Brasil Cidades

04/02/2019 | domtotal.com

A hidroginástica e o fio dental

Mas eis que um dia o panorama mudou.

Tudo com a terceira idade de olho.
Tudo com a terceira idade de olho. (Pixabay)

Por Afonso Barroso*

Aquele bom homem, já um tanto avançado na idade e mais ainda nas ilusões perdidas da sexualidade, frequenta uma academia de hidroginástica. Como tem certo pavor das doenças comuns à velhice, atendeu à recomendação do médico e resolveu praticar a ginástica aquática.

Geriatra muito competente, o doutor chegou até a citar Hipócrates, que disse ser o modelo grego também da medicina aeróbica, ao dar explicações sobre os benefícios dos exercícios feitos dentro d’água. A hidroginástica, ensinou ele, evita o enfraquecimento dos músculos, melhora o condicionamento cardiovascular e o desempenho da coordenação motora, principalmente em pessoas idosas. Melhora também o percentual de gordura no corpo, a respiração e a circulação sanguínea, além de até mesmo combater o estresse. Tudo isso e mais alguns etcéteras que levaram o paciente idoso e paciente a pensar que o doutor fosse sócio de alguma academia do gênero. Chegou a esperar que indicasse uma, mas isso não aconteceu, o que o fez arrepender-se de ter feito mau juízo do médico.

O certo é que aviou a receita numa academia mais ou menos próxima de casa. Matriculou-se, pagou a taxa de inscrição e passou a frequentar as aulas. Não demorou muitos dias para colher os bons resultados da nova prática, sentindo-se cada vez melhor em matéria de disposição física e bem-estar geral.

Tudo transcorria sem incidentes na academia. Nadava de frente e de costas, fazia flexões subaquáticas, mergulhos, exercitava braços, pernas e pescoço, tudo sob orientação de um jovem professor muito entendido na matéria. Nos exercícios coletivos, movimentava-se em uma espécie de balé ou nado sincronizado, ao som de uma música animada.

Mas eis que um dia o panorama mudou. É que chegaram à academia três garotas de tirar o fôlego e a seriedade dos velhinhos – e acho que até das velhinhas que lá estavam. Desvestidas com minúsculos biquínis modelo fio dental, elas definitivamente não pareciam precisar de qualquer tipo de ginástica sub ou sobreaquática. Eram esculturais, e parece que tinham como diversão exibir suas formas e exuberâncias. Não entraram logo na água. Como se estivessem numa passarela, desfilaram sensualmente à beira da piscina, e em seguida, como se estivessem numa praia, estenderam toalhas e deitaram-se languidamente ao sol. Tudo com a terceira idade de olho.

Não sei o que aconteceu aos outros clientes, mas sei o que aconteceu ao nosso amigo, porque ele mesmo contou. Disse ter experimentado algo que o médico não havia incluído nos seus etcéteras: o estímulo da libido.

Durante três dias – ou melhor, três noites – sua mulher o estranhou. Parecia outro. É claro que essa sua nova disposição não fora fruto da hidroginástica, mas das hidrodonzelas.

Mas eis que de repente a espantada e feliz senhora não teve mais motivos para comemorar. Tudo voltou ao que era antes. Acontece que as moças não mais apareceram. Desistiram, porque os proprietários da academia proibiram o uso de fio dental naquele local, considerado impróprio para exibicionismos. De maiô, nem pensar, disseram elas, e cancelaram as matrículas.

A proibição, pelo que se apurou, não foi exigência das esposas dos frequentadores. Muito antes pelo contrário. 

*Afonso Barroso é jornalista, redator publicitário e editor.

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas