Toyota-é-condenada-na-Justiça-após-demorar-sete-meses-para-entregar-um-carro

Toyota é condenada por atrasar em 7 meses a entrega de carro

Moradora de Patos de Minas comprou o carro à vista para fazer tratamento de câncer, mas montadora japonesa demorou para entregar o veículo 

A Toyota do Brasil foi condenada a indenizar uma mulher por danos morais, em R$10 mil, e materiais, em R$ 1,6 mil, por ter demorado mais de sete meses para entregar o veículo que a consumidora havia adquirido. A decisão, da 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, confirma quase integralmente a sentença da Comarca de Patos de Minas.

A cliente comprou um Corolla GLi em abril de 2016 e pretendia usar o carro para viajar 400km até o Hospital do Câncer de Barretos, aonde fazia tratamento. Ela pagou integralmente R$54.654,88 pelo carro, após conseguir isenção de IPI e ICMS devido doença. Porém, o carro só foi entregue em 24/11/2016.

Segundo a consumidora, o atraso causou-lhe muito mais que meros aborrecimentos. Ela disse ter sofrido uma enorme angústia e um sentimento de incerteza e frustração quanto ao cumprimento do contrato estabelecido entre as partes, tendo já quitado a parcela inicial.

A Toyota alegou que a demora na entrega do veículo não impediu que a mulher comparecesse aos seus compromissos e que não há comprovação no processo de que houve dificuldade de locomoção e agravamento da doença devido ao ocorrido. Completou, ainda, que meros aborrecimentos e chateações não são justificativas para indenização por danos morais.

Em primeira instância, a Toyota foi condenada em março de 2019 e recorreu ao TJMG, solicitando o cancelamento dos danos morais ou a redução do valor. Contudo, o recurso foi negado.

O relator, desembargador Fernando Caldeira Brant, afirmou que o fato causou à consumidora “muito mais que meros aborrecimentos, mas, com certeza, uma enorme angústia e um sentimento de incerteza e frustração quanto ao cumprimento da obrigação pela empresa, pelos quais merece ser indenizada”.

Para basear seu voto, o magistrado buscou outros processos semelhantes no TJMG. Brant lembrou voto do desembargador Newton Teixeira Carvalho ao decidir manter os R$ 10 mil de indenização à consumidora da Toyota. “A indenização, por danos morais, deve ter caráter reparatório, sem ensejar enriquecimento sem causa, representando, ao ofendido, uma compensação justa pelo sofrimento experimentado e, ao ofensor, um desestímulo à reiteração do ato lesivo”, escreveu Teixeira.

O magistrado reformou a sentença apenas para mudar a data da incidência dos juros sobre as indenizações por danos morais e materiais, que deve ser a partir da citação da empresa. O acórdão foi publicado em 07/04/2020. A Toyota ainda pode recorrer da decisão.

Sebastian-Vettel

Sebastian Vettel anuncia saída da Ferrari ao final da temporada 2020

Piloto alemão teve uma  péssima temporada em 2019 na Fórmula 1 com o brilho da nova estrela Charles Leclerc; Vettel pode ir para Renault ou McLaren

Sebastian-Vettel

A Scuderia Ferrari e Sebastian Vettel decidiram em conjunto não estender o contrato atual para além da data de vencimento atual do final da temporada de Fórmula 1 de 2020. Ou seja, o alemão deixa a Ferrari na próxima temporada: “Meu relacionamento com a Scuderia Ferrari terminará no final de 2020. Para obter os melhores resultados possíveis neste esporte, é vital que todas as partes trabalhem em perfeita harmonia. Eu e a equipe percebemos que não há mais um desejo comum de permanecer juntos ao final desta temporada. Questões financeiras não tiveram parte nesta decisão conjunta. Essa não é a forma que considero certa para fazer boas escolhas e nunca será”, disse o piloto em comunicado. “O que está acontecendo nos últimos meses levou muitos de nós a refletir sobre quais são nossas verdadeiras prioridades na vida. É preciso usar a imaginação e adotar uma nova abordagem para uma situação que mudou. Eu mesmo reservarei o tempo necessário para refletir sobre o que realmente importa quando se trata do meu futuro”, completa.

O diretor da equipe, Mattia Binotto, lamentou a decisão e agradeceu o trabalho de Vettel na equipe até o momento. “Não foi uma decisão fácil, considerando o valor de Sebastian como piloto e como pessoa. Não havia nenhuma razão específica que levou a essa decisão, além da crença comum e amigável de que chegara a hora de seguirmos caminhos separados para alcançar nossos objetivos”, declarou.

Vettel acumula 14 vitórias em Grandes Prêmios, tornando-o o terceiro piloto mais bem-sucedido da Ferrari, além do que mais pontuou. Em cinco anos, o alemão ficou três vezes no terceiro lugar no mundial de pilotos.

A temporada de 2019 foi a pior de Vettel pela Ferrari, ao ter encerrado a temporada com a quinta posição e atrás do companheiro de equipe, o monegasco Charles Leclerc. Os dois, inclusive, tiveram uma série de desentendimentos ao longo do ano. Um dos momentos mais tensos foi a batida entre ambos durante o GP do Brasil, quando ambos abandonaram a prova.

Aos 32 anos, Vettel já passou pelas equipes BMW Sauber, Toro Rosso e Red Bull, pela qual faturou quatro títulos. Chegou à Ferrari em 2015 para substituir Fernando Alonso contratado a peso de ouro. Porém, não conseguiu o sonhado quinto título pela escuderia italiana.

Vettel deve procurar uma nova equipe a partir de 2021 e  Renault e McLaren já sinalizaram interesse no piloto. Charles Leclerc, por sua vez, pode ter a companhia de Daniel Ricciardo, da Renault, ou Carlos Sainz, da McLaren.

E agora? Para qual equipe vai? E quem será o seu substituto?

NOVOS-MOTORES-TURBO-DA-FIAT-E-PROJETO-363

Fiat e Jeep começam a fabricar motores turbo em outubro e Projeto 363 chega em 2021

Fiat Chrysler Automóveis (FCA) terá motores 1.0 e 1.3 turbinados para toda a gama; ‘SUV do Argo’ chega no primeiro trimestre do próximo ano

Entre as novidades, inédito motor 1.0 T da FCA vai equipar linha Fiat

Por Thiago Ventura

A crise do novo coronavírus atrasou mas não cancelou os planos de investimentos da Fiat Chrysler Automóveis (FCA). Em informação que divulgamos em primeira mão, o grupo ítalo-americano confirmou que os novos motores turbinados  começam a ser montados em outubro deste ano em Betim (MG). Além disso, o esperado SUV derivado do Argo (projeto 363) chega no primeiro semestre de 2021.

As informações foram confirmadas pelo assessor-técnico da FCA, Ricardo Dilser, durante uma live. Os novos motores serão utilizados em toda  a gama Fiat e Jeep. A saber, são 1.0 três cilindros e 1.3 quatro cilindros turbinados.

A nova gama de motores 1.0 (três cilindros – T3) e 1.3 (quatro cilindros – T4) GSE turbo da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) virá acoplada com transmissão automática continuamente variável (CVT). Ainda não há informação oficial sobre a potência dos novos motores. Aposta dos nossos amigos do @AutosSegredos é que o 1.0 T será na casa dos 130 cv enquanto o 1.3T por volta de 180 cv.

LEIA TAMBÉM:

goiana

Crise do coronavirus: FCA tem prejuízo de 1,7 bilhão de euros

Na América Latina, as vendas somaram 106 mil unidades no período, com queda de 12%, principalmente devido à suspensão temporária da produção no Brasil 

goiana

A Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou nessa terça-feira os resultados do primeiro trimestre de 2020, que refletem os impactos da pandemia da Covid-19 sobre os negócios globais. A empresa reporta vendas de € 20,6 bilhões no período, o que representa uma retração de 16% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Foram comercializadas 818 mil unidades, com queda de 21% em relação ao primeiro trimestre de 2019. Foram registradas perda líquida de operações contínuas de € 1,7 bilhão e perda líquida ajustada de € 500 milhões. Apesar do impacto significativo da pandemia sobre a economia e os negócios, a FCA entregou um EBIT ajustado positivo de € 52 milhões.

As fábricas do grupo no mundo suspenderam a produção em momentos adequados e indicados para preservar a integridade e saúde dos trabalhadores em cada região. A empresa também se concentrou fortemente no apoio ao enfrentamento à Covid-19, colaborando com as autoridades e comunidades com a instalação de hospitais de campanha, reforma de ventiladores pulmonares, produção e doação de equipamentos, dentre outros.

Na América Latina, as vendas somaram 106 mil unidades no período, com queda de 12%, principalmente devido à suspensão temporária da produção no Brasil a partir de 23 de março. A receita líquida caiu 32%, para € 1,32 bilhão, principalmente devido à menor comercialização, bem como impactos a negativos de câmbio devido ao enfraquecimento do real.

Apesar dos prejuízos globais, a FCA e o Groupe PSA permanecem comprometidos com a fusão 50/50. A previsão é de as empresas concluam a transação até o final deste ano ou no início de 2021.

BRASIL

A  crise do coronavírus adiou os planos da FCA para o Brasil. Previstos para serem lançados neste ano, a nova geração do 500 elétrico (foto) e as versões híbridas de Jeep Renegade e Compass foram adiadas para 2021. Para o próximo ano, também teremos o projeto 363, o ‘SUV do Argo’ e outros dois SUVs novos, um da Fiat e outro da Fiat. E os motores turbo, conforme falamos em primeira mão, começam fabricados em outubro deste ano.