18 Dez 2020 | domtotal.com

Bolsonaro é culpado!

O jogo com as fake news sobre a doença, a China, os males da vacina, os 'maricas', colam

Bolsonaro durante visita Ceagesp, aglomerando pessoas, várias sequer usaram máscara
Bolsonaro durante visita Ceagesp, aglomerando pessoas, várias sequer usaram máscara (Alan Santos/PR)

Marcel Farah

Como podem as pessoas, como demonstrou a pesquisa de dezembro de 2020 não considerarem o presidente Bolsonaro culpado, mesmo que apenas em parte, pelas mortes por Covid-19?

A postura negacionista (que nega a existência da doença gerada pelo novo Coronavírus) do presidente, o aproveitamento político do momento para se fortalecer, tudo em detrimento da saúde da população, se misturaram em uma fórmula que colou.

Bolsonaro continua ileso às críticas que vem sofrendo por quase todos os meios de comunicação. A crítica vinda de dentro do sistema e por seus esteios não tem outro sentido senão fortalecer a ideia de que o inquilino do Planalto é antissistema. A conexão é imediata, se o sistema é causador de tanta desgraça por que ser contra quem é antissistema?

Aqueles partidos e organizações que nasceram da crítica ao sistema perderam seu espaço e credibilidade para este novo personagem, o antipresidente. As esquerdas saíram menores do que entraram nas eleições de 2020.

O jogo com as fake news sobre a doença, a China, os males da vacina, os "maricas", colam. Nosso povo sempre foi mal informado, com formação deficitária, sempre se submeteu a condições precárias de trabalho que afastaram historicamente possibilidades de uma educação reflexiva. Resultado: temos crenças coletivas difíceis de entender, quanto mais de reverter. Lembremo-nos das filas nos caixas com a notícia falsa de cancelamento do bolsa família, do crescimento do terraplanismo, ou da "mamadeira de piroca".

Até a derrota do governo em relação ao auxílio emergencial foi capitalizada por ele. Bolsonaro e seu ministro da economia queriam um auxílio de 200 reais, quem impôs os 600 foi a oposição. Hoje, não há quem explique a manutenção da popularidade do Bozo sem falar do auxílio.

Contudo, não fosse a desarticulação das medidas de prevenção pelo Governo Federal, junto com o exemplo dado, de menosprezo com o perigo da doença, provavelmente teríamos muito menos mortes. Vide a China, um país com população quase 10 vezes a brasileira, teve até agora 5 mil mortes registradas. Ainda que os números chineses estivessem errados em até 10 vezes a menos, eles teriam apenas um terço das mortes brasileiras.

Qual a diferença central? Eles têm um governo que tomou medidas para evitar a propagação da doença e preservar os empregos e a economia como um todo. Ou seja, Bolsonaro é culpado!

Adentraremos 2021 com este cenário. Temos que gritar aos quatro cantos que parcela significativa da culpa é de Bolsonaro. Logo, apoiá-lo em qualquer medida que seja é legitimar esta postura genocida. Se opor a ele, baseado na crítica coerente ao se governo e ao caminho pelo qual o Brasil tem seguido, é uma obrigação moral, ética e política.

Marcel Farah
Educador Popular
+ Artigos
Comentários