13 Jan 2019 | domtotal.com

Férias fake: o que você quer contar

Se faz parte da postura do ser humano se comparar a outros, sejamos realistas: o vizinho faz sempre questão de mostrar como sua grama é mais verde.

Não é raro que pessoas trabalhem sua própria imagem de forma a transmitir a falsa impressão de que a vida vai muito bem. 'A minha é mais interessante que a sua'.
Não é raro que pessoas trabalhem sua própria imagem de forma a transmitir a falsa impressão de que a vida vai muito bem. 'A minha é mais interessante que a sua'. (Mateusz Dach)

Por Nany Mata

"Algumas pessoas postando fotos de praia, mas a gente sabe que elas só ficaram dois dias", brincou Pe. Fábio de Melo em seu Twitter há alguns dias. É cômico, porém também trágico. 

Não pelo fato de que pessoas publiquem imagens de suas férias por uma, duas, três semanas ou um ano. Mas pelo que representa em relação à necessidade de se construir uma imagem pública que se encaixa às expectativas.

Me parece comum que tenhamos gatilhos que influenciam diretamente em nossa confiança. Um elogio pode te fazer sentir melhor, enquanto uma crítica pode ser o suficiente para te causar desânimo ou mesmo, dependendo do autor dela, te fazer desistir.

Aquela foto da prima em Fernando de Noronha, o colega de trabalho que tem um corpo impecavelmente dentro dos padrões de beleza ou o carro novo que um amigo acaba de aparecer no seu feed podem cair como uma bomba na autoestima de alguém. 
Pessoas fake

Se faz parte da postura do ser humano se comparar a outros, sejamos realistas: o vizinho faz sempre questão de mostrar como sua grama é mais verde. As redes sociais estão aí par coroar este ciclo. 

Não é raro que pessoas trabalhem sua própria imagem de forma a transmitir a falsa impressão de que a vida vai muito bem. "A minha é mais interessante que a sua". Muitas vezes, o que se publica está muito mais ligado ao que se gostaria de ser do que ao que se é. 

Tem aplicativo para transformar a barriga em tanquinho com um toque. Isso sem falar em maquiagem, clareamento dos dentes, melhoria do aspecto dos cabelos. Praticamente uma plástica virtual. 

Você pode ser quem quiser nas suas redes sociais, mesmo que não faça o menor esforço para se tornar aquela pessoa. Afinal, é mais fácil usar um aplicativo do que fazer dieta ou malhar.
Férias fake

O UOL publicou uma matéria em que dá até nome para um desses comportamentos: férias fake. 

Viagens, carros, restaurantes caros, tudo o que a sociedade atual valoriza é o que vai construir seu personagem. Sua vida será objeto de desejo, bem como você. Trata-se de uma competição por likes: quem é mais curtido tem a vida mais perfeita. Simples assim.
Ninguém quer se sentir diminuído nas redes sociais, mas é assim que muitas pessoas acabam se sentindo. Segundo uma pesquisa do Booking.com, 18% dos entrevistados assumiram já ter publicado uma imagem antiga de férias, fingindo ser atual, por julgar estar mais atraente nela. 

Acredito que o problema não esteja em construir esse personagem, mas além: em não estar bem consigo mesmo. Os sinais da idade, uma verba menor que te obrigou a ir para um destino de férias mais barato, isso não tem que ser um problema, faz parte. O que vai fazer diferença é a forma como você lida com tudo isso. 

Se você reparar bem, todas as gramas têm a mesma cor. 

Nany Mata
Jornalista, especialista em Comunicação Corporativa e Inbound Marketing. Acredita nos Direitos Humanos, na luta feminista e LGBT. Não se acanha em ser acusada de defensora de bandidos ou utópica. Trabalhou e é voluntária da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), entidade sem fins lucrativos que visa a humanização no cumprimento da pena e a ressocialização de indivíduos que cometeram delitos.
Comentários
+ Artigos
Instituições Conveniadas