28 Jan 2021 | domtotal.com

O inimigo número um

Talvez por efeito colateral do leite condensado, Bolsonaro tem errado além da conta

Advento da CoronaVac aumentou o cacife de João Dória como alterativa do PSDB
Advento da CoronaVac aumentou o cacife de João Dória como alterativa do PSDB (AFP)

Jorge Fernando dos Santos

Como diz o ditado, papagaio que acompanha joão-de-barro vira servente de pedreiro. É o caso do presidente Jair Bolsonaro. Ao incorporar o estilo Trump de fazer política, ele brigou com vários governos, ameaçou os democratas americanos com pólvora e culpou os inventores da pólvora pela pandemia. Agora, ao que tudo indica, terá que amassar o barro sozinho.

Em julho do ano passado, o México organizou um encontro entre países da América Latina e o governo chinês, que apresentou proposta de US$ 1 bilhão para fornecer-lhes vacina contra a Covid-19. O governo brasileiro não se fez representar e sequer justificou a ausência.

Bolsonaro preferiu receitar Cloroquina, acusar Pequim pela disseminação do “comunavírus” e recusar a “vachina”. Apesar de tal estupidez, o embaixador da China declarou esta semana que “a parte chinesa está disposta a manter comunicações com o governo federal do Brasil, com o governo de São Paulo e apoiar em conjunto a parceria entre Sinovac e Butantan”.

Pouco dado à leitura, Bolsonaro certamente nunca leu A arte da guerra, escrito no século IV a.C. pelo estrategista militar Sun Tzu, que por acaso era chinês. Agora, ele precisa pedir desculpas à China e também ao colega Joe Biden, a quem acusou de fraudar as eleições nos EUA. Caso contrário, correrá o risco de ser isolado pelas duas maiores potências do planeta.

Projeto autoritário

Talvez por efeito colateral do leite condensado, Bolsonaro tem errado além da conta. Não bastasse a incontinência verbal, sua falta de bom-senso e de inteligência emocional condenaram o Brasil ao isolamento. Somos hoje uma nação pária no cenário internacional. Muita gente dizia que jamais seríamos uma Venezuela. Ao que tudo indica, corremos o risco de nos tornar algo bem parecido.

Não é para menos. O capitão Bolsonaro já foi um admirador confesso do coronel Hugo Chávez. Tanto que teria pedido ao então presidente Lula que o incluísse numa comitiva a Caracas, onde pretendia conhecê-lo pessoalmente. Agora, a exemplo do líder bolivariano, ele faz média com as Forças Armadas e policiais militares com o claro objetivo de se manter no poder, mesmo que não seja reeleito.

A melhor prova disso foi sua reação frente à tentativa de invasão do Capitólio pelos trumpistas, quando disse que algo pior poderá ocorrer no Brasil, caso as eleições de 2022 sejam decididas no voto eletrônico. Convém lembrar que seus seguidores já soltaram rojões sobre a sede do STF, em Brasília, na tentativa de intimidar o Poder Judiciário. Isso prova que essa gente não brinca em serviço.

O sonho de Bolsonaro é derrotar Lula no segundo turno. Um devaneio sem cabimento. Até porque o advento da CoronaVac aumentou o cacife de João Dória como alterativa do PSDB. No entanto, como disse o mineiro Magalhães Pinto, “política é como nuvem; você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou”.

Outros candidatos vão surgir no horizonte de nuvens carregadas que se desenha, tanto à esquerda quanto à direita. A única coisa certa é que todos terão o objetivo de arrancar o mandrião do poder, antes que seja tarde. Bolsonaro, por sua vez, não precisa de adversários fortes. Tornou-se, por conta própria, o inimigo número um de si mesmo e cedo ou tarde pagará pelos seus erros.

Jorge Fernando dos Santos
Jornalista, escritor, compositor, tem 44 livros publicados. Entre eles Palmeira Seca (Atual), Prêmio Guimarães Rosa 1989; ABC da MPB (Paulus), selo altamente recomendável da FNLIJ 2003; Alguém tem que ficar no gol (SM), finalista do Prêmio Jabuti 2014; Vandré - o homem que disse não (Geração), finalista do Prêmio APCA 2015; e A Turma da Savassi (Miguilim).

O texto reflete a opinião pessoal do autor, não necessariamente do Dom Total. O autor assume integral e exclusivamente responsabilidade pela sua opinião.

+ Artigos
Comentários