Placa-Mercosul-Detran-DF

Minas Gerais ‘implanta’ Placa Mercosul, mas mantém modelo antigo até março

Novas placas Mercosul começam a valer em todo o Brasil, para carros zero quilômetro.  Em Minas, Detran adia emissão em 30 dias

Placa-Mercosul-Detran-DF

 

O sistema placas de identificação veicular (PIV) no padrão Mercosul começa a valer em valer em todo o Brasil a partir desta sexta-feira (31),  prazo determinado pela  Resolução nº 780/2019 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).  Em Minas Gerais, contudo, a emissão das novas placas só começa em março. Assim, quem buscar o órgão de trânsito para emplacar o veículo com a antiga placa cinza.

É o que prevê a Portaria nº 49/2020 do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), que iniciou os procedimentos para implantar o novo modelo de placas de identificação veicular (PIV) padrão Mercosul, mas adiou a emissão das novas placas em 30 dias. Assim, no estado , o início será até 2 de março.  Ou seja, teoricamente implantou, mas na prática não.

Definido em 2014 com os países do Mercosul, novo sistema só começou em 2018 no Brasil. Lúcio Távora/ MCidades
Definido em 2014 com os países do Mercosul, novo sistema só começou em 2018 no Brasil. Lúcio Távora/ MCidades

O credenciamento e cadastramento de estampadoras e fabricantes de placas veiculares começou na  quarta-feira (29), data de publicação da portaria.  O Detran-MG tem prazo máximo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30 dias para homologar as empresas.  Durante esse período, os veículos serão emplacados com a placa do sistema atual com três letras e quatro números (AAA-000).

Segundo o órgão,  a data de início do emplacamento com o novo modelo, com quatro letras e três números (AAA-0A00) , será amplamente divulgada posteriormente. Os veículos com placas antigas (cinzas ou vermelhas, por exemplo) podem circular normalmente.   A adoção do novo modelo é obrigatório para os casos de primeiro emplacamento, mas em Minas, nesse período, os novos veículos terão o modelo antigo.

Placa emitida pelo Detran-PR já com o padrão Mercosul: não há mais brasão da cidade ou bandeira do Estado (Foto: Thiago Ventura)
Placa emitida pelo Detran-PR já com o padrão Mercosul: não há mais brasão da cidade ou bandeira do Estado (Foto: Thiago Ventura)

NOVA PLACA

A nova placa será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento. Para quem tiver o modelo antigo, a troca deverá ser feita no caso de mudança de município ou unidade federativa; roubo, furto, dano ou extravio da placa e nos casos em que haja necessidade de instalação da segunda placa traseira.

Nas outras situações, a troca da placa cinza pela do padrão Mercosul não é obrigatória. Com isso, os carros com a atual placa cinza podem continuar assim até o fim da vida útil do veículo.

categorias_placa_carro

O novo modelo apresenta o padrão com quatro letras e três números, o inverso do modelo atualmente adotado no país, com três letras e quatro números. O novo modelo permite mais de 450 milhões de combinações, o que, considerando o padrão de crescimento da frota de veículos no Brasil, pode levar por mais de 100 anos.

Também muda a cor de fundo, que passará a ser totalmente branca. A mudança vai ocorrer na cor da fonte para diferenciar o tipo de veículo: preta para carros de passeio, vermelha para os comerciais, azul para os oficiais, verde para veículos em teste, dourado para os automóveis diplomáticos e prata para veículos de colecionadores.

Fim do lacre

O novo padrão Mercosul também acaba com um item de segurança clássico das placas brasileiras. O tradicional lacre, feito por vistoriadores dos Detran’s foi substituído por um QR Code

Todas as placas deverão ter ainda um código de barras dinâmico do tipo Quick Response Code (QR Code) contendo números de série e acesso às informações do banco de dados do fabricante e estampador do produto. O objetivo é controlar a produção, logística, estampagem e instalação das placas nos respectivos veículos, além da verificação de sua autenticidade.

Novela

Desde que foi decidida a adoção da placa do Mercosul, a implantação no registro foi adiada seis vezes. A decisão foi anunciada em 2014, e a medida deveria ter entrado em vigor em janeiro de 2016. Disputas judiciais levaram ao adiamento da adoção da placa para 2017. Mais prazo foi dado para que os órgãos estaduais de trânsito pudessem se adaptar ao novo modelo e credenciar as fabricantes das placas. O presidente Jair Bolsonaro chegou a afirmar que iria barrar a implantação, mas acabou desistindo da ideia.

categorias_placa_moto
Padrão Mercosul aplicado para Motos, com as diferentes cores

 

 

Modelo faz de 0-100 km / h em 8,4 segundos  (Fotos: Thiago Ventura)

Na casa dos R$ 100 mil, Volkswagen Polo GTS chega ao mercado

Hot hatch alemão ganha motor 1.4 turbo de 150 cv e transmissão automática de seis marchas. Mas a VW cobra muito caro pelo Polo GTS

Modelo faz de 0-100 km / h em 8,4 segundos (Fotos: Thiago Ventura)
Modelo faz de 0-100 km / h em 8,4 segundos (Fotos: Thiago Ventura)

Thiago Ventura

A Volkswagen lançou no mercado a nova versão esportiva Polo GTS (Gran Turismo Sport). O carro já está nas concessionárias, como já mostramos. Vem com bloco 1.4 TSI turbo de 150 cv a 4.500 rpm e 250 Nm de torque já a 1.500 rpm acoplado com a transmissão automática de seis marchas, com borboletas atrás do volante. Segundo a marca, faz de 0-100 km / h em 8,4 segundos e velocidade máxima de 207 km / h. O irmão sedã Virtus GLS chega em fevereiro.


O visual é marcado por para-choque exclusivo, grade com padronagem de colmeia e faróis Full LED, unidos por um filete vermelho. O conjunto tem assinatura de luz formando um C. Logos ‘GTS’ ornam grade, tampa do porta malas e badges nas laterais. Além disso, rodas exclusivas 17″ e detalhes em black piano, com os retrovisores e o aerofólio.

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube8

O interior, como de costume, exibe detalhes em vermelho e costuras nessa cor com volante revestido em couro e na alavanca de câmbio. Os bancos dianteiros tem o logo GLS aplicado em alto relevo: são no formato concha e parcialmente revestidos em couro. Pedaleiras cromadas também completam o visual.

O Polo GTS vem de série com ar-condicionado digital Climatronic, sistema de alarme com comando remoto, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, painel Active Info Display, sistema infotainment Discover Media, computador de bordo, e câmera traseira, dentre outros.

Inclui ainda chave presencial com partida por botão, airbags laterais, assistente de partida em rampa, controle automático de velocidade e saídas de ventilação para fileira de trás e detector de fadiga. Vem também com start-stop, lanternas escurecidas e seletor de modos de condução, equipamentos inéditos na linha.

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube3

Completo, como esse da foto, custa R$ 103.440, valor que inclui o pacote Beats Sound (dois tweeters, subwoofer e amplificador, divisória ajustável do porta-malas e rede para bagagens) que custa R$ 2.400 + pintura metálica cinza por R$ 1.570.

O Blog Veículos/Carro Esporte Clube conferiu o carro de perto numa concessionária da Volkswagen em Belo Horizonte. O carro é visualmente muito bonito e conjunto mecânico promete. Porém, preço na casa dos R$ 100 mil contrasta com o amplo uso de plástico duro no painel e banco de materiais (tecido e couro) muito simples.

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube1

 

 

 

 

 

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube7

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube6

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube5

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube4

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube2

Volkswagen Polo GTS 2020 - foto Thiago Ventura - Carro Esporte Clube8

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Placa emitida pelo Detran-PR já com o padrão Mercosul: não há mais brasão da cidade ou bandeira do Estado (Foto: Thiago Ventura)

Placas Mercosul começam em todo o Brasil até 31 de janeiro

Dez estados brasileiros já aderiram a nova placa veicular do Mercosul.  Novela chega ao fim para todo o Brasil

Placa-Mercosul-2020-Foto-Thiago-Ventura-Carro-Esporte-Clube
Novo padrão Mercosul já é adotado em 10 estados, como o Paraná Foto: Thiago Ventura/DomTotal

Após sucessivos adiamentos, começa a valer a partir do dia 31 de janeiro a obrigatoriedade de uso da placa do Mercosul em todos os estados do país. O prazo atende ao estipulado na Resolução nº 780/2019 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), de julho do ano passado, que determina que as unidades federativas do país devem utilizar o novo padrão de placas de Identificação Veicular (PIV).

Desde a decisão pela adoção da placa do Mercosul, a implantação do registro foi adiada seis vezes. A adoção do sistema de placas do Mercosul foi anunciada em 2014 e, inicialmente, deveria ter entrado em vigor em janeiro de 2016. Em razão de disputas judiciais a implantação ficou para 2017 e depois, adiada mais uma vez para que os órgãos estaduais de trânsito pudessem se adaptar ao novo modelo e credenciar as fabricantes das placas.

As novas placas já são utilizadas na Argentina e no Uruguai. A previsão é que em breve comecem a valer também no Paraguai e na Venezuela. Dos 26 estados brasileiros, já aderiram à nova PIV Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Paraíba, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Rondônia.

Nova placa

A nova placa será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento e, para quem tiver a placa antiga, no caso de mudança de município ou unidade federativa; roubo, furto, dano ou extravio da placa, e nos casos em que haja necessidade de instalação da segunda placa traseira. Quem quiser, poderá espontaneamente trocar pelo novo modelo.

A nova placa apresenta o padrão com quatro letras e três números, o inverso do modelo atualmente adotado no país com três letras e quatro números. Também muda a cor de fundo, que passará a ser totalmente branca. A mudança também vai ocorrer na cor da fonte para diferenciar o tipo de veículo: preta para veículos de passeio, vermelha para veículos comerciais, azul para carros oficiais, verde para veículos em teste, dourado para os automóveis diplomáticos e prateado para os veículos de colecionadores.

Todas as placas deverão ter ainda um código de barras dinâmico do tipo Quick Response Code (QR Code) contendo números de série e acesso às informações do banco de dados do fabricante e estampador da placa. O objetivo é controlar a produção, logística, estampagem e instalação das placas nos respectivos veículos, além da verificação de autenticidade.

Da Agência Brasil

CRLVe-2020

CRLV não será mais impresso a partir deste ano

Detrans de todo o país têm até 30 de junho de 2020 para implantar o CRLV-e. Alguns estados já têm o recurso disponível. 

CRLVe-2020
QR-Code vai substituir a necessidade de porte do CRLV Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou no último dia 31 de dezembro de 2019 a Deliberação 180/2019, que modifica detalhes do uso do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo em meio eletrônico (CRLV-e). Pelas novas regras, o CRLV-e  será expedido em substituição ao CRLV em meio físico, na forma estabelecida Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Os Detrans de todo o país têm até 30 de junho de 2020 para implantar o CRLV-e.

Alguns estados já têm o recurso disponível. Entre eles, Amazonas, Amapá, Ceará, Distrito Federal, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Rondônia, Santa Catarina e Sergipe.

Ou seja, a partir de agora, os Detrans serão dispensados de emitir o certificado tradicional de papel. Quem quiser, por conta própria, poderá imprimir o documento. Para esse exercício (2020), o CRLV tradicional poderá ser utilizado para o licenciamento de veículos. Em outras palavras, aquele documento em papel moeda verde não terá mais valor algum e sim o código QR Code correspondente ao registro do veículo.

O Denatran disponibilizará sistema eletrônico para validação do CRLV-e, ou sua versão impressa, por meio da leitura do código de barras bidimensionais dinâmico (Quick Response Code – QRCode) inserido no documento. Esse #QRCode será gerado a partir de algoritmo específico, de propriedade do Governo, composto pelos dados individuais do veículo obtidos por meio do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavan).
O CRLV-e somente será expedido após a quitação dos débitos relativos a tributos, encargos e multas de trânsito e ambientais, vinculados ao veículo, bem como o pagamento do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestres (DPVAT).

O CRLV em meio físico com modelo previsto na Resolução CONTRAN nº 16, de 06 de fevereiro de 1998, com a alteração dada pela Resolução CONTRAN nº 775, de 28 de março de 2019, poderá ser utilizado para o licenciamento de veículos para o exercício 2020.  Pela nova norma, quem viajar de carro para outro país também deverá providenciar, por conta própria, a versão impressa do CRLV-e.

O Denatran tem prazo de 12 meses para estabelecer procedimentos para aplicação da medida administrativa de recolhimento do CRLV-e. Basicamente, o órgão deverá criar alguma forma de cancelar o QR-Code.

Chevrolet-Onix-Plus-Premier-2020-Vazmenteo-Oleo-Procon

GM tem até dia 6 para se explicar no Procon devido vazamento de óleo no Onix Plus

Após casos de autocombustão, novo sedã compacto da GM apresenta vazamento de óleo. Chevrolet Onix pode passar por novo recall

Chevrolet-Onix-Plus-Premier-2020-Vazmenteo-Oleo-Procon

A Fundação Procon-SP (Programa de Proteção e Defesa do Consumido),  órgão vinculado à Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo de São Paulo, notificou a General Motors (GM) do Brasil para que esclareça sobre problemas apresentados pelo veículo Chevrolet Onix Plus 2020: vazamento de combustível e falha no LED do câmbio.

A notificação foi feita no último 23 de janeiro e a General Motors tinha até sete dias para prestar os esclarecimentos devidos. Contudo, conforme apurou o DomTotal, o prazo foi adiado e agora a montadora tem até a próxima segunda-feira, 6 de janeiro para responder o Procon.

A empresa deverá informar a quantidade dos produtos comercializados, a data e a forma como foi detectado o problema; descrever o defeito e os potenciais riscos aos consumidores; esclarecer as providências adotadas com relação aos proprietários dos veículos para reparar o problema; informar se ocorreram acidentes em decorrência do defeito e em caso positivo, deverá informar também o local, data, vítimas, medidas tomadas, danos, eventuais processos judiciais.

O Procon pede ainda que a GM comprove se houve comunicado de campanha de recall. Segundo o órgão, a notificação visa resguardar os direitos dos consumidores e garantir que não sejam prejudicados. É o segundo incidente com o veículo; antes disso, foram registrados dois casos de autocombustão com o sedã. O sinistro obrigou a marca a fazer um recall.