Brasil Cidades

18/02/2019 | domtotal.com

Cidades paulistas contabilizam prejuízos após fortes chuvas

A situação mais crítica é da cidade de Mauá, onde quatro crianças morreram soterradas, vítimas de deslizamento de terra.

Chuvas causaram transtornos em São Paulo e em várias cidades do interior do estado.
Chuvas causaram transtornos em São Paulo e em várias cidades do interior do estado. (Rovena Rosa/Agência Brasil)

Municípios da grande São Paulo e do litoral paulista contabilizam os prejuízos causados pelas fortes chuvas do fim de semana. A situação mais crítica é da cidade de Mauá, onde quatro crianças morreram soterradas, vítimas de deslizamento de terra.

A Defesa Civil interditou, em Mauá, 20 moradias que também apresentavam riscos. As famílias desalojadas foram levadas para o Ginásio da Vila São João e receberam 60 cestas básicas, 35 colchões, 35 lençóis, 30 conjuntos de higiene pessoal e lonas.


Na capital paulista, houve deslizamento de terra proveniente de um talude com aproximadamente 10 metros de altura, segundo a Defesa Civil, na Avenida Jacu Pêssego, Jardim Nova Conquista. Duas faixas da avenida chegaram a ser interditadas.

Em São Caetano, foram registrados vários pontos de alagamentos de vias e quedas de árvores. Cinco casas na rua Tietê ficaram alagadas. Vinte pessoas ficaram desabrigadas e se mudaram para a casa de parentes.

Litoral

Em Peruíbe, no litoral paulista, a água invadiu 46 casas e 80 pessoas ficaram desabrigadas.

Metade das pessoas foi acolhida no Núcleo de Ações Educativas Sociais das cidades e o restante foi para a casa de parentes.

Entre os bairros mais atingidos estão Caraguava, Jardim das Flores, Ribamar, Arpoador II e São João Batista II. Não houve vítimas.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o tempo continuará instável na Região Metropolitana de São Paulo, com chuvas e temperaturas em elevação em todo o estado.


Agência Brasil

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas