Todos os post de thiago.ventura

Exposicao Beleza em Movimento Casa Fiat de Cultura foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube DomTotal

Design italiano é celebrado em exposição com carros e objetos de desejo

Exposição Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano exibe superesportivos, móveis, objetos  e filmes que oferecem uma nova estética para o mundo

Exposicao Beleza em Movimento Casa Fiat de Cultura foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube DomTotal
Exposicao Beleza em Movimento Casa Fiat de Cultura foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube DomTotal

Por Thiago Ventura

A sensualidade das curvas e as linhas que desafiam as formas.  Assim é o design produzido na Itália, referência para a criação de objetos de desejo nas mais variadas aplicações.  Uma imersão nesse mundo é a experiência que o público pode conferir na exposição Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano na Casa Fiat de Cultura, que segue até três de novembro em Belo Horizonte com entrada gratuita. Na mostra, carros, obras de arte, móveis, miniaturas e instalações multimídia que celebram as criações de mestres do design italiano.

A mostra, composta por mais de 100 itens, aborda temas como   futurismo,  tecnologia,  cinema e  neorrealismo e a beleza. O automóvel é o principal protagonista, contudo mesmo quem não é aficionado por carros pode se encantar com superesportivos italianos com suas formas icônicas e imortais.

Assista entrevista exclusiva com o head de design da FCA:

“O design italiano tem um fascínio incrível.  O conjunto do país, bem verdade: arquitetura, culinária e também a capacidade de transformar objetos e artesanato e construir o novo com muita emoção e know how”, afirma Peter Fessbender, head de Design da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) na América Latina e curador da exposição.  Alemão, mas apaixonado pelo design italiano, o designer assumiu o desafio inédito de montar a exposição em parceria com a arquiteta  Maddalena D’Alfonso. O trabalho incluiu viagens à Turim para visitar museus de algumas Carrozzerias. 

Na FCA desde 1989, Fessbender foi responsável pela criação de veículos bem conhecidos no Brasil, como o Stilo e Marea. Mais recentemente,  junto com a equipe, criou a picape Toro e o conceito Fastback, também em exibição na Casa Fiat de Cultura.

Exposicao Beleza em Movimento Casa Fiat de Cultura foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube DomTotal (1)

A narrativa da mostra se desenvolve a partir de cinco importantes ícones do design de automóveis, responsáveis por pautar novas estéticas entre as décadas de 1910 e 1960: casas Bertone, Touring Superleggera, Pininfarina, GFG Style e Zagato.

Da casa Bertone, por exemplo, o público poderá conferir modelos como  Alfa Romeo Giulia Sprint Speciale (1964),  Alfa Romeo Montreal (1971) e o mítico Lamborghini Miura (1969), assinado por Marcello Gandini.

Outro grande nome do design italiano que ganha o merecido espaço é Giorgetto Giugiaro, criador de modelos como Volkswagen Golf e Passat e  Fiat Uno, dentre vários. Na mostra na Praça da Liberdade está em exibição outra criação célebre:   o DeLorean DMC-12 (1982), usado para viagens no tempo na trilogia De volta para o futuro.

Exposicao Beleza em Movimento -0 (2)

Já da Carrozzeria Pininfarina, são exibidos o Alfa Romeo Giulia Spider (1964), a Ferrari Dino GT 246 (1974), carro criado para homenagear Alfredo Ferrari, filho de Enzo Ferrari  e a Ferrari Testarossa (1988), ícone dos anos 1980, automóvel com componentes de grande presença visual.

Ronco dos motores

Entre as instalações multimídia, destaque para a sala de Ronco dos Motores.  A sonoridade das máquinas soa como música, e é cuidadosamente projetada para provocar sensações únicas. A exposição reproduz os sons das Ferrari 355, F40, F12tdf, 360 Challenge Stradale, e F50; e das Alfa Romeo 8C, 155 V6, 4C, Montreal V8 e Tipo 33 Stradale. É possível perceber a diferença e o poder do ronco de vários blocos de cilindros como  V6 , V8 e V12.

Conceito Fiat Fastback: modelo antecipa as linhas dos próximos produtos da marca.
Conceito Fiat Fastback: modelo antecipa as linhas dos próximos produtos da marca.

SERVIÇO

Exposição Beleza em Movimento – Ícones do Design Italiano na Casa Fiat de Cultura
De 13 de agosto a 3 de novembro de 2019
Curadoria: Peter Fassbender e Maddalena D’Alfonso
Terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h – Entrada gratuita

Casa Fiat de Cultura  Circuito Liberdade Praça da Liberdade, 10 – Belo Horizonte

Horário de funcionamento: terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Informações (31) 3289-8900
www.casafiatdecultura.com.br

 

Exposicao Beleza em Movimento Casa Fiat de Cultura foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube DomTotal (5)
Exposicao Beleza em Movimento Casa Fiat de Cultura foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube DomTotal (4)
Exposicao Beleza em Movimento Casa Fiat de Cultura foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube DomTotal (2)
Exposicao Beleza em Movimento -0 (5)
Exposicao Beleza em Movimento -0 (4)
Exposicao Beleza em Movimento -0 (2)
Exposicao Beleza em Movimento -0 (1)

 

Honda-Civic-2020-Carro-Esporte-Clube5

Honda lança Civic 2020 com tapa no visual a partir de R$ 97,9 mil

Sedã médio sofre discreta reestilização e ganha mais equipamentos para encarar o novo Corolla. Nova versão de entrada é novidade do Civic 2020

A marca japonesa apresentou nesta quarta-feira a linha 2020 do Civic. O modelo passa a oferecer novos equipamentos de conforto e tecnologia em todas as versões, além de ter seu design único renovado. O Civic 2020 marca a introdução da nova versão de entrada versão LX, no lugar da Sport.

A linha 2020 do Civic recebeu mudanças pontuais em seu design: na dianteira, novo para-choque com design mais horizontal. As versões LX, EX, EXL e Touring trazem grade frontal e molduras laterais do para-choque com acabamento cromado, bem como novas rodas de liga leve de dez raios de 17 polegadas. Na traseira, todas as versões recebem um acabamento cromado na parte inferior do para-choque.


Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Carro Esporte Clube (@carroesporteclube) em 7 de Ago, 2019 às 6:00 PDT

Todas as versões passam a adotar revestimento do console central e laterais de porta em material sintético de alta qualidade. Os modelos LX e Sport trazem bancos em tecido na cor preta, enquanto as demais versões passam a ter duas opções de revestimento interno dos bancos em couro: preto ou cinza, dependendo da cor externa.

Desde a versão LX, o Civic 2020 oferece ar-condicionado digital, freio de estacionamento eletrônico com função Brake-Hold, controle de cruzeiro, botão ECON de modo de condução econômico, vidros elétricos com função “um toque” para subida/descida em todas as posições, sistema de áudio (cinco polegadas para a versão LX e sete polegadas touchscreen com Apple CarPlay e Android Auto para demais versões) e comandos no volante, câmera para manobras em ré, bem como rodas de liga leve de 17 polegadas e transmissão CVT em todas as versões.

O Civic 2020 tem como novidade ainda o sistema de monitoramento de pressão dos pneus (TPMS) em toda a linha Civic. A tecnologia monitora, por meio do sistema VSA (controle de tração e estabilidade), se uma das rodas tem sua pressão reduzida, indicando no painel a anormalidade para o condutor.

A versão Sport passa a adotar o acendimento automático dos faróis de série, multimídia touchscreen de 7 polegadas com com Apple CarPlay e Android Auto, enquanto o modelo EX amplia passa adotar sistema de áudio com oito alto-falantes, bancos em couro e retrovisor interno fotocrômico.

O Honda Civic 2020 EXL passa a oferecer sensor de chuva e o sistema Smart Key, que elimina a necessidade da chave para a abertura e partida do veículo – que agora é feita por meio do botão Push Start. Outra novidade que amplia o conforto para os ocupantes da versão EXL (e também na Touring) é a adição de saídas do ar-condicionado para os ocupantes do banco traseiro.

Por fim, a versão Touring passa a vir de série com sistema Premium Audio, com 452 watts de potência e 10 alto falantes, incluindo alto falante central e subwoofer.  O Civic Touring ganha ainda o sistema de recarga de celulares sem fio no console central, por indução.

porta-malas traz capacidade de até 525 litros (LX e Sport, 519 litros nas versões EX e EXL e 517 litros na Touring), o maior dentre todas as gerações, com posição de carregamento baixa, ampla abertura e área de carga. O console central possui 7,2 litros de capacidade, permitindo o alojamento de tablets ou de garrafas de água grandes, com a tampa fechada.

Segurança

Todas as versões do Civic 2020 trazem airbags frontais, laterais e de cortina, controle de tração e estabilidade VSA (Vehicle Stability Assist), sistema de partida em aclive (HSA), sistema de vetorização de torque baseado em frenagem Agile Handling Assist (AHA), luz de frenagem de emergência (pisca de forma intermitente em frenagens emergenciais), além de freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), luzes de rodagem diurna (DRL) e lanternas traseiras em LED.

Desempenho

O Civic oferece dois conjuntos mecânicos. A motorização 2.0 i-VTEC FlexOne, com 155 cv a 6.300 rpm e 19.5 kgfm a 4.800 rpm no etanol – disponível nas versões LX, EX, EXL e Sport – é acoplada à transmissão continuamente variável (CVT), permitindo um rodar mais confortável e uma melhor eficiência energética. A transmissão traz a opção de sete marchas simuladas que podem ser trocadas por borboletas atrás do volante nas versões Sport, EX e EXL.

O motor 1.5 de quatro cilindros, que equipa a versão Touring, traz turbo de baixa inércia, injeção direta, variação de tempo de abertura de válvulas (VTC) e válvula wastegate eletrônica, gerando 173 cv a 5.500 rpm, com o torque linear de 22.4 kgfm entre 1.700 rpm a 5.500 rpm. Este propulsor é acoplado a uma nova transmissão continuamente variável que entrega ampla potência ao longo de toda a faixa de trabalho do motor.

Cores

O Civic 2020 possui diversas opções de cores, de acordo com a versão. Para todos, são disponibilizadas as cores Branco Tafetá (sólida), Prata Platinum (metálica), Preto Cristal (perolizada) e Branco Estelar (perolizada especial). Os modelos LX, EX, EXL e Touring também estão disponíveis nas cores Cinza Barium e Azul Cósmico (metálicas).

Nos modelos equipados com bancos de couro (EX, EXL e Touring), a cor do revestimento varia conforme a cor externa: interior cinza para as tonalidades Cinza Barium, Azul Cósmico e Branco Estelar e interior preto para as tonalidades Branco Tafetá, Prata Platinum e Preto Cristal.

O Civic 2020 estará disponível em todas as concessionárias da Honda em agosto.

TABELA DE PREÇOS CIVIC 2020

LX: R$ 97.900,00

Sport: R$ 104.100,00

EX: R$ 107.600,00

EXL: R$ 112.600,00

Touring: R$ 134.900,00

 

 

Toyota Yaris XLS CVT 2019-82

Teste | Toyota Yaris XLS 2019 vale pelo design, mas cobra caro pelo pacote

Compacto-premium japonês tem visual contemporâneo e farta lista de equipamentos. Equipado com motor 1.5, Toyota Yaris XLS CVT tem preço mais salgado que a concorrência


Por Thiago Ventura
Texto e fotos

Lançado para ocupar a lacuna entre o Etios e o Corolla, o Yaris surgiu como opção da Toyota no segmento dos compactos-premium. (Um pouco) mais acessível que o modelo médio, mas sem a simplicidade de design do Etios, o Yaris encanta pelo visual moderno, mesmo sendo um projeto para mercados emergentes. O Carro Esporte Clube avaliou a versão completa da carroceria hatch Yaris XLS.

Veja mais fotos no final do texto!

O design do Yaris é um ponto positivo e principal cartão de visitas do modelo, principalmente pelo apelo emotivo que o consumidor brasileiro confere ao zero quilômetro. O Toyota Yaris XLS tem um visual moderno, com faróis invadindo as laterais e luzes diurnas de LED. Há uma profusão de vincos, enquanto a grade inferior tem o aspecto de “bocão”. Aliado aos apliques pretos na moldura do farol de milha e ao formato colmeia da grade, o modelo oferece uma pegada de esportivo. 

Veja mais fotos e vídeos no nosso Instagram Stories!

Na traseira,  o Yaris tem lanternas com luzes de LED que invadem a tampa do porta-malas. Acabamento em preto brilhante na Coluna C e na peça que faz a ligação entre as duas laterna faz uma modulação no visual do carro. O carro oferece ainda um discreto aerofólio e defletores na parte interior do para-choques.



Na lateral, a linha de cintura faz uma inclinação ascendente com maçanetas cromadas. O aplique negro na coluna C faz uma caída brusca no final do teto. O Toyota Yaris XlS exibe belas rodas aro 15″ com detalhes pretos e cromados; porém o carro merecida ao menos uma de tamanho 16″, melhor ainda 17″.

Vida a bordo

O estilo arrojado do exterior do compacto-premium japonês contrasta com um painel conservador. Também do lado de dentro, o motorista percebe tratar-se de um projeto mais acessível. O Yaris tem muito plástico duro, por todos os lados, inclusive no painel onde imita couro. Apesar de solução mais barata, é bem feita. Os encaixes são perfeitos e não há rebarbas. A montagem está aprovada. Um black piano na central multimídia e no console dão um detalhe mais bonito ao interior.



O banco tem revestimento em couro perfurado, enquanto o volante multifuncional é do tipo liso. O motorista tem à disposição ajuste de altura manual: os bancos dianteiros abraçam o corpo, melhorando a experiência ao dirigir. O banco do motorista merecia um ajuste lombar mais detalhado, enquanto o volante só tem ajuste de altura: faz falta a regulagem de profundidade. O teto tem acabamento preto e dá um caráter mais esportivo ao modelo.

O quadro de instrumentos tem velocímetro e conta-giros analógicos de fundo escuro, enquanto a lateral direita exibe um computador de bordo. Ao apertar o botão de partida, um belo gráfico de boas vindas aparece mostrando o modelo. O equipamento é bem completo e informa consumo médio e instantâneo, velocidade média e autonomia, além do sistema Eco, que ajuda o motorista a encontrar uma maneira mais econômica de dirigir.



O sistema multimídia tem tela de 7″ polegadas e conta com conexões Wi-Fi e Blueetooth e mídias MP3 e Rádio AM/Fm. O equipamento não em com GPS nativo e motorista precisa utilizar o Waze (meu app favorito) ou Google Maps. O equipamento não é muito intuitivo e leva um pouco de tempo para operá-lo. Além disso, deveria ter mais recursos, como TV Digital e navegador nativo de série, especialmente nas versões topo de linha.

Esta versão oferece teto solar simples de série. O mimo dá um aspecto muito bom no visual do carro, mesmo não sendo panorâmico. É um detalhe que as outras marcas deveriam oferecer.

O porta malas tem 310 litros, volume satisfatório para a categoria e tem um nicho para o pneu sobressalente, guardado interno. Contudo, o espaço tem uma falha bisonha: uma peça de madeira cobre o pneu reserva é coberta um pano encarpetado leve e solto. Esse pano frequentemente fica amassado e enrolado, basta colocar ou retirar qualquer objeto. Uma bola fora de um carro na categoria dos compacto-premium.

Esse tecido simples não combina com a proposta do carro

 

Ao volante


O Yaris XLS é equipado com motor quatro cilindros 1.5 L Dual VVT-i  de alumínio acoplado com transmissão automática CVT Multidrive com sete marchas simuladas. A potência com etanol é 110 cv a 5.600 rpm e o torque é de 146 Nm a 4.000 rpm. Com gasolina, os números são 105 cv e torque de 140 Nm nas mesmas rotações. A primeira dúvida dos nossos leitores é se tal conjunto casa bem o carro. A verdade é que o bloco mostra-se apropriado. 

O desempenho urbano com o compacto japonês é muito bom e o carro desenvolve bem no trânsito, em especial com apenas o motorista a bordo. O Carro Esporte Clube viajou com o modelo de Belo Horizonte até Tiradentes, um trecho de aproximadamente 200 km pela rodovia BR 040, com dois adultos e duas crianças.



O Yaris possibilita uma viagem tranquila, trafegando em velocidade de cruzeiro. Mas numa ultrapassagem, é preciso afundar o pé para tirar mais força do conjunto, situaç˜qu que o motor torna-se muito ruidoso. Abastecido com etanol, o modelo marcou 12,0 km/l no trecho rodoviário. Na cidade, ficou na casa de 5.6 km/h. Em todo o teste, após rodar 630 km, o computador acusou 8.1 km/h.

O Yaris deveria ser 1.8 ou mesmo 2.0? Ao final do período de testes, chegamos à conclusão de que o 1.5 esttá de bom tamanho. Contudo, é mais fraco que os concorrentes, em especial o Polo com seu 1.0 TSI de 128 cv.

A direção é elétrica e mostra-se muito precisa, leve nas manobras e firme em alta velocidade. O sistema de freios, com discos ventilados na dianteira e tambor na traseira, é bem eficiente. O disco traseiro não é necessário, mas por mera questão de marketing poderia ser oferecido.




A suspensão filtra bem as irregularidades do solo, o que podemos comprovar no calçamento de pedra da histórica cidade mineira e em alguns trechos de estrada de terra bem conservada.  Na rodovia, o conjunto segura bem o modelo nas curvas, mas se motorista abusar, há controles de estabilidade e tração.

Por falar em segurança, o Yaris está de parabéns em oferecer dois pontos de ancoragem Isofix com Top Tether. Também merecem destaque os sete airbags: frontal (dois) e lateral (dois): motorista e passageiro dianteiro, airbag de cortina (dois sistemas com duas bolsas cada) e airbag de joelho (um). O modelo foi avaliado com quatro estrelas de segurança para adultos e quatro para crianças pelo Latin NCAP.


Conclusão

O Toyota Yaris XLS 2019 é um carro com um design contemporâneo e bonito e oferece uma lista recheada de equipamentos. Também conta com a confiabilidade da marca junto ao público brasileiro. Porém, o custo benefício fica comprometido com o preço alto cobrado pela marca. Tabela de julho indica preço sugerido de R$ 83.390 nesta versão, que ainda pode ficar mais caro com os R$ 1.5 mil para pintura metálica ou R$ 1.8 mil pela perolizada.



TOYOTA YARIS XLS CVT 2019 FICHA TÉCNICA

MOTOR 

Dianteiro, transversal, quatro-cilindros em linha, 16 válvulas, 1.496cm³ de cilindrada, flex, que desenvolve potências máximas de 105cv (gasolina) e 110cv (etanol) a 5.600rpm e torques máximos de 140 Nm (g)/1146 Nm (e) a 4.000rpm

 

TRANSMISSÃO 

Tração dianteira e câmbio automático tipo CVT com modo sequencial de sete velocidades 

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS (*)

Dianteira, independente tipo McPherson, com barra estabilizadora; e traseira, interdependente, com braços longitudinais/ de liga leve de 6,0 x 15 polegadas (opcional) / 185/60 R15

DIREÇÃO 

Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

FREIOS

Com discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com assistência ABS/EBD

 

CAPACIDADES

Do tanque, 45 litros; porta-malas, 310 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 400 quilos 

 

DIMENSÕES

comprimento, 4,14m; largura, 1,73m; altura, 1,49m; entre-eixos, 2,55m

 

PESO

1.150 quilos

 

PERFORMANCE 

Velocidade máxima de 173km/h (e) e aceleração até 100km/h em 11,8 segundos (e)

CONSUMO INMETRO

Cidade: 12,6km/l(g) e 8,8km/l(e)

Estrada: 13,8km/l(g) e 10km/l(e)

 

EQUIPAMENTOS DE SÉRIE – Computador de bordo com tela de 4.2 polegadas com tecnologia TFT, volante multifuncional, descansa-braços dianteiro e traseiro, controles de estabilidade (VSC) e tração (TRC), assistente de partida em rampa (HAC), direção eletroassistida progressiva (EPS), ar-condicionado automático e digital, vidros dianteiros e traseiros com acionamento elétrico por um toque, travas elétricas, faróis e lanterna de neblina, retrovisor interno eletrocrômico, banco traseiro rebatido 40/60 (sedã), freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD) e assistente de frenagem (BAS), controle de velocidade de cruzeiro e função Eco Driving, chave inteligente presencial, sistema de partida sem chave, multimídia com tela tátil de sete polegadas com funções de rádio AM/FM, MP3, entrada USB, conexão auxiliar Bluetooth, Toyota Play+, sistemas IOS e Android, volante, manopla do câmbio revestidos em couro, rodas de liga leve de 15 polegadas, bancos revestidos em couro, retrovisores com rebatimento elétrico, câmera de ré, teto solar, sensor de chuva, faróis projetores com lâmpadas halógenas e regulagem elétrica, lanternas em LED, sete airbags (dois frontais, dois laterais, dois de cortina e um de joelhos para o motorista), Isofix com ancoragem Top Tether de cadeiras infantis, função “Siga-me” e alarme volumétrico com monitoramento dos vidros e janelas.

OPCIONAL – Pintura metálica e perolizada.

 

Toyota Yaris XLS CVT 2019-148 Toyota Yaris XLS CVT 2019-122

Toyota Yaris XLS CVT 2019-166 Toyota Yaris XLS CVT 2019-164 Toyota Yaris XLS CVT 2019-86 Toyota Yaris XLS CVT 2019-94 Toyota Yaris XLS CVT 2019-64 Toyota Yaris XLS CVT 2019-32 Toyota Yaris XLS CVT 2019-39 Toyota Yaris XLS CVT 2019-19 Toyota Yaris XLS CVT 2019-1 Toyota Yaris XLS CVT 2019-6

Pelo PL, as resoluções não podem impor penalidades e medidas administrativas; apenas as leis. Foto: Pedro França/Agência Senado

Mudanças no Código de Trânsito retiram competências de órgãos para cassar CNH

‘Mais relevante que qualquer alteração legislativa é a criação de um melhor aparato para os órgãos integrantes do sistema de fiscalização e agentes’, afirma advogado 

 Pelo PL, as resoluções não podem impor penalidades e medidas administrativas; apenas as leis. Foto: Pedro França/Agência Senado
Pelo PL, as resoluções não podem impor penalidades e medidas administrativas; apenas as leis. Foto: Pedro França/Agência Senado

Por Thiago Ventura

O Congresso Brasileiro deve analisar neste ano o Projeto de Lei 3.267/2019, do presidente da República, que altera diversos aspectos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Além das principais alterações como o fim do exame toxicológico para caminhoneiros, multa para não utilização de cadeirinhas infantis ou o aumento do limite de pontos para perda da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), o PL também modifica a própria estrutura dos órgãos de trânsito. Entidades e especialistas em trânsito alertam para necessidade de melhor avaliação das medidas.

Em relação à competência dos Departamentos Estaduais de Trânsito (Detran), o projeto altera o artigo 22 do CTB e determina que o órgão de trânsito somente poderá impor a suspensão do direito de dirigir ao motorista que ultrapassar os limites na CNH na somatória de multas em que for competente. Ou seja, multas emitidas em estradas federais só poderão ser comutadas pelo “órgão máximo executivo de trânsito da União”, inclusive no caso das infrações “auto suspensivas”, como dirigir embriagado.

Leia também:

O próprio Conselho Nacional de Trânsito (Contran) pode ter suas competências limitadas. Atualmente, o artigo 12, VIII do CTB aponta que o órgão pode estabelecer e normatizar procedimentos de aplicação e multas. Pelo projeto, pode normatizar apenas o enquadramento de condutas.

O artigo 161 do CTB constitui como infração de trânsito a inobservância de qualquer preceito da legislação ou resoluções do Contran. Pelo PL, as resoluções não podem impor penalidades e medidas administrativas; apenas as leis.

Em outra mudança, o projeto do governo também modifica o procedimento de recurso à infração de trânsito nas Juntas Administrativas de Recursos de Infrações (Jari). O artigo 289 do CTB estipula que o recurso deve ser apreciado em até 30 dias. Caso o órgão tenha apenas uma Jari, o recurso será julgado por seus próprios membros. Pelo projeto, o julgamento de recursos em 2ª instância será feito por um colegiado especial.

Durante a entrega do projeto na Câmara, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, explicou que a proposta é desburocratizar a máquina pública e que os Detrans estaduais não conseguem operacionalizar os processos que suspendem o direito de dirigir. “É muito fácil que cidadão perca a carteira, isso tem se mostrado ineficaz”, comentou.

Segundo o advogado e professor da Dom Helder Escola de Direito Luís André de Araújo Vasconcelos, as mudanças no artigo 289 têm como objetivo dar uma maior democratização dos julgamentos. Contudo, o mestre em Direito e ex-conselheiro do Conselho Estadual de Trânsito de Minas Gerais aponta que é preciso avaliar bem, uma vez que outras alterações do PL visam abrandar penalidades aos infratores.

“Mais relevante que qualquer alteração legislativa é a criação de um melhor aparato para os órgãos integrantes do sistema de fiscalização e dos respectivos agentes, de forma a impedir a impunidade dos infratores”, afirma Vasconcelos.

A proposta do governo Bolsonaro desagradou ainda os Detrans estaduais pelo Brasil. Em nota, a Associação Nacional dos Detrans (AND), manifestou surpresa já que os órgãos não foram sequer consultados, além de questionar a falta de justificativas técnicas.

“As modificações pretendidas deveriam ser precedidas de estudos técnicos hábeis a respaldá-las, até mesmo pelo impacto social e pelas consequências óbvias no trânsito nacional. No entender da AND, isso revela a imaturidade e precipitação com que se deu seu encaminhamento”, declarou o órgão através da presidente Larissa Abdalla Britto, diretora-geral do Detran do Maranhão.

Formula-1-2021-Brasil

Bolsonaro e Doria disputam sede da Fórmula 1 no Brasil

Rio de Janeiro e São Paulo querem receber o Grande Prêmio em 2021, mas CEO da F1 diz que nada está decidido

Formula-1-2021-Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ) resolveu comprar briga com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP),  na disputa pela  sede do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Nesta semana, os dois receberam o CEO mundial da Fórmula 1, Chase Carey.

Bolsonaro afirmou ter 99% de chances da etapa brasileira na temporada 2021 da Fórmula 1 ser realizada no Rio de Janeiro, num autódromo que será construído na região de Deodoro.  O presidente foi desmentido na mesma hora por Carey (veja o vídeo!)

Assista ao vídeo:

Segundo Chase Carey, para a Fórmula 1, o mercado brasileiro tem uma enorme importância. O CEO reconhece que as provas realizadas em Interlagos sempre foram as mais interessantes do campeonato e espera que neste ano, em novembro, possa continuar esta tradição.

O Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece todos os anos, desde 1972, no Autódromo José Carlos Pace, mais conhecido como Autódromo de Interlagos, com exceção de 1978 e 1981 a 1989, quando as corridas foram disputadas no Autódromo de Jacarepaguá (Autódromo Internacional Nelson Piquet), demolido em 2012. Desde 1973, o prêmio faz parte do campeonato de Fórmula 1 e, desde 1990, é realizado em São Paulo de forma ininterrupta.

Segundo o piloto da Fórmula E Lucas di Grassi, os custos para construção de um novo autódromo são elevados o que não é atrativo para investidores privados.  O atleta defende a manutenção do GP em São Paulo.  “É melhor manter a F1 em Interlagos, que está muito bem para uma categoria desse porte e, com esse incentivo federal, podemos trazer a Fórmula E para o Rio de Janeiro. Eu desenhei uma pista na Marina da Glória, desenhei também no Parque do Ibirapuera, em São Paulo”, sugeriu.

Carros-Autonomos

Carros autônomos podem melhorar o trânsito em 35%

Pesquisadores britânicos fizeram uma estrada em miniatura e testaram várias opções de tráfego com carros autônomos

Carros-Autonomos

Uma pesquisa feita na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, aponta que a presença de carros autônomos poderia melhorar o trânsito nas cidades em 35%,  se comparados com motoristas humanos. Na verdade, o percentual poderia ser até maior: a melhoria no tráfego é de 45% na comparação com um “motorista imprudente”.  Os resultados da pesquisa foram apresentados na Conferência Internacional sobre Robótica e Automação (ICRA) em Montreal.

Para fazer o experimento, os pesquisadores programaram uma frota de carros robóticos em miniatura para dirigir em uma estrada com duas pistas e observaram como o fluxo de tráfego mudou quando um dos carros parou.  Cada carrinho ganhou  sensores de captura de movimento e um placa Raspberry Pi, para que  pudessem se comunicar via wifi.

Foram desenvolvidos algoritmos para gerenciar autonomamente os carrinhos:  o algoritmo original decide quando um carro deve mudar de faixa, considerando se é seguro fazê-lo e se a mudança de faixa ajudaria o carro a se movimentar mais rapidamente no trânsito. Um segundo algoritmo permitiu que os carros detectassem um carro projetado na frente dele e abrissem espaço.

 

Quando os carros não estavam dirigindo cooperativamente, qualquer carro atrás do carro parado tinha que parar ou desacelerar e esperar por uma brecha para ultrapassá-lo, como normalmente ocorreria em uma estrada real. Nessa situação, uma fila  rapidamente se formou atrás do carro parado, diminuindo o fluxo geral do tráfego naquela estrada em miniatura.

No experimento seguinte, os pesquisadores programaram os carros para se comunicar uns com os outros, tecnologia conhecida como Internet das Coisas ( IoT). Os carrinhos passaram a dirigir cooperativamente:  assim que um parava na pista interna, ele enviava um sinal para todos os outros carros. Os carros na faixa externa que ficavam nas proximidades do carro parado diminuíam ligeiramente para que os carros na pista interna pudessem passar rapidamente pelo carro parado sem ter que parar ou diminuir significativamente.

 

Numa terceira avaliação, um dos carrinhos passou a ser dirigido por controle remoto por um dos pesquisadores. O carrinho passou a trafegar de maneira agressiva, enquanto os carros autônomos seguiam o curso evitando o ‘apressadinho’.

Os pesquisadores, alunos de graduação sob supervisão da professora Amanda Prorok, do Departamento de Ciência da Computação e Tecnologia de Cambridge,  fizeram então um comparativo em relação à fluidez no tráfego no estudo. No modo normal, a condução cooperativa melhorou o fluxo de tráfego em 35% em relação à direção egocêntrica. Em relação a  uma condução agressiva, a melhoria foi de 45%.

“Carros autônomos podem resolver vários problemas associados à condução nas cidades, mas é preciso que haja uma maneira de eles trabalharem juntos”, disse o coautor Michael He, estudante de do St John’s College, que projetou os algoritmos para o experimento.

Muitos testes existentes para múltiplos carros autônomos sem motorista são feitos digitalmente, ou com modelos em escala que são muito grandes ou muito caros para realizar experimentos em ambientes fechados com frotas de carros.

Começando com modelos em escala de baixo custo de veículos comercialmente disponíveis com sistemas de direção realistas, os pesquisadores de Cambridge adaptaram os carros com sensores de captura de movimento e um Raspberry Pi, para que os carros pudessem se comunicar via wifi.

Eles então adaptaram um algoritmo de mudança de faixa para carros autônomos para trabalhar com uma frota de carros. O algoritmo original decide quando um carro deve mudar de faixa, com base em se é seguro fazê-lo e se a mudança de faixa ajudaria o carro a se movimentar mais rapidamente no trânsito. O algoritmo adaptado permite que os carros sejam embalados mais de perto quando mudam de faixa e adiciona uma restrição de segurança para evitar falhas quando as velocidades são baixas. Um segundo algoritmo permitiu que os carros detectassem um carro projetado na frente dele e abrissem espaço.

Eles então testaram a frota em modos de condução “egocêntricos” e “cooperativos”, usando comportamentos normais e agressivos de direção, e observaram como a frota reagiu a um carro parado. No modo normal, a condução cooperativa melhorou o fluxo de tráfego em 35% em relação à direção egocêntrica, enquanto que para uma condução agressiva, a melhoria foi de 45%. Os pesquisadores então testaram como a frota reagiu a um único carro controlado por um humano por meio de um joystick.

“Nosso projeto permite uma ampla gama de experimentos práticos e de baixo custo a serem realizados em carros autônomos”, disse Prorok. “Para carros autônomos serem usados ​​com segurança em estradas reais, precisamos saber como eles vão interagir uns com os outros para melhorar a segurança e o fluxo de tráfego”, completa a professora.

Na próxima pesquisa, o grupo pretende incluir mais variáveis no trânsito para testar situações mais complexas e reais para uma futura aplicabilidade real dos sistemas de direção autônoma.

 

Acidente com quatro mortos no PR: quer afrouxar as regras? primeiro reduza ao máximo o número de mortes. (Foto: PRF)

Código de Trânsito: projeto de Bolsonaro é sandice populista que vai matar inocentes

Ao invés de premiar o bom motorista, mudança no Código de Trânsito Brasileiro beneficia quem comete infrações e crimes de trânsito, ampliando a violência nas ruas e estradas

Acidente com quatro mortos no PR: quer afrouxar as regras? primeiro reduza ao máximo o número de mortes. (Foto: PRF)
Acidente com quatro mortos no PR: quer afrouxar as regras? primeiro reduza ao máximo o número de mortes. (Foto: PRF)

 

Por Thiago Ventura

O trânsito no Brasil é um dos que mais mata no mundo. Somente em 2017, cerca de 37 mil brasileiros morreram e quase 500 mil ficaram feridos nas ruas e estradas – a maior parte deles homens e de idade entre 20 e 39 anos.  Esse número é maior do que algumas guerras pelo mundo. E qual a solução o governo aponta para isso? Afrouxar as regras, enquanto o mundo desenvolvido promove mais restrições.

A mudança foi entregue pessoalmente pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL-RJ)  ao presidente da Câmara e virou o o PL 3.267/2019. Vários itens do Código de Transito Brasileiro (CTB) serão alterados com destaque para o limite de pontos para o motorista perder a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), que sobe de 20 para 40 pontos. Além disso, o exame médico para renovação da CNH passou de cinco para 10 anos no caso de motoristas com até 65 anos de idade. Acima disso, o exame passa de três para de cinco em cinco anos.  Aliás, o exame poderá ser feito em qualquer clinica:não haverá mais obrigatoriedade de comparecer apenas nas credenciadas nos Detrans.

O mesmo projeto também altera a legislação sobre o transporte de crianças nos veículos. O PL 3267/2019 acaba com a multa para o motorista que levar bebês e crianças sem o dispositivo de segurança. Atualmente, é uma infração gravíssima (7 pontos) com multa de R$ 293,47 e retenção do veículo. Se aprovado pelo Congresso, será punida apenas com uma advertência por escrito

O PL também acaba como  exame toxicológico para motoristas profissionais. Atualmente condutores de caminhões e ônibus (das categorias C, D e E) são  obrigados a fazer exame toxicológico ao conseguir a categoria ou  renovar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O exame detecta o uso de drogas, como por exemplo, os comprimidos chamados de “rebites”, estimulante que faz o cérebro trabalhar mais rápido, reduzindo o sono e o cansaço do motorista.  Ao utilizar tais substâncias, caminhoneiros conseguem rodar por mais horas sem a necessidade de parada.

 

Caminhoneiros sem exame de toxicidade e com porte de arma: Mad Max das estradas.
Caminhoneiros sem exame de toxicidade e com porte de arma: Mad Max das estradas.

 

Bolsonaro também acaba com a multa por dirigir sem o farol aceso durante o dia em estradas e transforma a infração por não utilizar capacete nas motocicletas de gravíssima para média.  O presidente diz combater o que ele chama de industria da multa.  Mas será esse mesmo o problema?

A multa só existe para quem transgride uma lei.  Uma multa por excesso de velocidade pode ser questão de vida ou morte para um eventual atropelamento de pedestre. Ao invés de premiar o bom motorista, a mudança no Código de Trânsito Brasileiro beneficia quem comete infrações e crimes de trânsito ampliando a violência nas ruas e estradas.

Leia também:
Propostas de Bolsonaro sobre CNH e radares podem aumentar número de acidentes

A ideia de acabar com a multa por transportar criança sem cadeirinha é uma sandice que já encontra críticas até mesmo na base aliada do presidente.  Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS),  o uso de cadeirinhas reduz em até 60% o número de mortes de crianças e jovens até 15 anos no transito. Ao isentar de multa, o país estará reduzindo o apelo para o uso do equipamento.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP),  a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet) e a ONG Criança Segura Brasil são contrárias ao PL e informam que, entre 2008 e 2017, um total de 75.183 crianças de zero a nove anos foram hospitalizadas em
decorrência de acidentes de trânsito.  De 2001 a 2016, óbitos nessas faixas etárias chegaram a 18.954.  Diante desses números, acabar coma multa é ignorar o óbvio.

O aumento do limite para perda da CNH é outro grande equívoco. Ao ampliar o numero de pontos, o governo permite que motoristas imprudentes cometam mais infrações de transito antes de sofrerem um processo administrativo. É o medo de perder a CNH que faz motorista pensar duas vezes antes de cometer uma infração.  “Ah, mas mas a multa precisa ser educativa e não engordar o bolso das autoridades”, dirão os incautos. Mentira! O brasileiro é mal educado e mal sabe colocar o lixo na lixeira (Art. 172 do CTB, infração média,e multa), que dirá respeitar os limites da legislação de trânsito.

No resto do mundo acontece  justamente o contrário: os países estão fechando o cerco aos imprudentes.  Na Alemanha, o limite é de OITO pontos; algumas infrações como excesso de velocidade já suspendem a habilitação por um mês, independente da pontuação. Em 2017, morreram cerca de 3 mil pessoas no trânsito lá, dez vezes menos que o Brasil. O 7×1 nunca tem fim.

O fim do exame toxicológico representa uma carta branca para que o mal caminhoneiro utilize os rebites e coloque mais vidas em risco.

Se aprovado como está, o projeto que muda o Código de Trânsito Brasileiro vai significar um aumento no numero de acidentes e mortes.  Além de desobrigados a fazer o exame, a MP que libera armas ainda concede o porte a eles.

Passar a renovação de carteira para de 10 em 10 anos também é um contrassenso. Em uma década, mesmo uma pessoa saudável pode ter alterações visuais, físicas e até mentais que podem incapacita-la para dirigir. E após os 65 anos, o atual prazo de três em três anos é perfeitamente adequado.

Assunto polêmico desde a entrada em vigor, a obrigação de manter faróis acesos nas estradas (Lei 13.290/2016) cai por terra diante do abjeto PL.  Na Europa, a regra é aplicada há quase 45 anos  e teve a Finlândia como país pioneiro. No Canadá e nos Estados Unidos, a norma também existe. Um teste da Quatro Rodas provou que o recurso aumenta em mais de 500% a visibilidade do veículo.  Um carro a 120 km/h com farol aceso numa via reta é avistado a 2.000 metros por um outro no sentido contrário na mesma velocidade. Sem o recurso,  é avistado a apenas 300 m. Neste caso, o motorista tem 4,5 s para evitar a colisão; com o farol aceso são 30s.

Ser ‘liberal’ não quer dizer defender a ausência completa do Estado.  Esse existe para mediar as relações entre seus cidadãos, regulando os desvios.  Muitos dos países capitalistas adorados pelo presidente têm regras de trânsito ainda mais rígidas.  O projeto proposto é uma sandice populista sem qualquer embasamento científico com único objetivo agradar quem ignora os riscos de uma condução perigosa ao volante. Quer abrandar as regras? Primeiro trate de reduzir ao mínimo o número de mortos e feridos em acidentes automobilísticos. 

O trânsito do Brasil é um dos piores do mundo, com motoristas mal-educados que não respeitam a lei e muito menos o próximo.  E infelizmente, serão os inocentes, os que  cumprem a legislação e os limites de velocidade que costumam pagar com a vida pela imprudência alheia.

 

Criação da nova planta vai gerar 1.2 mil empregos  e terá recursos da Indústria 4.0

Fiat Chrysler anuncia novos motores turbo e R$ 500 mi em investimentos em Minas

Novos motores serão utilizados nos modelos da Fiat, como Argo, Cronos e Toro, além dos modelos Jeep como o Renegade e o Compass

Criação da nova planta vai gerar 1.2 mil empregos e terá recursos da Indústria 4.0
Criação da nova planta vai gerar 1.2 mil empregos e terá recursos da Indústria 4.0 


Por Thiago Ventura

Conforme antecipamos, a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou um investimento de R$ 500 milhões de reais para construir uma nova fábrica no Brasil A planta será erguida em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte e há promessa de gerar até 1.200 empregos. A fábrica vai produzir novos motores turbo para a linha Fiat e Jeep.

O anúncio foi uma vitória da indústria nacional, pois tanto Betim como o Sudeste asiático disputavam receber esse investimento. Tanto que esteve presente na cerimônia, realizada nessa quarta (22/05) o CEO mundial da FCA, Mike Manley, além do presidente/COO do grupo para a América Latina, Antonio Filosa e o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo-MG).

“Os sólidos resultados apresentados pela América Latina nos últimos trimestres, o potencial de crescimento do nosso mercado e, em especial, a versatilidade e alta qualificação da mão-de-obra brasileira foram fatores fundamentais para trazer esse investimento ao Brasil, que disputava com outros países a possibilidade de receber a nova fábrica de motores turbo”, comentou Filosa.

Os motores começam a ser entregues no final do ano que vem e também serão exportados para a Europa e outros mercados. Serão cinco novos blocos, turbinados, que receberão o nome de GSE: 1.0 três cilindros GSE T3, 1.3 quatro cilindros GSE T4, ambos flex. A FCA está ainda desenvolvendo o GSE E4, de patente desenvolvida no Brasil, com tecnologia turbo voltada apenas à combustão de etanol.

novos-motores-site

Não foram revelados dados técnicos completos, mas a FCA revelou que os novos motores turbo têm como base o Firefly, mas com alguns diferenciais importantes. Além do turbocompressor com injeção direta, eles terão quatro válvulas por cilindro (Firefly de aspiração natural tem duas), comando de válvulas Mult Air, patente da marca italiana, sistema eletro hidráulico que permite enorme programação na variação de abertura dos conjuntos de válvulas, tanto no grupo de admissão como no de exaustão. O Eles terão também bloco de alumínio.

O novo aporte se soma aos R$ 8 bilhões previstos para o Brasil até 2024, que contemplam veículos e motores. A expectativa com a planta de motores é empregar 300 funcionários diretos e 900 indiretos. Produção começará em no último quadrimestre de 2020 e o lançamento de modelos equipados com os mesmos, só em 2021. Esses novos motores serão utilizados nos modelos da Fiat, como Argo, Cronos Fiat Toro, além dos modelos Jeep como o Renegade e o Compass.\

Novos lançamentos

A FCA planeja produzir três novos modelos em Betim a partir de 2020. Dois deles marcam a entrada da Fiat no segmento de SUVs, que é o que mais cresce no mercado brasileiro. Os modelos serão derivados do Fiat Argo: “serão veículos que vão chamar a atenção pelo design, desempenho, tecnologia embarcada e nível de conectividade”, destaca Filosa. Outro veículo que vem por aí é uma nova picape compacta.

GNV isento em Minas e investimentos em pesquisa

Durante o evento, o governador Romeu Zema anunciou decreto que isenta veículos movidos a gás natural veícular (GNV) de pagar IPVA no Estado de Minas Gerais. A Fiat relançou recentemente o Grand Siena com preparação para Kit Gás. Além disso, o Estado de Minas prevê o lançamento de um programas de residência tecnológica e pesquisa aprofundada para mestrandos e doutorandos na área de engenharia.

Segundo a marca italiana, objetivos principais do programa são estreitar os laços da FCA com a comunidade acadêmica e ajudar a qualificar as novas gerações de engenheiros e técnicos para as constantes evoluções em curso na indústria automotiva.

Indústria 4.0

A linha de produção dos motores GSE T3 e T4 já nascerá em ambiente da Indústria 4.0, de forte conexão entre pessoas, máquinas, dados e inteligência artificial. Os novos motores serão produzidos no mais avançado processo de manufatura e estarão credenciados para competir nos mais exigentes mercados globais.

Com capacidade para fabricar 100 mil propulsores por ano, a nova planta reunirá todas as etapas produtivas do motor, desde a usinagem do bloco e cabeçote até as linhas de montagem. Todo o processo é conectado a uma central de gerenciamento, no melhor exemplo de interação entre pessoas, máquina e dados. (Colaborou Amintas Vidal/Carro Esporte Clube)

Fabrica-da-FCA-Betim-MG

Fiat Chrysler deve anunciar nova fábrica de motores em Betim dia 22

Fábrica na Grande BH vai produzir motores 1.0 e 1.3 turbo para equipar a linha Fiat e Jeep e abrir novas vagas de empregos diretos e indiretos

Fabrica-da-FCA-Betim-MG
Minas Gerais deverá receber um grande aporte de investimentos na próxima semana. Tudo indica que o Brasil venceu a concorrência com o Sudeste Asiático para a construção de uma nova fábrica de motores do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA). A planta vai fabricar novos motores turbo 1.0 e 1.3 para a linha Fiat e Jeep.

É que a marca programou para a próxima quarta-feira (22) na planta de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o anúncio de novos investimentos na região. Executivos globais da FCA, incluindo CEO, Michael Manley, estarão presentes, o que denota que o plano não se restringe ao mercado local. “Será um anúncio muito importante não só para a cadeia produtiva, mas para Minas e o Brasil”, destaca uma fonte. Procuramos o governo de Minas, que informo que “as tratativas com a Fiat estão avançadas”.

Em fevereiro deste ano, o presidente da FCA na América Latina, Antonio Filosa, revelou que Betim e a Ásia disputavam receber a fábrica. Na ocasião, o executivo destacou que Minas estava com 49% das chances de receber o empreendimento, contra 51% da Ásia. “A competitividade dos asiáticos é maior, mas Betim tem mão de obra qualificada”, declarou Filosa. Pelo visto, o Brasil ganhou a disputa.

Uma vez confirmada a nova planta em Minas Gerais, a FCA estima em 18 meses o tempo para desenvolvimentismo e inauguração. Detalhes como capacidade instalada, volume de produção e quantidade de empregos diretos e indiretos a serem criados devem ser revelados dia 22. A fábrica de motores receberia parte dos R$ 8 bilhões em investimentos anunciados pelo CEO da FCA na América Latin em julho de 2018, durante o aniversário de 42 anos da planta de Betim.

Na Europa, Jeep Renegade já possui opção de motor 1.3 turbo a gasolina.
Na Europa, Jeep Renegade já possui opção de motor 1.3 turbo a gasolina.

Segundo informações do jornalista Marlos Ney Vidal, do AutosSegredos, com a nova fábrica está prevista a produção de cinco blocos. Dois deles, seriam os motores três cilindros Firefly 1.0 12V e quatro cilindros 1.3 16V, ambos Turbo Flex que serão usados pelos Jeep Renegade e Compass e nos Fiat Argo, Cronos e Toro.

Uma vez que serão necessários 18 meses para entrega dos motores, os carros só seriam equipados com os mesmos no fim do próximo ano ou mesmo em 2021, apesar de vários concorrentes já oferecerem blocos turbo em seus modelos. Com isso, a FCA deverá importar motores 1.3 turboflex para equipar Jeep Compass e Fiat Toro num primeiro momento. Esses modelos devem ser reestilizados e chegar ao mercado no começo de 2020.

Peugeot-2008-2020-2

Peugeot 2008 2020: SUV reestilizado chega por R$ 69,9 mil

Lançamento do novo 2008 é um ponto chave da reestruturação da Peugeot no mercado nacional

Peugeot-2008-2020-2

Por Thiago Ventura

Marca do leão lança no mercado brasileiro o SUV 2008 reestilizado, num trabalho de design feito pela equipe Latam. Na prática, o que mudou foi a dianteira, com desenho exclusivo para a América Latina. O 2008 ficou com visual mais próximo de seus “irmãos” maiores 3008 e 5008.

Além disso, o carro teve uma alteração importante em se portfólio de powertrain: agora o modelo é vendido apenas com transmissão automática de seis velocidades. Isso corrige uma escolha no-sense do passado, em que a versão topo de linha com motor turbo era oferecida apenas com câmbio manual…

Peugeot-2008_INTERIOR_N3_GRIFFE_THP_BRA_AT

O lançamento do novo 2008 também é um ponto chave da reestruturação da empresa no mercado nacional, no plano chamado “Virada Brasil”. Iniciado em 2015, promoveu uma ampla modernização dos produtos no país, além da completa reestruturação do modelo de negócios, passando pela rede de concessionários, serviços e relacionamento com os clientes. Na prática, contudo, tendo em vista o imbróglio com o grupo SHC, resultou no fechamento de revendas da PSA.

“Oferecemos veículos modernos, anunciamos a expansão da rede de concessionárias e passamos a oferecer um compromisso único no mercado: agora, cliente que não estiver satisfeito com o serviço, não paga pelo valor da mão de obra” diz Ana Theresa Borsari, presidente da Peugeot no Brasil.

Peugeot-2008-2020

Disponível em duas configurações de motorização, 1.6 EC5 VTI, de 118 cv a 5.750 rpm (com etanol) e 1.6 THP, de 173 cv a 6.000 rpm (com etanol), ambas com câmbio automático EAT6 de seis velocidades, produzido pela japonesa AISIN AW, os propulsores contam com torque máximo de 16,1 kgfm a 4.750 e 24,5 kgfm a 4.000 rpm, respectivamente.

Na versão Griffe THP, vem ccom o Grip Control, dispositivo que tem por objetivo auxiliar o motorista na direção ao otimizar a motricidade em diferentes e acidentados terrenos, como neve, areia ou lama. O Grip Control está disponível com 5 ajustes manuais (padrão, areia, neve, lama ou ESP OFF).

PREÇOS E VERSÕES:

Allure (R$ 69.990): central multimídia com tela de 7 polegadas e conexão com Android Auto e Apple CarPlay, ar-condicionado manual, faróis com leds diurnos, retrovisores elétricos, vidros elétricos nas quatro portas, piloto automático, volante multifuncional, 4 airbags, ancoragem de cadeirinhas infantis (Isofix) e rodas de 16 polegadas com calotas.

Allure Pack (R$ 79.990): itens anteriores mais faróis de neblina, volante revestido de couro, câmera de ré, alarme e rodas de liga leve aro 16.

Griffe (R$ 89.990): itens anteriores mais ar-condicionado digital de duas zonas, rodas diamantadas, teto de vidro panorâmico, sensor de chuva e faróis automáticos.

Griffe THP (R$ 99.990): itens anteriores mais seletor de modos de condução (Grip Control) e motorização turbo.

Peugeot-2008-2020-3