o coiso, tudo contra o que temos de pior, tudo contra o dragão da maldade, tudo contra a infelicidade, tudo contra a mediocridade, tudo contra a instabilidade, tudo contra a opacidade, tudo contra a aterrorizadora possibilidade de vingar a vingança como legado.

Não ao atraso, não à marcha-ré, não à cultura do desprezo, não à nação sob a égide da homofobia, do racismo, da discriminação! Não à desumanidade!

* Jornalista e produtora cultural

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas