;
ESDHC

07/12/2018 | domtotal.com

É Natal na Dom Helder e na EMGE

Conheça a verdadeira história da árvore de Natal.

Foi inaugurada a decoração natalina no saguão da DHC e da EMGE.
Foi inaugurada a decoração natalina no saguão da DHC e da EMGE. Foto (Gilmar Pereira/ Dom Total)
A tradição conta que a árvore de Natal tem suas origens na região da atual Alemanha.
A tradição conta que a árvore de Natal tem suas origens na região da atual Alemanha. Foto (Gilmar Pereira/ Dom Total)
Decoração antiga era das árvores era feita com frutas, flores e doces, o que hoje substituímos por bolas, laços e outros objetos.
Decoração antiga era das árvores era feita com frutas, flores e doces, o que hoje substituímos por bolas, laços e outros objetos. Foto (Gilmar Pereira/ Dom Total)
Membros da comunidade acadêmica garantem suas fotos junto à decoração.
Membros da comunidade acadêmica garantem suas fotos junto à decoração. Foto (Gilmar Pereira/ Dom Total)
O símbolo de vida que a árvore de Natal comporta é o mais forte de suas significações, principalmente pelo abeto ser sempre verde.
O símbolo de vida que a árvore de Natal comporta é o mais forte de suas significações, principalmente pelo abeto ser sempre verde. Foto (Gilmar Pereira/ Dom Total)

Por Gilmar Pereira
Equipe Dom Total

Dezembro avança e a Dom Helder Escola de Direito e a Escola de Engenharia (EMGE) também entraram no clima de Natal. Foi inaugurada a decoração natalina no saguão de entrada nesta quinta-feira (06/12), tendo como principal destaque a árvore.

µClique na imagem e veja o álbum de fotos

Embora as atividades acadêmicas de 2018 estejam chegando ao término, as instituições continuam em pleno funcionamento e os que passam pelo espaço estão garantindo suas fotos junto à decoração. Com cerca de três metros, a árvore de Natal foi toda enfeitada com motivos em prata e dourado, combinando com as pequenas luzes que adornam a fachada.

Para a Igreja, a preparação do Natal começa quatro domingos antes, dando início ao período chamado de Advento, o que este ano se deu a 02 de dezembro. Embora o comércio já se cubra com pisca-pisca, festão e neve artificial bem antes, é nesse período que se montam as decorações. Para os católicos, os enfeites são retirados no fim do tempo litúrgico do Natal, na festa dos Santos Reis (06/12) que foram à Belém presentear Jesus.

A origem da árvore de Natal

A tradição conta que a árvore de Natal tem suas origens na região da atual Alemanha, evangelizada por São Bonifácio. O santo, em sua tarefa de conversão de celtas, teria suplantado o simbolismo do carvalho pelo de outra árvore, o abeto.

Na sociedade celta, havia a figura dos druidas, sábios encarregados da filosofia, ensino, aconselhamento, rituais e orientações jurídicas. A natureza era a fonte de sua sabedoria e religião, o que justifica seu apreço pelo carvalho. Como árvore grande e mais antiga de uma floresta, sua sabedoria incluía o conhecimento de todas as outras. Daí o nome druida significar “aquele que possui a sabedoria do carvalho”.

As histórias sobre Bonifácio contam que os druidas praticavam rituais de sacrifícios humanos junto ao carvalho e que o santo teria combatido tais práticas. Em sua evangelização, usaria o abeto como recurso didático em suas pregações. Como o abeto é uma árvore do tipo conífera, seu formato “triangular” ajudava a falar sobre a Santíssima Trindade; possuindo uma ponta no seu topo, apontaria para o céu e serviria para lembrar de Deus; seus ramos sempre verdes, mesmo no inverno, traduziriam a vida em Cristo. Desse modo, o evangelizador substituiria não só o abeto pelo carvalho, mas os sacrifícios humanos pela celebração da vida nova em Cristo, o culto pagão ao sol pela devoção ao menino Jesus (“Sol nascente que veio nos visitar”, nas palavras bíblicas), os ritos na floresta pela comemoração nas casas.

Lutero e as luzinhas

O símbolo de vida que a árvore de Natal comporta é o mais forte de suas significações, principalmente pelo abeto ser sempre verde. Por isso, sua decoração antiga era feita com frutas, flores e doces, o que hoje substituímos por bolas, laços e outros objetos. Já os atuais pisca-piscas remontam a outra história.

Conta-se a lenda de que as luzes como enfeite iniciaram com Martinho Lutero. Segundo a lenda, Lutero estaria caminhando por um bosque e preparando seu sermão numa noite estrelada. A inspiração foi tão grande dado o tamanho da beleza do que via que, ao chegar em casa, teria tentado recriar sua visão com pequenas velas postas junto aos ramos de um abeto.

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas