26 Abr 2019 | domtotal.com

Políticas públicas à base de memes


A escola, quando pesquisa, fornece elementos sobre a nossa realidade que podem embasar com certo nível de precisão nossas ações.
A escola, quando pesquisa, fornece elementos sobre a nossa realidade que podem embasar com certo nível de precisão nossas ações. (Pixabay)

Por Marcel Farah

A escola, instituição social, ajuda a nos preparar para o mundo. Apenas ajuda. Não é suficiente, nem necessariamente imprescindível. Há quem se prepare para o mundo sem a escola, autodidaticamente; há quem mesmo passando pela escola não se sente preparada para o mundo. A invenção da escola teve o sentido de difundir uma forma de pensar. Em determinados períodos esta difusão ocorreu de cima para baixo, por métodos dogmáticos, sem espaços à crítica, em outros períodos a crítica se instalou, e valorizou-se o antagonismo de ideias, o exercício da problematização.

O mais valioso desta experiência histórica, que é a escola, é perceber a essencialidade do erro para se aprender. É perceber que todo conhecimento deve ser considerado, inclusive o popular. É reconhecer que não há verdades, e que a busca da escola ou da ciência, também como instituição social, não deve ser por verdades. A verdade é demasiadamente eterna, e infinita. É muito mais do que cabe em nossas cabeças.

Apesar disso, é possível detectar a mentira, esta é possível desconstruir, contradizer, provar o contrário, ou provar que é mentira toda afirmação que se pretende verdade absoluta. Enfim, se não buscamos a verdade, por compreendermos melhor a limitação do humano, o que buscamos na escola? O que buscamos com a ciência? Emprestando de Boaventura, acredito que buscamos saberes válidos para nossas vidas, pelo tempo que durar esta validade. Daí a importância da pesquisa, aquela parte da escola (principalmente enquanto universidade) que investiga e sistematiza os saberes.

A escola, quando pesquisa, fornece elementos sobre a nossa realidade que podem embasar com certo nível de precisão nossas ações. Podem embasar a ação pública, as políticas públicas.

Certa vez, um jovem, em uma roda de conversa na universidade, disse que a pesquisa o permitiu entender que não é o endurecimento de penas ou a diminuição da maioridade penal que reduzem a violência. Pelo contrário, coisas muito simples que estão faltando no dia a dia das pessoas podem ter efeitos muito maiores e mais concretos no enfrentamento da violência, por exemplo, segundo ele, a instalação de postes de luz em ruas ainda não iluminadas. Um poste contra a violência!

Continuando a conversa, refletimos sobre os tempos atuais em que a universidade e a escola pública, que descobriram esta importância invisível do poste, são duramente atacadas como ineficientes e ideológicas pelos governantes. No mesmo sentido “pacote anticrime”, que facilita a ação violenta da polícia, é visto como resposta ao problema da violência, como se não fosse “mais do mesmo”.

Nossa conclusão, políticas públicas eram baseadas em pesquisas quando as escolas públicas eram valorizadas pelo estado. Hoje, com a perseguição do estado contra as escolas públicas, tendem a ser feitas com memes.

Marcel Farah
Educador Popular
Comentários
+ Artigos
Mais Lidas
Instituições Conveniadas