Medida vale para a vale para a Divisão de Registro de Veículos (DRV) - Foto: Thiago Ventura

Registro de veículo 0 km e transferência de usado são suspensos em MG para adotar modelo virtual

Brasil passará a adotar sistema digital para o Certificado de Registro de Veículo (CRV-e) e da Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo eletrônica (ATPV-e)

Medida vale para a vale para a Divisão de Registro de Veículos (DRV) - Foto: Thiago Ventura
Medida vale para a vale para a Divisão de Registro de Veículos (DRV) – Foto: Thiago Ventura

Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG) suspenderá, de 30/12 a 6/1, a emissão de documentos para os serviços de registro de veículo zero, transferência de propriedade e alteração de dados de veículo. O motivo, conforme a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), é a transição para o modelo eletrônico do Certificado de Registro de Veículo (CRV-e) e da Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo eletrônica (ATPV-e);

A medida, que segue a Resolução nº 809 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), vale para a Divisão de Registro de Veículos (DRV), em Belo Horizonte, e para as Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretran), no interior.

A previsão é de que os serviços voltem a ser oferecidos normalmente em 7/1.

Sistema

Durante o período de suspensão, o sistema de informática do Detran-MG passará por adequação para que seja feito o gerenciamento das informações da frota de veículos do estado, impossibilitando, temporariamente, a conclusão dos processos e emissão do documento após as vistorias.

Os prazos para serviços de veículos que, porventura, vencerem durante a suspensão serão automaticamente prorrogados, sem qualquer prejuízo para os cidadãos.

LEIA TAMBÉM:

IPVA deve ser pago no estado em que o veículo circula, decide STF
Sua carteira venceu? Contran divulga prazo para renovar CNH vencida na pandemia
Seguro DPVAT: motorista pode ficar isento de cobrança nos próximos dois anos

Mais moderno

O objetivo da nova Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo eletrônica (ATPV-e) é simplificar o processo na compra e venda dos automotores, por meio de itens de segurança mais modernos, como o QR-Code. A ATPV-e substitui a versão em papel moeda do antigo Certificado de Registro de Veículo (CRV), documento no qual o comprador e o vendedor declaram estar de acordo com a transferência da propriedade.

A ATPV-e poderá ser utilizada na versão eletrônica ou impressa em papel comum. Quando o proprietário vendedor e o comprador possuírem os requisitos necessários para assinatura eletrônica da ATPV-e, o preenchimento e a assinatura poderão ocorrer nos sistemas do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), órgão da União, ou dos Detrans, nos estados. Caso contrário, a opção será a versão impressa, devendo a ATPV-e ser assinada e conter o reconhecimento de firma do vendedor e do comprador por autenticação.

CRVs até então emitidos em papel moeda continuarão sendo válidos por tempo indeterminado. Portanto, quem possuir a antiga versão do documento não precisará realizar a solicitação de um novo Certificado de Registro de Veículo. (Fonte: Agência Minas)

Stellantis-PSA-FCA-Carro-Esporte-Clube

UE aprova, com condições, fusão das montadoras PSA e Fiat Chrysler

Novo conglomerado reúne as marcas marcas Abarth, Fiat, Jeep, Dodge, Lancia, Ram, Chrysler, Alfa Romeo, Maserati, Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall, além de Comau e Teksid.

Stellantis-PSA-FCA-Carro-Esporte-Clube

A fusão da francesa Groupe PSA e a ítalo-americana Fiat Chrysler Automóveis (FCA) foi aprovada nesta segunda-feira (21) pela União Europeia. Contudo, o bloco estabeleceu condições para proteger a concorrência no setor de veículos.

Com o negócio, as empresas formarão o quarto maior grupo automobilístico mundial sob o nome Stellantis. PSA e FCA se comprometeram a prorrogar acordo da francesa e a Toyota sobre veículos comerciais leves, além de  facilitar o acesso das concorrentes às redes de reparos e manutenção.

“Estamos em condições de autorizar a fusão entre Fiat Chrysler e Peugeot SA, pois seus compromissos facilitarão a entrada e expansão no mercado das caminhonetes comerciais leves. Nos outros mercados em que as duas fabricantes exercem suas atividades, a concorrência continuará a ser apoiada após a fusão”, afirmou Margrethe Vestager, vice-presidente da Comissão responsável pela Concorrência.

Stellantis

O novo conglomerado reúne as marcas marcas Abarth, Fiat, Jeep, Dodge, Lancia, Ram, Chrysler, Alfa Romeo, Maserati, Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall, além de Comau e Teksid. O agora quarto maior grupo automotivo cobre praticamente todos os segmentos-chave de veículos, desde automóveis de luxo, premium e de passageiros, até SUVs e picapes & veículos utilitários leves.

‘Stellantis’ é a junção do verbo latino “stello”, que significa “iluminar com estrelas”. O conceito deles é que o nome representa o audacioso projeto de integração de empresas e culturas diferentes, com marcas italianas, francesas, americanas e inglesa, dentre outras.

“As origens latinas do nome homenageiam a rica história de suas empresas fundadoras, enquanto a evocação da astronomia captura o verdadeiro espírito de otimismo, energia e renovação que impulsionam essa fusão que está mudando o setor”, diz o comunicado.

O nome Stellantis será usado exclusivamente para se referir ao Grupo, como uma marca corporativa. Os nomes e os logotipos das marcas constituintes do Grupo permanecerão inalterados.

O projeto é que a fusão seja concluída no primeiro trimestre de 2021. Contudo, O processo inclui a aprovação pelos acionistas de ambas as empresas em suas respectivas Assembleias Gerais Extraordinárias e a satisfação de análises antitruste e outros requisitos regulatórios. As assembleias estão marcadas para dia 4 de janeiro de 2021.

Segundo a companhia, o novo grupo tem 46% das receitas derivadas da Europa e 43% da América do Norte, com base nos dados agregados de 2018 de cada empresa. A partir da união, as estratégias para as outras regiões serão reformuladas.

Membros da Conselho da Stellantis

John Elkann (Presidente)
Robert Peugeot (Vice-presidente)
Henri de Castries (Diretor Independente Sênior)
Andrea Agnelli (Diretor não executivo)
Fiona Clare Cicconi (Diretora não executiva)
Nicolas Dufourcq, (Diretor não Executivo)
Ann Frances Godbehere, (Diretora não executiva)
Wan Ling Martello (Diretor não Executivo)
Jacques de Saint-Exupéry, (Diretor não Executivo)
Kevin Scott (Diretor Não Executivo)
Carlos Tavares (CEO)

John Elkann (Chairman)

John Elkann é atualmente Chairman e Diretor Executivo da FCA e se tornará Chairman e Diretor Executivo da Stellantis após a conclusão da fusão. Ele foi nomeado em 21 de abril de 2010 presidente da Fiat SpA, onde anteriormente atuou como vice-presidente a partir de 2004 e como membro do Conselho desde 1997 e se tornou Chairman da FCA em 12 de outubro de 2014. John Elkann também é Chairman e CEO da Exor NV e Chairman da Giovanni Agnelli BV.

John Elkann obteve o bacharelado científico no Lycée Victor Duruy em Paris e formou-se em Engenharia no Politécnico, a Universidade de Engenharia de Turim (Itália). Ainda na universidade, ganhou experiência de trabalho em várias empresas do grupo FCA no Reino Unido e na Polônia (manufatura), bem como na França (vendas e marketing). Ele iniciou sua carreira profissional em 2001 na General Electric como membro da Equipe de Auditoria Corporativa, com atribuições na Ásia, Estados Unidos e Europa. John Elkann é Chairman da Ferrari NV e Ferrari SpA e Chairman do GEDI Gruppo Editoriale SpA e membro do Conselho da PartnerRE Ltd .. John Elkann é membro do Conselho de Curadores e do Comitê de Nomeação do Museu de Arte Moderna (MoMA) . Ele também atua como Chairman da Fundação Giovanni Agnelli.

Robert Peugeot (Vice-presidente)

Robert Peugeot, presidente do conselho da FFP, é atualmente o representante permanente da FFP no Conselho de Supervisão da PSA, membro do Comitê de Finanças e Auditoria da PSA e Chairman do Comitê Estratégico da PSA. Ele atuará como Diretor da Stellantis após a conclusão da fusão. Robert Peugeot ingressou no Conselho de Supervisão da PSA como representante permanente da FFP em 25 de abril de 2014. Robert Peugeot é graduado pela École Centrale de Paris e pelo Institut Européen d’Administration des Affaires (INSEAD).

Robert Peugeot ocupou vários cargos executivos na PSA. De 1998 a 2007, ele foi vice-presidente de Inovação e Qualidade e membro do Comitê Executivo do PSA. Além disso, Robert Peugeot atua como Chairman do Conselho da FFP S.A .; diretor da Établissements Peugeot Frères S.A .; diretor da Faurecia S.A .; diretor da FFP Investment UK Ltd .; Chairman da F&P S.A.S .; diretor administrativo da S.A.R.L. CHP Gestion; diretor administrativo da SC Rodom; representante permanente da F&P S.A.S. no conselho de administração da Safran S.A .; membro do conselho fiscal da Signa Prime; diretora da Sofina S.A .; membro do conselho fiscal da Soparexo S.C.A .; diretor da Tikehau Capital Advisors S.A.S; e representante permanente da Maillot II S.A.S, no conselho de administração da Sicav Armene 2. Ele é um Cavaleiro da Ordem Nacional do Mérito da França e um Cavaleiro da Legião de Honra Francesa.

Henri de Castries (Diretor Independente Sênior)

Henri de Castries atuará como Diretor da Stellantis após a conclusão da fusão. Ele é graduado pela École des Hautes Etudes Commerciales (HEC) e pela École Nationale d’Administration (ENA). Henri de Castries foi Chairman do Conselho de Administração da AXA S.A. de 2000 e presidente e diretor executivo de abril de 2010 a setembro de 2016. Anteriormente, trabalhou para o Gabinete de Inspeção do Ministério das Finanças francês e para o Departamento do Tesouro francês. Além disso, Henri de Castries atualmente atua como diretor da Argus Media Ltd; Chairman da Europe e conselheiro especial da General Atlantic; Chairman do Conselho de Administração da AXA Assurances IARD Mutuelle; Chairman do Conselho de Administração da AXA Assurances Vie Mutuelle; membro do conselho consultivo global da Leapfrog Investments Ltd; diretor do HSBC Holdings plc .; e vice-presidente do Conselho de Administração da Nestlé S.A.

Andrea Agnelli (Diretor não executivo)

Andrea Agnelli atuará como Diretor não executivo da Stellantis após a conclusão da fusão. Andrea Agnelli é presidente da Lamse (desde 2007), uma holding financeira, presidente da Juventus Football Club SpA (desde 2010), presidente da “Fondazione del Piemonte per l’Oncologia” (desde 2017) e presidente da “European Club Association ”(desde 2017, membro do conselho desde 2012).

Ele estudou em Oxford (St. Clare’s International College) e em Milão (Università Commerciale Luigi Bocconi). Andrea Agnelli começou sua carreira profissional em 1999 na Ferrari Idea em Lugano antes de se mudar para Lausanne para ingressar na Philip Morris International, de 2001 a 2004. Em 2005, ele retornou a Turim para trabalhar no desenvolvimento estratégico para IFIL Investments S.p.A. (agora EXOR N.V.).

Andrea Agnelli é também General Partner de Giovanni Agnelli B.V., membro do Conselho de Administração da EXOR N.V., membro do Comité Executivo da UEFA e membro do Conselho Consultivo da BlueGem Capital Partners LLP. Anteriormente, atuou como membro do conselho da Lega Serie A e como membro do conselho da “Fondazione per la mutualità generale negli sport professionistici”. Andrea Agnelli foi nomeado para o conselho de administração da Fiat SpA em 30 de maio de 2004 e tornou-se membro do Conselho de Administração da FCA em 12 de outubro de 2014.

Fiona Clare Cicconi (Diretora não executiva)

Fiona Clare Cicconi atuará como representante dos funcionários no Conselho da Stellantis após a conclusão da fusão. Fiona Clare Cicconi é vice-presidente executiva e diretora de Recursos Humanos da AstraZeneca PLC desde 2014. Fiona Clare Cicconi começou sua carreira na General Electric, onde ocupou várias funções de Recursos Humanos no setor de petróleo e gás. Posteriormente, ela passou vários anos na Cisco, supervisionando Recursos Humanos no sul da Europa e, em seguida, relações industriais e de funcionários na EMEA, antes de ingressar na F. Hoffmann La Roche em 2006. Lá, ela foi mais recentemente responsável por Recursos Humanos globais para Global Technical Technical Operações. Fiona Clare Cicconi é formada em estudos de negócios internacionais pela Leeds Metropolitan University.

Nicolas Dufourcq (Diretor não Executivo)

Nicolas Dufourcq atuará como Diretor da Stellantis após a conclusão da fusão. Nicolas Dufourcq é graduado pela École des Hautes Etudes Commerciales (HEC) e pela École Nationale d’Administration (ENA).

Nicolas Dufourcq começou sua carreira no Ministério da Economia e Finanças da França em 1988 e depois ingressou no Ministério da Saúde e Assuntos Sociais da França em 1992, antes de ingressar na France Telecom em 1994. Em 1998, ele criou a Wanadoo, líder do acesso à Internet, uma subsidiária da France Telecom, e listou-a por € 20 bilhões em 2000. Entre 1998 e 2003, ele foi CEO da Wanadoo e diretor executivo da France Telecom responsável pela Internet, TV a cabo e TV paga.

Nicolas Dufourcq ingressou na Capgemini em 2003, onde era responsável pela região centro e sul da Europa. De 2004 a 2013, ele atuou como diretor financeiro e vice-presidente executivo da Capgemini. Desde 7 de fevereiro de 2013, Nicolas Dufourcq é o CEO da Bpifrance SA. Além disso, Nicolas Dufourcq atua como diretor executivo da Bpifrance Financement S.A .; diretor executivo da Bpifrance Investissement S.A.S .; diretor executivo da Bpifrance Assurance Export S.A.S .; presidente e diretor executivo da Bpifrance Participations S.A .; representante permanente da Bpifrance Participations S.A. no Conselho de Administração da Orange; vice-presidente do conselho fiscal da STMicroelectronics N.V .; e membro do conselho fiscal da Doctolib S.A.S.

Ann Frances Godbehere (Diretora Não Executiva)

Ann Frances Godbehere atuará como diretora não executiva da Stellantis após a conclusão da fusão. Nascida no Canadá, Ann Frances Godbehere começou sua carreira na Sun Life of Canada em 1976 em Montreal, Canadá, e ingressou no M&G Group em 1981, onde atuou como vice-presidente sênior e controladora de vida e saúde, e negócios de propriedades e acidentes em toda a América do Norte.

Ela ingressou na Swiss Re em 1996, após a aquisição do Grupo M&G, e atuou como diretora financeira de 2003 a 2007. De 2008 a 2009, ela foi diretora financeira interina e diretora executiva do banco Northern Rock no período inicial após sua nacionalização. Ann Frances Godbehere também ocupou vários cargos de diretoria não executiva na Prudential plc, British American Tobacco plc, UBS AG e UBS Group AG. Mais recentemente, e até maio de 2019, Ann Frances Godbehere atuou como diretora não executiva da Rio Tinto plc e da Rio Tinto Limited.

Ela também foi diretora sênior independente da Rio Tinto plc. Além disso, Ann Frances Godbehere atua como diretora não executiva da Royal Dutch Shell plc. Ela também é membro do Institute of Chartered Professional Accountants e membro da Certified General Accountants Association of Canada.

Wan Ling Martello (Diretora não Executiva)

Wan Ling Martello atuará como Diretora não executiva da Stellantis após a conclusão da fusão. Atualmente atua como sócia e cofundadora da BayPine, gestora de patrimônio privado, função que exerce desde 2020. De 2015 a 2018, a Sra. Martello atuou como vice-presidente executiva e diretora executiva da Ásia, Oceania e regiões da África Subsaariana na Nestlé.

De 2012 a 2015, a Sra. Martello atuou como diretora financeira da Nestlé e de 2011 a 2012 ela atuou como vice-presidente executiva da Nestlé. De 2005 a 2011, a Sra. Martello foi executiva sênior da Walmart Stores, Inc., uma empresa de varejo, onde atuou como vice-presidente executiva de comércio eletrônico global e vice-presidente executiva, diretora financeira e estratégia. A Sra. Martello atua no conselho de administração do Alibaba Group desde 2015 e da Uber Technologies, Inc. desde 2017. Wang Ling Martello tem MBA pela Universidade de Minnesota e bacharelado científico pela Universidade das Filipinas.

Jacques de Saint-Exupéry (Diretor não Executivo)

Jacques de Saint-Exupéry atuará como representante dos funcionários no Conselho da Stellantis após a conclusão da fusão. Jacques de Saint-Exupéry formou-se na Bordeaux Business School.

Jacques de Saint-Exupéry ocupou vários cargos na PSA desde 1984. Desde 2011, tem trabalhado na equipe de controle de gestão, abrangendo as atividades do departamento de finanças corporativas e tesouraria, bem como o departamento de comunicação financeira.

Além disso, Jacques de Saint-Exupéry está envolvido na atividade sindical desde 2008, inclusive como secretário do conselho de trabalhadores da PSA.

Kevin Scott (Diretor Não Executivo)

Kevin Scott atuará como Diretor não executivo da Stellantis após a conclusão da fusão. Kevin Scott é vice-presidente executivo de tecnologia e pesquisa e diretor de tecnologia da Microsoft desde 2017. A carreira de 20 anos de Kevin Scott em tecnologia abrange a academia e a indústria como pesquisador, engenheiro e líder. Antes de ingressar na Microsoft, Kevin Scott foi vice-presidente sênior de engenharia e operações do LinkedIn de 2011 a 2016. No início de sua carreira, Kevin Scott supervisionou a engenharia de anúncios para celular no Google, incluindo a integração da aquisição da AdMob pelo Google. Na AdMob, Kevin Scott foi responsável pela engenharia e operações da plataforma líder mundial de monetização para celular. Antes de ingressar na AdMob, Scott ocupou vários cargos de liderança no Google nas divisões de pesquisa e publicidade da empresa. Kevin Scott é o fundador da organização sem fins lucrativos Behind the Tech, membro do conselho de curadores do Instituto Anita Borg e diretor da Fundação Scott. Kevin Scott possui um M.S. em ciência da computação pela Wake Forest University, um B.S. em ciência da computação pela University of Lynchburg, e concluiu a maior parte de seu Ph.D. em ciência da computação na Universidade da Virgínia.

Carlos Tavares (Diretor Presidente)

Carlos Tavares é atualmente Presidente do Conselho de Administração da PSA e se tornará CEO e Diretor Executivo da Stellantis após a conclusão da fusão. Ele ingressou no Conselho de Administração da PSA em 1º de janeiro de 2014 e foi nomeado Presidente do Conselho de Administração da PSA em 31 de março de 2014. Carlos Tavares se formou na École Centrale de Paris. Ocupou vários cargos no Grupo Renault entre 1981 e 2004, antes de ingressar no Grupo Nissan. Carlos Tavares foi nomeado vice-presidente executivo, presidente do Management Committee Americas e presidente da Nissan North America em 2009, antes de ser nomeado Chief Operating Officer da Nissan, cargo que ocupou até 2013. Carlos Tavares também atua como diretor da Airbus Holding SA, e é membro do conselho de administração da European Automobile Manufacturers ‘Association (ACEA) .

Fonte: Redação com AFP

Produção em SP foi iniciada em 2016

Mercedes-Benz desiste de produzir carros no Brasil: fim de linha para Classe C e GLA nacionais

É a terceira vez que a marca alemã desiste de fabricar automóveis no Brasil. Mercedes-Benz alega atual situação do mercado brasileiro. Sedã e SUV compacto serão agora importados

Produção em SP foi iniciada em 2016
Produção em SP foi iniciada em 2016

Mercedes-Benz anunciou nessa quinta-feira (17) que encerrou a produção dos modelos Classe C e GLA na fábrica em Iracemápolis (SP). De acordo com comunicado enviado pela fabricante, a empresa tomou a decisão com base em vários fatores, incluindo a atual situação no mercado brasileiro. Além disso, a marca diz que busca a melhor alternativa para seus 370 colaboradores da unidade, o que pode incluir um programa de demissão voluntária, entre outras possibilidades .

Jörg Burzer, membro do Board da Mercedes-Benz AG, Produção e Cadeia de Suprimentos: “A situação econômica no Brasil tem sido difícil por muitos anos e se agravou devido à pandemia da Covid-19, causando uma queda significativa nas vendas de automóveis premium. Ao longo do nosso processo de transformação, continuamos a reestruturar a nossa rede de produção global. Aumentar nossa eficiência, otimizando a nossa capacidade de utilização é um facilitador importante. Por isso, decidimos encerrar a produção de automóveis premium no Brasil. Nosso primeiro objetivo agora é encontrar uma solução sustentável para os colaboradores dessa unidade, que contribuíram de forma decisiva para o sucesso da Mercedes-Benz no Brasil com seu comprometimento e expertise nos últimos anos”.

A Daimler AG manterá unidades de produção em São Bernardo do Campo, São Paulo (Caminhões e Chassis de Ônibus) e Juiz de Fora, Minas Gerais (Cabinas de Caminhões).

Sobre a fábrica de Iracemápolis

Com 370 colaboradores, a fábrica de Iracemápolis (São Paulo) tem sido responsável pela produção do Mercedes-Benz Classe C e pelo Mercedes-Benz GLA, que teve início das atividades em 2016. O volume de automóveis que era produzido em Iracemápolis será transferido para outras fábricas da rede de produção global.

Leia também:

IPVA-2021-Imposto-sobre-a-Propriedade-de-Veículos-Automotores-Carro-Esporte-Clube

IPVA 2021: saiba a escala de pagamento do imposto em Minas

Expectativa de arrecadação com o IPVA 2021 é de R$ 6,33 bilhões, uma alta de 6,7% mesmo em ano de pandemia. Valor da taxa de licenciamento ainda não foi revelado


IPVA 2021 começa a ser cobrado dia 18 de janeiro em Minas Gerias (Foto: Isabel Baldoni/PBH)

A escala de pagamento do IPVA 2021, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, em Minas Gerais começa em 18 de janeiro e termina em 24 de março, conforme anunciado nesta terça-feira (1/12) pela Secretaria de Estado de Fazenda (SEF). O contribuinte que decidir quitar o imposto à vista, na data de vencimento da primeira parcela de sua respectiva placa, terá 3% de desconto.

A tabela contendo as bases de cálculo e os valores do IPVA está disponível no Diário Eletrônico da SEF. As consultas de valores também podem ser realizadas no site da secretaria ou pelo telefone 155 (opção 5) do LigMinas.

Em comparação ao IPVA 2020, haverá redução média de 4,12% da base de cálculo adotada. A apuração do valor venal da frota, que serve de base para o cálculo do imposto, foi feita por técnicos da SEF, subsidiada por pesquisa de mercado da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP).

Arrecadação x frota

A expectativa de arrecadação com o IPVA em 2021 é de R$ 6,33 bilhões. O incremento previsto, em relação a 2020, é de 6,74% – R$ 399,8 milhões. O valor médio do imposto é de R$ 612,54.

A frota tributável teve um aumento de 241.444 veículos em relação ao ano anterior (2,39%), totalizando 10.343.686 (dado contabilizado até 16/10). Mais 90 mil veículos – entre zero quilômetro e transferidos de outros estados –, devem ser acrescidos à frota mineira até o fim de dezembro. Mesmo assim, a evolução registrada será inferior à do ano anterior, de acordo com o subsecretário da Receita Estadual, Osvaldo Scavazza.

LEIA TAMBÉM:

IPVA deve ser pago no estado em que o veículo circula, decide STF
Sua carteira venceu? Contran divulga prazo para renovar CNH vencida na pandemia
Seguro DPVAT: motorista pode ficar isento de cobrança nos próximos dois anos

“O aumento da frota e da estimativa de arrecadação 2021 x 2020 caiu em termos percentuais, se comparado ao aumento 2020 x 2019, quando foi registrado um incremento de 3,74% na frota e 9,07% na estimativa de arrecadação. Provavelmente, essa queda pode ser reflexo da crise provocada pela pandemia de covid-19”, explica.

Da frota do Estado, 3.057.590 (29,56%) veículos se encontram na Região Metropolitana de Belo Horizonte e 1.943.360 (18,79%) estão na capital.

Destinação da receita

Do valor total apurado com o IPVA, 20% são repassados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb); 40% ao caixa único do Estado e 40% para o município de licenciamento do veículo.

Pagamento

Os contribuintes terão a opção de pagar o IPVA em cota única, com desconto de 3%, ou em três parcelas, nos meses de janeiro, fevereiro e março. O valor mínimo do imposto para parcelamento é de R$ 150. Abaixo desse valor, somente em cota única.

O pagamento pode ser feito a partir desta terça-feira (1/12), diretamente nos terminais de autoatendimento ou guichês dos agentes arrecadadores – Bradesco, Mercantil do Brasil, Caixa Econômica Federal, Casas Lotéricas, Mais BB, Banco Postal, Santander e SICOOB –, bastando informar o número do Renavam do veículo. O Banco do Brasil e o Itaú aceitam o pagamento apenas de correntistas.

Para emitir a guia de arrecadação do IPVA 2021, o contribuinte deve acessar o site da SEF.

Penalidades

O não pagamento do IPVA nos prazos estabelecidos gera multa de 0,3% ao dia (até o 30º dia), e de 20% após o 30º dia, além de juros calculados pela taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic).

Taxa de Licenciamento

O valor da Taxa de Renovação do Licenciamento Anual de Veículos (TRLAV) para 2021 ainda não foi definido porque a Secretaria de Fazenda aguarda a tramitação do projeto de lei enviado pelo Governo à Assembleia Legislativa. A iniciativa propõe mudança no atual critério usado para a correção anual do valor da Unidade Fiscal do Estado de Minas Gerais (Ufemg).

O texto mantém o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna), que variou 22,10% nos últimos 12 meses, mas acrescenta o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), cuja variação foi de 3,92%. A ideia é que, para fins de atualização da Ufemg, seja levado em conta sempre o menor índice.

Alerta

A Secretaria de Fazenda reforça que não envia boletos de IPVA para o endereço dos contribuintes nem mensagens eletrônicas para e-mail ou celular contendo links para acesso à tabela ou para a emissão de guias de arrecadação. (Fonte: Agência Minas)