Mundo

22/02/2019 | domtotal.com

ONU informa que 3,4 mi de venezuelanos já deixaram o país

No total, cerca de 2,7 milhões de venezuelanos encontraram refúgio em países vizinhos

Imigrante venezuelana chora em estrada entre Cúcuta e Pamplona, na Colômbia
Imigrante venezuelana chora em estrada entre Cúcuta e Pamplona, na Colômbia (AFP)

Cerca de 3,4 milhões de venezuelanos fugiram de seu país desde o início da crise política e econômica, e o fluxo de saídas não diminui, anunciou a ONU nesta sexta-feira.

Em um comunicado conjunto, o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (Acnur) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM) informaram que, no total, cerca de 2,7 milhões de venezuelanos encontraram refúgio em países vizinhos, como Colômbia e Peru, enquanto o restante foi para outros países fora da América Latina.

Em média, no ano de 2018, 5.000 pessoas deixaram a Venezuela a cada dia.

Com base nesses números, a ONU declarou em dezembro que espera que o número de pessoas fugindo do país atinja os 5,3 milhões no final desse ano.

A Colômbia recebeu 1,1 milhão de refugiados e migrantes venezuelanos, seguida pelo Peru, com 506.000 pessoas, Chile 288.000, Equador 221.000, Argentina 130.000 e Brasil 96.000.

"Os países da região estão demonstrando grande solidariedade em relação aos refugiados e migrantes da Venezuela (...) Mas esses números ressaltam os desafios que pesam sobre as comunidades de acolhida e as necessidades permanentes de apoio da comunidade internacional", declarou Eduardo Stein, representante especial do Acnur e da OIM para os refugiados e migrantes da Venezuela.

O êxodo de venezuelanos fugindo da situação econômica desastrosa no país é considerado pela ONU o mais maciço da história recente da América Latina.

A Venezuela possui as maiores reservas de petróleo do mundo, mas está asfixiada por uma profunda crise econômica e é alvo de sanções financeiras dos Estados Unidos.


AFP

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas