09 Set 2019 | domtotal.com

Atlético não pode usar reservas no Brasileirão

Se quiser ter chances de disputar a Copa Libertadores 2020, Galo precisa de força máxima no Nacional

Uma das quatro derrotas seguidas do Atlético foi para o Bahia, em pleno Independência. Na ocasião, Galo usou time reserva.
Uma das quatro derrotas seguidas do Atlético foi para o Bahia, em pleno Independência. Na ocasião, Galo usou time reserva. (Bruno Cantini / Atlético)

Por Juliano Paiva

O Campeonato Brasileiro está quase na metade. Neste momento faltam 20 rodadas para o fim. Ou seja, cada time ainda fará 10 jogos em casa e outros 10 fora. O Atlético não pode nem sonhar em colocar time reserva no Brasileirão, pois o risco de ficar de fora da Copa Libertadores 2020 é real e, diria, até provável.

Há quem diga que o melhor é privilegiar a Copa Sul-Americana por faltar só três partidas para ser campeão e, com isso, garantir vaga na Liberta. Considero um erro grave se essa for a estratégia adotada.

Uma noite ruim na Sula e adeus a chance de ser campão ainda este ano e, consequentemente, adeus Libertadores 2020. Para exemplificar o que digo uso um dos melhores times do continente, o Grêmio. O Imortal fez um jogo péssimo contra o Athletico-PR e pagou caro com sua eliminação da Copa do Brasil.

O Atlético está imune a isso? Claro que não! O Galo ainda tem o problema de ser um time comum, bem diferente do Grêmio. Uma partida ruim contra o Colón, ou mesmo numa eventual final em Assunção contra Corinthians ou Independiente del Valle, pode significar sua eliminação da Sula.

Portanto, o Atlético precisa se manter na briga pelo G6 do Brasileirão. Para tanto precisa utilizar força total daqui até o fim do campeonato. As quatro derrotas seguidas no Nacional – o que não acontecia desde 2011 – são um alerta de que o time caiu drasticamente de rendimento. Algo precisa ser feito.

O goleiro vacilou, teve erro de arbitragem, os atacantes perderam muitos gols, um zagueiro, volante ou lateral perdeu a bola onde não devia e por aí vai. Nada disso muda o fato de o Galo não estar pontuando no Campeonato Brasileiro.

Nos últimos três campeonatos, o sexto colocado ficou entre 56 e 59 pontos. Para chegar a 60 pontos, o Atlético precisaria ganhar 11 das 20 partidas restantes. Coincidentemente, o Galo jogará 11 vezes em Belo Horizonte, levando-se em conta o clássico contra o Cruzeiro em que é visitante (veja abaixo).  

Chegar à Libertadores 2020 é possível, mas o Atlético terá que se empenhar, investir no Brasileiro. Isso significa ir com força máxima nas 20 partidas restantes. O Galo não tem mais o direito de errar. É o único que perdeu quatro das últimas quatro partidas. Nem os times da zona de rebaixamento conseguiram tal proeza.

A hora de reagir é agora!

JOGOS EM CASA DO ATLÉTICO

Internacional

Vasco

Ceará

Grêmio          

Santos

Chapecoense

Goiás

Athletico-PR

Corinthians  

Botafogo

JOGOS FORA DO ATLÉTICO

Avaí  

Palmeiras      

Flamengo      

CSA    

São Paulo

Fortaleza      

Cruzeiro        

Fluminense  

Bahia

Internacional

Juliano Paiva
é jornalista formado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atualmente editor do Dom Total, Paiva trabalhou nos jornais O Tempo, Hoje em Dia e no extinto Diário da Tarde, tradicional periódico de Belo horizonte fechado pelos Associados Minas em julho de 2007. No DT, começou como repórter da editoria Cidades, mas, na época do fechamento do jornal, fazia cobertura esportiva. Também foi responsável pela cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro para a Folha de São Paulo no segundo semestre de 2007.
+ Artigos
Instituições Conveniadas