20 Ago 2021 | domtotal.com

O que sabemos sobre o Afeganistão?

É curioso o fato de, após 20 anos de guerra contra o terror, e de gastos mais de 1 trilhão de dólares, termos a sensação de que nada se alterou

Grupo fundamentalista islâmico Talibã tomou o poder no Afeganistão após 20 anos
Grupo fundamentalista islâmico Talibã tomou o poder no Afeganistão após 20 anos (Noorullah Shirzada / AFP)

Marcel Farah

O rápido avanço do Talibã (grupo político e religioso) sobre o governo e controle territorial do Afeganistão despertou diversos sentimentos e curiosidades.

Em primeiro lugar, é curioso o fato de, após 20 anos de guerra contra o terror, e de gastos mais de 1 trilhão de dólares, termos a sensação de que nada se alterou. O retorno do Talibã, a rearticulação da Al Quaeda, parece sequestrar de qualquer sentido essa ação de duas décadas de ocupação militar daquele Estado.

Preocupa a situação das mulheres devido à postura ultraconservadora do Talibã. Contudo, segundo palavras de uma feminista afegã, as mulheres lá tinham três inimigos, o Talibã, a ocupação ocidental (leia-se EUA) e a aliança do norte (que domina territórios ao norte do país). Com o fim da ocupação, segundo Tariq Ali, agora teriam apenas dois dos antigos três inimigos. A conferir.

Por um lado, nenhuma retomada tão rápida ocorreria sem apoio popular, portanto estamos falando de um agrupamento político que tem significativo apoio da população. Diversos são os relatos de que, entre os soldados afegãos treinados pelos EUA para função de exército nacional, havia diversos infiltrados do Talibã.

Por outro, o grupo não é unânime, vide o desespero de fuga de diversos, inclusive a partir do registro da terrível imagem de um ser humano caindo de avião após decolagem, ou do cargueiro que transportou além de sua carga para garantir que seus mais de 600 passageiros chegassem ao destino.

Não consigo concordar com a mídia brasileira que, neste aspecto, chegou a dizer que o filme do Rambo explicaria o conflito. Sem comentário para esse tipo de cinismo.

É revelador, entretanto, sabermos que, há algum tempo, diversos membros das forças armadas norte-americanas explicam a inexplicável intervenção militar reconhecendo-a como um dramático insucesso. Fala-se de uma guerra sem sentido, ou que os soldados em território afegão não sabiam quem era o inimigo, não entendiam a complexidade do país - literalmente não sabiam o que faziam lá. A fonte é o documento chamado The Afghanistan Papers. Sugere-se que a principal guerra dos EUA foi com a verdade, nestes últimos 20 anos.

Há registro de aumento da exploração sexual de mulheres pelos soldados, milhares de mortes de civis para alguns, dezenas de milhares para outros até uma centena para algumas ONGs de direitos humanos. Também que aumentou a produção de heroína sob a ocupação norte-americana, estranho, não?

Portanto, por tudo isso, o certo é que pouco sabemos sobre aquele país. Sabemos contudo que os EUA não são o "mocinho" da história como quer sugerir quem comparou essa desastrosa aventura armada com Rambo! Também sabemos que a indústria armamentista agradece imensamente os recursos dispensados com essa guerra sem sentido, que ao fim não resolveu nada. Mérito para os EUA, e demais países que o apoiaram e apoiam.

Leia também:

Marcel Farah
Educador Popular

O texto reflete a opinião pessoal do autor, não necessariamente do Dom Total. O autor assume integral e exclusivamente responsabilidade pela sua opinião.

+ Artigos
Comentários