Esporte Futebol Mineiro

17/03/2019 | domtotal.com

Atlético e América-MG revivem o 'Clássico das Multidões' em tarde de decisão no Mineirão

Galo e Coelho disputam o primeiro lugar do Estadual, o que garante vantagens nas fases eliminatórias. Mais de 40 mil torcedores são esperados no Gigante da Pampulha.

Mais de 40 mil ingressos foram vendidos e a expectativa é de grande público.
Mais de 40 mil ingressos foram vendidos e a expectativa é de grande público. (Bruno Cantini/Atlético)

O Atlético é o líder do Campeonato Mineiro com 22 pontos. Com 21 e em 3º lugar está o América-MG. O jogo deste domingo entre os tradicionais rivais, às 16h (de Brasília), no Mineirão, significa a luta pela primeira colocação geral, o que dará a vantagem nas fases eliminatórias do Estadual. 

E mais! O jogo estará recheado de nostalgia. Com mais de 40 mil ingressos vendidos, Galo e Coelho vão reviver o 'Clássico das Multidões', o maior de Minas Gerais até a metade do século 20. O público é muito bom, levando-se em conta que o Atlético vem de duas derrotas na Taça Libertadores e o América-MG foi eliminado da Copa do Brasil. 

Na história do clássico foram 406 jogos com 201 vitórias do Atlético, 104 vitórias do América e 101 empates. O Galo marcou 709 gols e o Coelho, 503. 

Galo com força total

Para o jogo contra o América-MG, o técnico Levir Culpi colocará força total em campo. Sem jogo da Taça Libertadores no meio desta semana, o treinador vai com seu grupo principal para o clássico. O treinador atleticano ganhou boas novidades: Rafael Papagaio e Maicon Bolt foram liberados e estão com o elenco para a partida. 

O time titular deve sofrer alterações em relação aos jogos anteriores, devido à queda de rendimento técnico na Libertadores. Porém, como o treino foi fechado, nada pôde ser confirmado.

A expectativa é que Levir abandone o fracassado esquema com três volantes e, finalmente, entre com Guga na lateral direita desde o início. Com isso, Patric deixa o time titular. O mesmo destino deve ter Elias que pode dar lugar ao uruguaio Terans ou ao colombiano Chará.  

Atenção no Coelho

Pelo lado americano, existe o receio de o momento ruim na Copa Libertadores seja descontado no clássico, dando mais motivação aos atletas. O zagueiro Paulão pediu atenção do grupo.

"Estamos totalmente preparados. Vínhamos conversando sobre isso nos últimos dias e sabíamos que o jogo desta semana do Atlético pela Libertadores seria importante para eles e também para nós. Pudemos observar e ver que eles precisarão reverter o momento ruim. Então, precisamos estar cientes disso e ter ainda mais atenção, pois eles podem vir com uma postura totalmente diferente do que vinham atuando nos jogos anteriores", finalizou.

Compadres desde os anos 70

Dois compadres vão se encontrar neste domingo no Mineirão. Eles são vizinhos, mas vão separados ao estádio. Em duelo que vale a liderança do Campeonato Mineiro, os amigos de longa data Levir Culpi e Givanildo de Oliveira estarão temporariamente em lados opostos no confronto entre Atlético e América, ocupando as respectivas áreas técnicas.

Os técnicos veteranos - Givanildo está com 70 anos, quatro a mais do que Levir - moram no mesmo hotel e convivem de perto no mundo do futebol desde a década de 1970, quando atuaram juntos pelo Santa Cruz, naquele que é considerado o maior time da história do clube pernambucano, o semifinalista do Campeonato Brasileiro de 1975.

"Aprendi muitas coisas sobre futebol ao lado de tantos craques. Givanildo era o capitão do Santa Cruz e foi convocado para a seleção brasileira nos anos 70", disse Levir, ao Estado, relembrando o período em que foi zagueiro do Santa Cruz, de 1974 a 1976, conquistando o título estadual no último ano.

Essa passagem também foi produtiva fora de campo, com Levir aproveitando o longo período de afastamento dos gramados por causa de uma lesão para estudar Educação Física, além de estreitar os laços com Givanildo. O incansável meio-campista se consagrou como um dos ídolos históricos do clube em duas passagens, de 1969 a 1976 e entre 1977 e 1979. E faturou sete estaduais com a camisa tricolor no período, também vencendo o Torneio Bicentenário dos EUA e a Taça do Atlântico pela seleção.

"É uma amizade que continua. Normalmente, quando me perguntam de outro treinador, eu não posso dizer que sou amigo. Mas do Levir, sim, sou amigo dele, isso eu posso dizer", disse Givanildo.

A identificação com o Santa Cruz se repete hoje para Givanildo como técnico do América, enquanto Levir é um dos principais treinadores da história atleticana. E o destino os aproximou novamente no segundo semestre de 2018, quando foram contratados pelos clubes com objetivos claros no Brasileirão: evitar o rebaixamento do América e classificar o Atlético à Copa Libertadores. Mas só Levir teve êxito na tarefa.

Eles, porém, permanecem em Belo Horizonte para a temporada 2019. "Hoje estamos morando no mesmo hotel em BH, ele treinando o América e eu o Atlético, pode? Já estamos curtindo nossos netinhos e curtindo uma amizade que está próxima de ser cinquentenária", comenta Levir.

Em mais uma coincidência nas suas trajetórias, ambos estão na quinta passagem pelos clubes, sendo que Givanildo é o segundo técnico que mais vezes comandou o América - 251 jogos - e Levir ocupa o terceiro posto na lista dos que mais treinou o Atlético - 313. Só que apenas uma vez se enfrentaram por esses clubes, em 2015, com triunfo americano por 2 a 1.

Até por isso, Levir prefere desconversar ao comentar as qualidades do treinador amigo e adversário. "As virtudes que eu vejo nele talvez sejam os meus defeitos", brinca o atleticano, que vê o futebol como um catalisador de amizades. "Agradeço aos deuses do futebol por encontrar pessoas que participaram da minha formação como pessoa e o prazer de encontrá-las como este 'lazarento' do Givanildo".


FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO X AMÉRICA-MG

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Data: Domingo, 17 de março de 2019

Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Emerson Almeira Ferreira

Assistentes: Celso Luiz da Silva e Ricardo Junio de Souza

ATLÉTICO - Victor, Guga (Patric), Rever, Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson, José Welison, Luan e Cazares; Terans (Elias ou Chará) e Ricardo Oliveira.

Técnico: Levir Culpi.

AMÉRICA - Fernando Leal, Silva, Diego Jussani, Paulão, João Paulo, Christian Sábio, Juninho, Marcelo Toscano, Matheusinho, Felipe Azevedo e Júnior Viçosa.

Técnico: Givanildo Oliveira.


Gazeta Esportiva/Agência Estado/DomTotal.com

EMGE

*O DomTotal é mantido pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Engenharia Civil conceito máximo no MEC. Saiba mais!

Comentários

Instituições Conveniadas