Ford Ka é o carro que mais desvalorizou em 2020; confira ranking

Além de sair de linha, Ford Ka começa 2021 com outro revés: compacto apresenta a pior valorização entre os carros mais vendidos no Brasil

O ano de 2021 não começou nada bem para os clientes da Ford Motor Company no Brasil. Além de anunciar o fechamento de fábricas no país e decretar o fim de linha de Ford Ka e Ford EcoSport, agora mais um revés para os proprietários. O hatch foi o carro que mais desvalorizou em 2020, na lista dos dez carros mais vendidos no Brasil.

O ranking foi feito pela Kelley Blue Book (KBB Brasil), empresa especializada em pesquisa de preços de veículos novos e usados. Segundo o levantamento, o Ford Ka foi o carro que mais desvalorizou em 2020, com uma queda de -13,51%. A título de comparação, seu principal rival, o Chevrolet Onix, apresentou valorização de 1,84%!

Segundo a KBB Brasil, para fazer o ranking, é feita uma média aritmética por modelo, considerando apenas as versões com ano modelo 2020, entre janeiro e dezembro. Logo, comparou-se o Preço 0 km de janeiro de 2020 com o Preço de Revendedor de dezembro de 2020. Esses valores são definidos por métricas próprias deles.

SAIBA MAIS SOBRE O FECHAMENTO DA FÁBRICA DA FORD
Ford fechou fábricas devido clima econômico no Brasil ou estratégia global?
Ford encerra produção de carros após 102 anos no Brasil e decreta fim de linha para Troller
Ford recebeu R$ 20 bilhões em incentivos fiscais e mesmo assim fecha fábricas no Brasil

Detalhe que esta análise considera os valores até dezembro de 2020, ou seja, anterior ao anúncio do fim da produção nacional. Com isso, há possibilidade da depreciação ser ainda maior. (Fonte: Redação e KBB)

Tabela da desvalorização dos 10 carros mais vendidos de 2020:

Desvalorização dos 10 carros mais vendidos em 2020 (Preço 0 km KBB de janeiro de 2020 x Preço de Revendedor KBB de dezembro de 2020)
Modelo Variação
Chevrolet Onix 1,84%
Volkswagen T-Cross -0,61%
Fiat Argo -2,85%
Renault Kwid -4,57%
Chevrolet Onix Plus -4,92%
Jeep Renegade -6,31%
Hyundai HB20 -8,85%
Volkswagen Gol -8,85%
Jeep Compass -11,59%
Ford Ka -13,51%

https://youtu.be/Br86N-OBskQ

Renault Kwid Outsider é um dos modelos disponíveis

Renault lança serviço de assinatura de carros no Brasil com preço a partir de R$ 869

Marca lança serviço de assinatura Renault On Demand com Kwid, Stepway e Duster, disponíveis tanto para pessoa física como para empresas

Renault Kwid Outsider é um dos modelos disponíveis
Renault Kwid Outsider é um dos modelos disponíveis

Mais uma montadora resolveu investir no mercado de assinatura de veículos zero quilômetro. Dessa vez é a Renault que resolveu evoluir a startup Loopster, criada em março de 2020, para o serviço Renault On-Demand. Antes restrito para funcionários, agora a assinatura está disponível em todo o Brasil com preços que partem de R$ 869 mensais, como simulamos no site.

Estão disponíveis para assinatura os modelos Renault Kwid Zen, Kwid Outsider, Stepway Iconic 1.6 CVT e o Duster Iconic 1.6 CVT. O valor da assinatura inclui revisões preventivas e troca de peças de desgaste natural, incluindo também a troca de pneus.

Também fazem parte do pacote IPVA e licenciamento e Seguro Auto com proteção contra roubo, furto, incêndio e terceiros. Conta ainda com assistência 24 horas (serviços de reboque, chaveiro, retorno ao domicílio, hospedagem, carro reserva, e outros serviços emergenciais). Há ainda, opcionalmente e pago à parte, o ‘seguro proteção financeira’: trata-se de uma proteção em caso de desemprego involuntário, incapacidade, morte ou invalidez, em parceria com a seguradora BNP Paribas Cardif.

Na etapa de testes, durante sete meses, o Loopster atendeu colaboradores da Renault no Paraná e Banco RCI, no Paraná, além de 200 clientes em seis estados brasileiros. Agora no ‘vamos ver’, oferece quatro planos de assinatura tempo de 12, 18, 20 ou 24 meses. O Renault On Demand tem um site onde é possível configurar o veículo, semelhante no processo de compra.

LEIA TAMBÉM
Renault Clio completa 30 anos e nova geração segue longe do Brasil
Renault Duster Zen 2021: confira a versão mais acessível do SUV
Após tirar criador do 208 da Peugeot, Renault contrata mais um designer da concorrência
Para encerrar greve, Renault readmite 747 funcionários e abre novo PDV

O cliente pode escolher a franquia de quilometragem, que varia entre 500, 1000, 1500 e 2000 quilômetros mensais, além de coberturas adicionais. O assinante tem ainda opção de escolher detalhes do carro e pagar por extras como insulfilm e entrega do veículo em casa.

“Queremos ser referência em mobilidade no país. O lançamento do Renault On Demand se soma a todos os demais serviços que oferecemos em conjunto com a RCI Serviços Brasil para facilitar a vida dos nossos clientes”, ressalta Bruno Hohmann, vice-presidente comercial.

Renault On Demand: como funciona

Para assinar o serviço Renault On Demand, é preciso apenas acessar o site da empresa. A contratação é 100% on-line, incluindo a assinatura digital do contrato e todo o acompanhamento durante o período de utilização. O cliente também pode realizar a contratação na rede de concessionárias credenciada. Na assinatura o cliente poderá escolher entre os modelos Kwid Zen 1.0, Kwid Outsider 1.0, Stepway Iconic 1.6 CVT e Duster Iconic 1.6 CVT.

Os preços variam de acordo com o prazo de assinatura, franquia e se o cliente é pessoa física ou jurídica. Nos simulamos a locação de um Renault Kwid Zen por 20 meses e franquia de apenas 500 km mensais como cliente PJ. Nesse caso, o valor ficou em R$ 869,00 mensais. Caso seja para PF, o valor sobe para R$ 919.

O mesmo Kwid Zen num plano de 12 meses e franquia de 2.000 km mensais tem o preço de R$ 1.139 para pessoa física e R$ 1.049 para empresas. Outros modelos mais completos, o Stepway Iconic 1.6 CVT tem preço de R$ 1.639 mensais, enquanto o SUV Duster Iconic 1.6 CVT tem mensalidade de R$ 1.769.

O valores da Renault estão abaixo dos oferecidos pela Fiat e Volkswagen, que também lançaram assinatura de veículos. Ao término do plano, o cliente poderá optar pela renovação antecipada e assim, receber o novo veículo na data de devolução do antigo. O serviço Renault On Demand não pode ser utilizado por motoristas de aplicativos. O assinante não tem opção de comprar o veículo ao final do contrato, algo previsto no plano da Fiat. O Renault On Demand está disponível em todos os estados do Brasil.


Entre no grupo do Carro Esporte Clube no WhatsApp!

Quem não pagar IPVA está sujeito a multa de até 20% Foto Adão de Souza/PBH

Não perca o prazo! Vencimento do IPVA começa nesta segunda em MG

Programa “Bom pagador” concede automaticamente, 3% de desconto para quem pagou em dia todas as obrigações referentes ao veículo, nos anos de 2019 e 2020

Quem não pagar IPVA está sujeito a multa de até 20% Foto Adão de Souza/PBH
Quem não pagar IPVA está sujeito a multa de até 20% Foto Adão de Souza/PBH

A escala de pagamento do IPVA 2021 em Minas Gerais começa em 18 de janeiro e termina em 24 de março, conforme anunciado  pela Secretaria de Estado de Fazenda (SEF). O contribuinte que decidir quitar o imposto à vista, na data de vencimento da primeira parcela de sua respectiva placa, terá 3% de desconto.

Permanece em vigor o programa “Bom pagador” de incentivo à regularidade da quitação do tributo, que concede, automaticamente, 3% de desconto para quem pagou em dia todas as obrigações referentes ao veículo, nos anos de 2019 e 2020.

A tabela contendo as bases de cálculo e os valores do IPVA está disponível no Diário Eletrônico da SEF. As consultas de valores também podem ser realizadas no site da secretaria ou pelo telefone 155 (opção 5) do LigMinas.

Em comparação ao IPVA 2020, haverá redução média de 4,12% da base de cálculo adotada. A apuração do valor venal da frota, que serve de base para o cálculo do imposto, foi feita por técnicos da SEF, subsidiada por pesquisa de mercado da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP).

Arrecadação x frota

A expectativa de arrecadação com o IPVA em 2021 é de R$ 6,33 bilhões. O incremento previsto, em relação a 2020, é de 6,74% – R$ 399,8 milhões. O valor médio do imposto é de R$ 612,54.

A frota tributável teve um aumento de 241.444 veículos em relação ao ano anterior (2,39%), totalizando 10.343.686 (dado contabilizado até 16/10). Mais 90 mil veículos – entre zero quilômetro e transferidos de outros estados –, devem ser acrescidos à frota mineira até o fim de dezembro. Mesmo assim, a evolução registrada será inferior à do ano anterior, de acordo com o subsecretário da Receita Estadual, Osvaldo Scavazza.

“O aumento da frota e da estimativa de arrecadação 2021 x 2020 caiu em termos percentuais, se comparado ao aumento 2020 x 2019, quando foi registrado um incremento de 3,74% na frota e 9,07% na estimativa de arrecadação. Provavelmente, essa queda pode ser reflexo da crise provocada pela pandemia de covid-19”, explica.

Da frota do Estado, 3.057.590 (29,56%) veículos se encontram na Região Metropolitana de Belo Horizonte e 1.943.360 (18,79%) estão na capital.

Destinação da receita

Do valor total apurado com o IPVA, 20% são repassados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb); 40% ao caixa único do Estado e 40% para o município de licenciamento do veículo.

Pagamento

Os contribuintes terão a opção de pagar o IPVA em cota única, com desconto de 3%, ou em três parcelas, nos meses de janeiro, fevereiro e março. O valor mínimo do imposto para parcelamento é de R$ 150. Abaixo desse valor, somente em cota única.

O pagamento pode ser feito a partir desta terça-feira (1/12), diretamente nos terminais de autoatendimento ou guichês dos agentes arrecadadores – Bradesco, Mercantil do Brasil, Caixa Econômica Federal, Casas Lotéricas, Mais BB, Banco Postal, Santander e SICOOB –, bastando informar o número do Renavam do veículo. O Banco do Brasil e o Itaú aceitam o pagamento apenas de correntistas.

Para emitir a guia de arrecadação do IPVA 2021, o contribuinte deve acessar o site da SEF.

Penalidades

O não pagamento do IPVA nos prazos estabelecidos gera multa de 0,3% ao dia (até o 30º dia), e de 20% após o 30º dia, além de juros calculados pela taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic).

Taxa de Licenciamento

O valor da Taxa de Renovação do Licenciamento Anual de Veículos (TRLAV) para 2021 ainda não foi definido porque a Secretaria de Fazenda aguarda a tramitação do projeto de lei enviado pelo Governo à Assembleia Legislativa. A iniciativa propõe mudança no atual critério usado para a correção anual do valor da Unidade Fiscal do Estado de Minas Gerais (Ufemg).

O texto mantém o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna), que variou 22,10% nos últimos 12 meses, mas acrescenta o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), cuja variação foi de 3,92%. A ideia é que, para fins de atualização da Ufemg, seja levado em conta sempre o menor índice.

Alerta

A Secretaria de Fazenda reforça que não envia boletos de IPVA para o endereço dos contribuintes nem mensagens eletrônicas para e-mail ou celular contendo links para acesso à tabela ou para a emissão de guias de arrecadação.