16 Out 2020 | domtotal.com

Redes e eleições - quais são os desafios do campo popular?

A disputa política não deixou de existir, apenas passa a ocorrer com maior intensidade em outro ambiente, o virtual

A internet, nesta disputa, aumenta a pluralidade da comunicação?
A internet, nesta disputa, aumenta a pluralidade da comunicação? (Marcelo Camargo/ABr)

Marcel Farah

As eleições estão em constante transformação. A disputa, em tempos de avançadas tecnologias da comunicação, sofrem mais influencia dos "ecos" das mídias sociais. Esse movimento de deslocamento para o virtual será ainda mais fortalecido pela pandemia e o necessário distanciamento social.

Há questões no ar, o que há de novidade, como serão estas eleições? Como está sendo a campanha eleitoral?

A internet, nesta disputa, aumenta a pluralidade da comunicação? Tem potencial pra isso, mas, dominada por grandes empresas, não é lá esse paraíso.

Com o aumento das possibilidades de influenciar a opinião das pessoas, com a existência de diversos perfis influenciadores nas mídias, a postura das pessoas enquanto eleitores transita da passividade para a atividade. Todo/a eleitor/a pode ser um cabo eleitoral ativo, e quanto maior o seu alcance na rede mais potente pode será a "propaganda".

No limiar, o que dá o tom para campanhas fortes é essa propaganda espontânea, realizada pela força da convicção de pessoas, anônimas, em defesa de seus projetos e ideias. Ou seja, a força ainda está com as maiorias.

Essa nova postura do/a eleitor/a, é importante para o fortalecimento da democracia, afinal é uma forma de participação social ativa. Sem medo das fake news, sabendo que a única arma que poderá detê-las é a democratização das comunicações, é o empoderamento virtual da maioria da população. Será o único meio de se evitar a manipulação. Como sempre foi?

Por outro lado, junto com o aumento do poder de influenciar, advém o dever de responder pelos excessos, por eventuais ofensas, ou seja, a internet não é um mundo sem lei. Ofensas no mundo virtual são tão reais quanto as do mundo concreto.

A disputa política não deixou de existir, apenas passa a ocorrer com maior intensidade em outro ambiente, o virtual. A disputa de fundo ainda é entre o povão e as elites, entre trabalhadores/as e capital. O que determinará se avançaremos ou não com as eleições será a eleição de mais mandatários alinhados aos interesses populares do que nas eleições anteriores.

Logo, não há um mundo real e outro virtual, a realidade é tanto concreta quanto virtual. Tanto em uma quanto na outra, velhos desafios, como a conscientização e a organização dos segmentos explorados, o empoderamento de trabalhadores e trabalhadoras, continuam atuais.

Marcel Farah
Educador Popular
+ Artigos
Comentários