Esporte Futebol Mineiro

13/02/2019 | domtotal.com

Levir Culpi cumpre promessa e Atlético avança na Taça Libertadores com drama no Horto

Ao retornar ao Galo, Levir disse que o torcedor 'teria emoção'. Foi assim na vitória por 3 a 2 sobre o Danúbio pela Libertadores.

Ricardo Oliveira marcou dois gols na vitória do Atlético sobre o Danúbio.
Ricardo Oliveira marcou dois gols na vitória do Atlético sobre o Danúbio. Foto (Bruno Cantini / Atlético)
Torcida fez sua parte e gritou pelo Galo na difícil vitória sobre o Danúbio.
Torcida fez sua parte e gritou pelo Galo na difícil vitória sobre o Danúbio. Foto (Pedro Souza / Atlético)
Criança comemora gol do Galo no Independência.
Criança comemora gol do Galo no Independência. Foto (Pedro Souza / Atlético)
Luan marcou o primeiro gol do Atlético na noite de terça no Horto.
Luan marcou o primeiro gol do Atlético na noite de terça no Horto. Foto (Bruno Cantini / Atlético)

O técnico Levir Culpi é um homem de palavra e logo no primeiro mata-mata de 2019 cumpriu a promessa que fez ao retornar ao Atlético em outubro do ano passado: “Vai ter emoção!”. E teve mesmo! O Galo abriu 3 a 0 com 27 minutos do primeiro tempo, mas viu o Danúbio chegar ao 3 a 2 e colocar fogo na partida de volta da segunda fase da Taça Libertadores da América. A torcida, que esgotou os ingressos para ver o duelo no Independência, teve papel fundamental na classificação atleticana. Na ida, em Montevidéu, na semana passada, os times haviam empatado por 2 a 2.

No próximo mata-mata da Libertadores, que dará uma vaga na fase de grupos, o Atlético terá pela frente outro clube uruguaio, o Defensor. Na partida de ida, o Barcelona venceu por 2 a 1, em Montevidéu. O resultado, entretanto, se transformou em um 3 a 0 a favor dos uruguaios por conta da escalação irregular do volante Sebastián Pérez. A punição foi divulgada na noite desta segunda-feira pela Conmebol.

Se avançar novamente, desta vez para a fase de grupos, o Atlético entrará na chave E que já tem Cerro Porteño (Paraguai) Nacional (Uruguai) e Zamora (Venezuela).

Em campo, o Atlético começou de forma tímida, sem fazer tanta pressão no Danubio. As coisas mudaram somente a partir dos 14 minutos, quando saiu o primeiro gol. O meia Cazares arriscou um chute da entrada da área e o goleiro Cristóforo não conseguiu segurar a bola. Luan aproveitou o rebote e fez de cabeça.

Na sequência, Elias quase marcou o seu segundo, mas chegou atrasado na bola após cruzamento de Luan. Quem não perdeu a sua chance foi Ricardo Oliveira. Aos 23 minutos, o centroavante entrou em velocidade na área e foi derrubado pelo goleiro. Ele mesmo bateu com categoria e ampliou a vantagem atleticana.

Ricardo Oliveira não precisou nem de três minutos para balançar as redes novamente. Após lançamento preciso de Cazares do campo de defesa, o centroavante avançou rapidamente para a área, driblou Cristóforo e bateu rasteiro no canto direito para fazer 3 a 0 no placar.

Até o final do primeiro tempo, o Atlético tinha o jogo nas mãos. Chegou a perder mais uma oportunidade com Chará, mas foi para o intervalo com o gosto amargo de ter sofrido um gol nos acréscimos. Patric fez falta dentro da área em Onetto e Grossmüller não deu chances de defesa para Victor na cobrança.

Segundo tempo

Para a segunda etapa, o técnico Levir Culpi demonstrou preocupação com o cartão amarelo recebido por Patric no lance do pênalti e colocou Guga na lateral direita. O problema é que o Atlético parou de jogar e o Danúbio se aproveitou para pressionar. Aos 12 minutos, Pablo Siles acertou um forte chute da intermediária e colocou a bola no ângulo direito de Victor para fazer 3 a 2 e por pressão nos brasileiros.

O gol dos uruguaios anestesiou o Atlético por vários minutos. Para sorte dos mineiros, o Danubio buscava as jogadas de ataque de qualquer jeito e pouco fez para buscar o empate que o classificaria. Do outro lado, os contra-ataques ficaram à disposição, mas Chará e Ricardo Oliveira não conseguiram marcar o gol que daria de vez um grande alívio a todos no Independência. Mas a vaga foi garantida.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO 3 x 2 DANUBIO-URU

ATLÉTICO - Victor; Patric (Guga), Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson, Elias (Zé Welison) e Cazares; Chará, Luan (Maicon Bolt) e Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi.

DANUBIO-URU - Cristóforo; Sergio Felipe, Renzo Ramírez (Ghan), Goñi e Leandro Sosa; Montes, Pablo Siles, Dennis Olivera (Maicol Ferreira) e Onetto; Grossmüller e Federico Rodríguez (Juan Gutiérrez). Técnico: Marcelo Méndez.

GOLS - Luan, aos 14, Ricardo Oliveira, aos 25 (pênalti) e aos 27 e Grossmüller (pênalti), aos 45 minutos do primeiro tempo; Pablo Siles, aos 12 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Elias, Fábio Santos e Patric (Atlético-MG); Maicol Ferreira, Juan Gutiérrez e Dennis Olivera (Danubio-URU).

ÁRBITRO - Patrício Loustau (Fifa/Argentina).

RENDA - R$ 772.179,00.

PÚBLICO - 22.205 torcedores.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).


Agência Estado/DomTotal.com

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas