Mundo

07/01/2019 | domtotal.com

Maduro defende sua legitimidade, e chancelaria critica EUA

Governante socialista publicou a mensagem com uma foto dele na frente de uma multidão de apoiadores.

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em 31 de dezembro de 2018 em Caracas
Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, em 31 de dezembro de 2018 em Caracas (Venezuelan Presidency/AFP)

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, defendeu sua legitimidade neste domingo, depois que o Parlamento, controlado pela oposição, declarou que seria um "usurpador" quando assumir um novo mandato na quinta-feira.

"A Revolução Bolivariana chegou ao poder através de meios democráticos há 20 anos e foi ratificada com 23 vitórias eleitorais. A legitimidade nos foi dada pelo povo com o seu voto, aqueles que tentam dobrar a nossa vontade, não se enganem. A Venezuela será respeitada!", escreveu Maduro no Twitter.

O governante socialista publicou a mensagem com uma foto dele na frente de uma multidão de apoiadores.

Depois de tomar posse neste sábado, o presidente do Legislativo, o deputado da oposição Juan Guaidó declarou Maduro um "usurpador" e prometeu criar condições para um "governo de transição" para convocar eleições.

Em um comunicado divulgado neste domingo, o Ministério das Relações Exteriores acusou porta-vozes do governo de Donald Trump de desencadear "ações hostis" contra o presidente após o endosso de Washington ao Parlamento.

"A Venezuela mais uma vez denuncia à comunidade internacional a tentativa do governo dos Estados Unidos de consumar um golpe (...) promovendo o não reconhecimento de instituições legítimas e democráticas", afirma o documento.

O porta-voz do Departamento de Estado americano, Robert Palladino, expressou neste sábado seu "apoio à Assembleia Nacional", ao defini-la como "a única instituição legítima" na Venezuela.




AFP

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas