Arquivo da categoria: Notícias

Nissan Kicks 2022  foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Nissan Kicks 2022 está de cara nova, mas mantém motor antigo

Modelo mais vendido da marca no Brasil segue com motor 1.6 aspirado, mas oferece itens de conforto e segurança. Nissan Kicks 2022 ganha design e equipamentosNissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube
Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Thiago Ventura

A marca japonesa lançou nesta quinta (25) o Nissan Kicks 2022 no Brasil, que chega com visual renovado e mais equipamentos. O veículo exibe as mesmas mudanças visuais do modelo vendido no Japão e nos Estados Unidos. Fabricado em Resende (RJ), o SUV começa ser vendido em pré-venda online de imediato e chega às lojas na segunda quinzena de março. O Nissan Kicks 2022 mantém a tabela de preços do modelo anterior e tem valor inicial de m R$ 90.390, na versão Sense MT, e vai a R$ 116.390, na opção topo de linha Exclusive CVT.

Além do visual, o carro ganhou melhorias na suspensão e em outros elementos, mas manteve o powertrain. Isso quer dizer que o lançamento tem motor 1.6 16V de 114 cv e 15,5 kgf.m de torque, tanto com etanol ou gasolina. A transmissão pode ser manual de cinco marchas, opção que representa cerca de 5% do mix de vendas ou automática do tipo CVT. No vácuo do fim de linha do Ford EcoSport e com os preços congelados, a expectativa dos japoneses é vender cerca de 50 mil unidades nos próximos 12 meses.

Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Entre as novidades de equipamentos, o carro conta com sistemas de auxílio ao motorista, como sistema de alerta e frenagem autônoma de emergência e sensor de ponto cego, esses opcionais dentro do Pack Tech. Outra novidade interessante, exclusiva da versão topo de linha é o sistema de som premium Bose, com oito auto falante, inclusive dois no encosto de cabeça do motorista.

LEIA TAMBÉM:
Quer experimentar um carro elétrico? Agora você pode alugar um Nissan Leaf por R$ 200
Nissan Versa 2021 chega com visual arrebatador para disputar liderança dos sedãs-compactos

Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Design do Nissan Kicks 2022

A dianteira do novo Nissan Kicks 2022 representa bem a mudança. Saiu de uma grade recatada e contida para uma peça bem mais refinada e imponente. Trata-se da ampla grade Double V-motion em black piano recortada por frisos cromados verticais que parecem garras. Os faróis Full LED com função assinatura visual com função DLR (luz de rodagem diurna), deixa a dianteira muito bonita.

A traseira do Nissan Kicks 2022 mantém as mesmas lanternas, mas ganharam um elemento refletivo une as peças lado a lado, criando um alinha horizontal. O SUV ostenta novo para-choque, tanto na dianteira, quanto na na traseira, ambos com maior área limpa, ampliando a sensação de volume.

A lateral mantém o estilo teto flutuante, realçado por apliques preto nas colunas B e C. O teto exibe antena do tipo barbatana de tubarão em todas as versões. As configurações Advance e Exclusive têm rodas de liga-leve de 17 com novo design.

Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Novidades mecânicas

Apesar de manter o mesmo conjunto mecânico, o Nissan Kicks 2022 ganhou melhorias em outros componentes. Exemplo disso é a a suspensão traseira, que recebeu novos pontos de fixação do eixo. Segundo a Nissan, tal mudança aumenta a firmeza da suspensão e melhora a estabilidade.

O crossover recebeu novos pneus com com maior coeficiente de atrito, o que melhora a aderência na chuva e nas frenagens de emergência. Porém, a marca e as dimensões foram mantidas. O Sense MT tem rodas de aço com calota, o Sense CVT rodas de liga leve de 16″ e as versões mais caras rodas aro 17″.

Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Lista de equipamentos

Nissan Kicks Sense MT 2022 (R$ 90.390)

Acabamento dos bancos em tecido, Acendimento inteligente dos faróis, Aerofólio integrado na cor do veículo, Airbags duplos frontais, laterais e de cortina (total de 6), Alarme, Alerta de cinto de segurança destravado – frontal e traseiros, Antena estilo barbatana de tubarão, Ar-condicionado, Bancos do motorista com ajuste de altura, Banco traseiro rebatível e bipartido 60/40, Bancos dianteiros com tecnologia Gravidade Zero, Comandos de áudio e telefone no volante, Cintos de segurança de três pontos para todos os passageiros (5), Controle de Tração e Estabilidade (VDC – Vehicle Dynamic Control), Desembaçador de vidro traseiro com temporizador, Direção elétrica, Faróis dianteiros com sistema Follow me Home, Fixadores traseiros para cadeiras de crianças (ISOFIX), Freios ABS com controle eletrônico (EBD) e assistência de frenagem (BA), Grade frontal com acabamento cromado, Lanternas traseiras em LED, Limpador de para-brisa dianteiro e traseiro com controle intermitente variável, Luz de freio em LED, Maçanetas externas na cor do veículo e internas cromadas, Porta-malas com iluminação interna, Rack de teto longitudinal na cor prata, Retrovisores externos com regulagem elétrica e na cor da carroceria, Rodas de aço 16″ e pneus 205/60 R16, Sistema Inteligente de Partida em Rampa (HSA), Sistema de áudio com display sensível ao toque, colorido de 7 polegadas, com rádio AM/FM, Bluetooth, Apple CarPlay® e Android Auto® e 4 alto-falantes, Tag SEM PARAR, Vidros dianteiros e traseiros elétricos com sistema um toque para baixo somente para o motorista Volante com regulagem de altura e profundidade

Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Nissan Kicks Sense CVT 2022 (R$ 98.390)

Todos os itens da versão Sense com câmbio manual adicionados de Câmbio XTRONIC® CVT com função Overdrive, Câmera traseira de estacionamento, Controle de velocidade automática no volante, Luzes de condução diurna (DTRL), Rodas de liga leve 16” e pneus 205/60 R16 e Sensor de estacionamento traseiro.

Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Nissan Kicks Advance CVT 2022 (R$ 106.390)

Todos os itens da versão Sense CVT adicionados de: bancos com revestimento sintético, Chave inteligente presencial (I-Key)
Controle do computador de bordo no volante, Espelho retrovisor eletrocrômico, Fechamento dos vidros por meio de controle remoto
Multimídia Nissan Connect com tela sensível ao toque colorida de 8 polegadas, 2 portas USB (Tipo A e tipo C) Bluetooth, Apple CarPlay® e Android Auto®, Painel multifuncional em TFT de 7”, Retrovisores externos com regulagem elétrica e indicador de direção
Rodas de liga leve de 17″ e pneus 205/55 R17, Sistema eletrônico de ignição (botão Push Start), Vidros dianteiros e traseiros elétricos com sistema um toque e antiesmagamento, Volante com acabamento revestimento sintético
Pack Plus: Bancos com revestimento sintético

Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Nissan Kicks Exclusive CVT 2022 (R$ 116.390)

Todos os itens da versão Advance CVT adicionados de: Ar-condicionado automático digital, Apoio de braço frontal
Controle Inteligente de Freio Motor (Active Engine Brake), Controle Inteligente em Curvas (Active Trace Control), Detector de objetos em movimento (MOD), Estabilizador Inteligente de Carroceria (Active Ride Control), Faróis dianteiros e de neblina em Full LED, Maçanetas externas cromadas, Retrovisores externos rebatíveis automaticamente, Sistema premium de som BOSE® Personal Plus com alto-falante no apoio de cabeça do motorista com oito alto-falantes, Visão 360° Inteligente

Pack Tech Acendimento Inteligente dos faróis com ajuste de altura e intensidade (HBA), Alerta de Colisão Frontal com assistente inteligente de frenagem (FCW/FEB), Alerta Inteligente de mudanças de faixa (LDW), Alerta de tráfego cruzado traseiro (RCTA), Monitoramento de ponto cego (BSW)

Ficha Técnica: Nissan Kicks 2022

Motor
De quatro cilindros em linha, 1.598 cm³ de cilindrada, 16 válvulas, de 114 cv (etanol/gasolina) de potência máxima a 5.600rpm e torque máximo de 15,5 kgfm (e/g) a 4.000 rpm

Transmissão
Tração dianteira e câmbio CVT de infinitas relações

Direção
Tipo pinhão e cremalheira com assistência elétrica; diâmetro de giro, 10,2 metros

Freios
Disco ventilado na dianteira e tambor na traseira; ESP (controle de estabilidade de tração) e HSA (assistente de partida em rampa),

Nissan Kicks 2022 foto Thiago Ventura Carro Esporte Clube

Suspensão
Dianteira, independente, com barra estabilizadora, do tipo McPherson; traseira, eixo de torção; altura do solo, 20 centímetros; ângulos de ataque/saída (graus), 20/28

Rodas/pneus
7×17”de liga leve /205/55R17

Peso
1.139 kg

Carga útil (passageiros+ bagagem)
411 kg

Dimensões (metro)
Comprimento, 4,31; largura, 1,76; altura, 1,59; distância entre-eixos, 2,61

Capacidades (litro)
Porta-malas, 432; tanque, 41

Desempenho
Velocidade máxima, 175 km/h (e)/(g); aceleração até 100km/h, 11,8 segundos (e/g)

Consumo (km/l)
Urbano, 7,6 (e) e 11,3 (g); estrada, 9,3 (e) e 13,6 (g)

PUBLICADO ORIGINALMENTE NO Carro Esporte Clube. Clique aqui para conferir

Renault Kwid Outsider é um dos modelos disponíveis

Renault lança serviço de assinatura de carros no Brasil com preço a partir de R$ 869

Marca lança serviço de assinatura Renault On Demand com Kwid, Stepway e Duster, disponíveis tanto para pessoa física como para empresas

Renault Kwid Outsider é um dos modelos disponíveis
Renault Kwid Outsider é um dos modelos disponíveis

Mais uma montadora resolveu investir no mercado de assinatura de veículos zero quilômetro. Dessa vez é a Renault que resolveu evoluir a startup Loopster, criada em março de 2020, para o serviço Renault On-Demand. Antes restrito para funcionários, agora a assinatura está disponível em todo o Brasil com preços que partem de R$ 869 mensais, como simulamos no site.

Estão disponíveis para assinatura os modelos Renault Kwid Zen, Kwid Outsider, Stepway Iconic 1.6 CVT e o Duster Iconic 1.6 CVT. O valor da assinatura inclui revisões preventivas e troca de peças de desgaste natural, incluindo também a troca de pneus.

Também fazem parte do pacote IPVA e licenciamento e Seguro Auto com proteção contra roubo, furto, incêndio e terceiros. Conta ainda com assistência 24 horas (serviços de reboque, chaveiro, retorno ao domicílio, hospedagem, carro reserva, e outros serviços emergenciais). Há ainda, opcionalmente e pago à parte, o ‘seguro proteção financeira’: trata-se de uma proteção em caso de desemprego involuntário, incapacidade, morte ou invalidez, em parceria com a seguradora BNP Paribas Cardif.

Na etapa de testes, durante sete meses, o Loopster atendeu colaboradores da Renault no Paraná e Banco RCI, no Paraná, além de 200 clientes em seis estados brasileiros. Agora no ‘vamos ver’, oferece quatro planos de assinatura tempo de 12, 18, 20 ou 24 meses. O Renault On Demand tem um site onde é possível configurar o veículo, semelhante no processo de compra.

LEIA TAMBÉM
Renault Clio completa 30 anos e nova geração segue longe do Brasil
Renault Duster Zen 2021: confira a versão mais acessível do SUV
Após tirar criador do 208 da Peugeot, Renault contrata mais um designer da concorrência
Para encerrar greve, Renault readmite 747 funcionários e abre novo PDV

O cliente pode escolher a franquia de quilometragem, que varia entre 500, 1000, 1500 e 2000 quilômetros mensais, além de coberturas adicionais. O assinante tem ainda opção de escolher detalhes do carro e pagar por extras como insulfilm e entrega do veículo em casa.

“Queremos ser referência em mobilidade no país. O lançamento do Renault On Demand se soma a todos os demais serviços que oferecemos em conjunto com a RCI Serviços Brasil para facilitar a vida dos nossos clientes”, ressalta Bruno Hohmann, vice-presidente comercial.

Renault On Demand: como funciona

Para assinar o serviço Renault On Demand, é preciso apenas acessar o site da empresa. A contratação é 100% on-line, incluindo a assinatura digital do contrato e todo o acompanhamento durante o período de utilização. O cliente também pode realizar a contratação na rede de concessionárias credenciada. Na assinatura o cliente poderá escolher entre os modelos Kwid Zen 1.0, Kwid Outsider 1.0, Stepway Iconic 1.6 CVT e Duster Iconic 1.6 CVT.

Os preços variam de acordo com o prazo de assinatura, franquia e se o cliente é pessoa física ou jurídica. Nos simulamos a locação de um Renault Kwid Zen por 20 meses e franquia de apenas 500 km mensais como cliente PJ. Nesse caso, o valor ficou em R$ 869,00 mensais. Caso seja para PF, o valor sobe para R$ 919.

O mesmo Kwid Zen num plano de 12 meses e franquia de 2.000 km mensais tem o preço de R$ 1.139 para pessoa física e R$ 1.049 para empresas. Outros modelos mais completos, o Stepway Iconic 1.6 CVT tem preço de R$ 1.639 mensais, enquanto o SUV Duster Iconic 1.6 CVT tem mensalidade de R$ 1.769.

O valores da Renault estão abaixo dos oferecidos pela Fiat e Volkswagen, que também lançaram assinatura de veículos. Ao término do plano, o cliente poderá optar pela renovação antecipada e assim, receber o novo veículo na data de devolução do antigo. O serviço Renault On Demand não pode ser utilizado por motoristas de aplicativos. O assinante não tem opção de comprar o veículo ao final do contrato, algo previsto no plano da Fiat. O Renault On Demand está disponível em todos os estados do Brasil.


Entre no grupo do Carro Esporte Clube no WhatsApp!

Quem não pagar IPVA está sujeito a multa de até 20% Foto Adão de Souza/PBH

Não perca o prazo! Vencimento do IPVA começa nesta segunda em MG

Programa “Bom pagador” concede automaticamente, 3% de desconto para quem pagou em dia todas as obrigações referentes ao veículo, nos anos de 2019 e 2020

Quem não pagar IPVA está sujeito a multa de até 20% Foto Adão de Souza/PBH
Quem não pagar IPVA está sujeito a multa de até 20% Foto Adão de Souza/PBH

A escala de pagamento do IPVA 2021 em Minas Gerais começa em 18 de janeiro e termina em 24 de março, conforme anunciado  pela Secretaria de Estado de Fazenda (SEF). O contribuinte que decidir quitar o imposto à vista, na data de vencimento da primeira parcela de sua respectiva placa, terá 3% de desconto.

Permanece em vigor o programa “Bom pagador” de incentivo à regularidade da quitação do tributo, que concede, automaticamente, 3% de desconto para quem pagou em dia todas as obrigações referentes ao veículo, nos anos de 2019 e 2020.

A tabela contendo as bases de cálculo e os valores do IPVA está disponível no Diário Eletrônico da SEF. As consultas de valores também podem ser realizadas no site da secretaria ou pelo telefone 155 (opção 5) do LigMinas.

Em comparação ao IPVA 2020, haverá redução média de 4,12% da base de cálculo adotada. A apuração do valor venal da frota, que serve de base para o cálculo do imposto, foi feita por técnicos da SEF, subsidiada por pesquisa de mercado da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP).

Arrecadação x frota

A expectativa de arrecadação com o IPVA em 2021 é de R$ 6,33 bilhões. O incremento previsto, em relação a 2020, é de 6,74% – R$ 399,8 milhões. O valor médio do imposto é de R$ 612,54.

A frota tributável teve um aumento de 241.444 veículos em relação ao ano anterior (2,39%), totalizando 10.343.686 (dado contabilizado até 16/10). Mais 90 mil veículos – entre zero quilômetro e transferidos de outros estados –, devem ser acrescidos à frota mineira até o fim de dezembro. Mesmo assim, a evolução registrada será inferior à do ano anterior, de acordo com o subsecretário da Receita Estadual, Osvaldo Scavazza.

“O aumento da frota e da estimativa de arrecadação 2021 x 2020 caiu em termos percentuais, se comparado ao aumento 2020 x 2019, quando foi registrado um incremento de 3,74% na frota e 9,07% na estimativa de arrecadação. Provavelmente, essa queda pode ser reflexo da crise provocada pela pandemia de covid-19”, explica.

Da frota do Estado, 3.057.590 (29,56%) veículos se encontram na Região Metropolitana de Belo Horizonte e 1.943.360 (18,79%) estão na capital.

Destinação da receita

Do valor total apurado com o IPVA, 20% são repassados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb); 40% ao caixa único do Estado e 40% para o município de licenciamento do veículo.

Pagamento

Os contribuintes terão a opção de pagar o IPVA em cota única, com desconto de 3%, ou em três parcelas, nos meses de janeiro, fevereiro e março. O valor mínimo do imposto para parcelamento é de R$ 150. Abaixo desse valor, somente em cota única.

O pagamento pode ser feito a partir desta terça-feira (1/12), diretamente nos terminais de autoatendimento ou guichês dos agentes arrecadadores – Bradesco, Mercantil do Brasil, Caixa Econômica Federal, Casas Lotéricas, Mais BB, Banco Postal, Santander e SICOOB –, bastando informar o número do Renavam do veículo. O Banco do Brasil e o Itaú aceitam o pagamento apenas de correntistas.

Para emitir a guia de arrecadação do IPVA 2021, o contribuinte deve acessar o site da SEF.

Penalidades

O não pagamento do IPVA nos prazos estabelecidos gera multa de 0,3% ao dia (até o 30º dia), e de 20% após o 30º dia, além de juros calculados pela taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic).

Taxa de Licenciamento

O valor da Taxa de Renovação do Licenciamento Anual de Veículos (TRLAV) para 2021 ainda não foi definido porque a Secretaria de Fazenda aguarda a tramitação do projeto de lei enviado pelo Governo à Assembleia Legislativa. A iniciativa propõe mudança no atual critério usado para a correção anual do valor da Unidade Fiscal do Estado de Minas Gerais (Ufemg).

O texto mantém o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna), que variou 22,10% nos últimos 12 meses, mas acrescenta o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), cuja variação foi de 3,92%. A ideia é que, para fins de atualização da Ufemg, seja levado em conta sempre o menor índice.

Alerta

A Secretaria de Fazenda reforça que não envia boletos de IPVA para o endereço dos contribuintes nem mensagens eletrônicas para e-mail ou celular contendo links para acesso à tabela ou para a emissão de guias de arrecadação.

Stellantis-PSA-FCA-Carro-Esporte-Clube

UE aprova, com condições, fusão das montadoras PSA e Fiat Chrysler

Novo conglomerado reúne as marcas marcas Abarth, Fiat, Jeep, Dodge, Lancia, Ram, Chrysler, Alfa Romeo, Maserati, Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall, além de Comau e Teksid.

Stellantis-PSA-FCA-Carro-Esporte-Clube

A fusão da francesa Groupe PSA e a ítalo-americana Fiat Chrysler Automóveis (FCA) foi aprovada nesta segunda-feira (21) pela União Europeia. Contudo, o bloco estabeleceu condições para proteger a concorrência no setor de veículos.

Com o negócio, as empresas formarão o quarto maior grupo automobilístico mundial sob o nome Stellantis. PSA e FCA se comprometeram a prorrogar acordo da francesa e a Toyota sobre veículos comerciais leves, além de  facilitar o acesso das concorrentes às redes de reparos e manutenção.

“Estamos em condições de autorizar a fusão entre Fiat Chrysler e Peugeot SA, pois seus compromissos facilitarão a entrada e expansão no mercado das caminhonetes comerciais leves. Nos outros mercados em que as duas fabricantes exercem suas atividades, a concorrência continuará a ser apoiada após a fusão”, afirmou Margrethe Vestager, vice-presidente da Comissão responsável pela Concorrência.

Stellantis

O novo conglomerado reúne as marcas marcas Abarth, Fiat, Jeep, Dodge, Lancia, Ram, Chrysler, Alfa Romeo, Maserati, Peugeot, Citroën, DS, Opel e Vauxhall, além de Comau e Teksid. O agora quarto maior grupo automotivo cobre praticamente todos os segmentos-chave de veículos, desde automóveis de luxo, premium e de passageiros, até SUVs e picapes & veículos utilitários leves.

‘Stellantis’ é a junção do verbo latino “stello”, que significa “iluminar com estrelas”. O conceito deles é que o nome representa o audacioso projeto de integração de empresas e culturas diferentes, com marcas italianas, francesas, americanas e inglesa, dentre outras.

“As origens latinas do nome homenageiam a rica história de suas empresas fundadoras, enquanto a evocação da astronomia captura o verdadeiro espírito de otimismo, energia e renovação que impulsionam essa fusão que está mudando o setor”, diz o comunicado.

O nome Stellantis será usado exclusivamente para se referir ao Grupo, como uma marca corporativa. Os nomes e os logotipos das marcas constituintes do Grupo permanecerão inalterados.

O projeto é que a fusão seja concluída no primeiro trimestre de 2021. Contudo, O processo inclui a aprovação pelos acionistas de ambas as empresas em suas respectivas Assembleias Gerais Extraordinárias e a satisfação de análises antitruste e outros requisitos regulatórios. As assembleias estão marcadas para dia 4 de janeiro de 2021.

Segundo a companhia, o novo grupo tem 46% das receitas derivadas da Europa e 43% da América do Norte, com base nos dados agregados de 2018 de cada empresa. A partir da união, as estratégias para as outras regiões serão reformuladas.

Membros da Conselho da Stellantis

John Elkann (Presidente)
Robert Peugeot (Vice-presidente)
Henri de Castries (Diretor Independente Sênior)
Andrea Agnelli (Diretor não executivo)
Fiona Clare Cicconi (Diretora não executiva)
Nicolas Dufourcq, (Diretor não Executivo)
Ann Frances Godbehere, (Diretora não executiva)
Wan Ling Martello (Diretor não Executivo)
Jacques de Saint-Exupéry, (Diretor não Executivo)
Kevin Scott (Diretor Não Executivo)
Carlos Tavares (CEO)

John Elkann (Chairman)

John Elkann é atualmente Chairman e Diretor Executivo da FCA e se tornará Chairman e Diretor Executivo da Stellantis após a conclusão da fusão. Ele foi nomeado em 21 de abril de 2010 presidente da Fiat SpA, onde anteriormente atuou como vice-presidente a partir de 2004 e como membro do Conselho desde 1997 e se tornou Chairman da FCA em 12 de outubro de 2014. John Elkann também é Chairman e CEO da Exor NV e Chairman da Giovanni Agnelli BV.

John Elkann obteve o bacharelado científico no Lycée Victor Duruy em Paris e formou-se em Engenharia no Politécnico, a Universidade de Engenharia de Turim (Itália). Ainda na universidade, ganhou experiência de trabalho em várias empresas do grupo FCA no Reino Unido e na Polônia (manufatura), bem como na França (vendas e marketing). Ele iniciou sua carreira profissional em 2001 na General Electric como membro da Equipe de Auditoria Corporativa, com atribuições na Ásia, Estados Unidos e Europa. John Elkann é Chairman da Ferrari NV e Ferrari SpA e Chairman do GEDI Gruppo Editoriale SpA e membro do Conselho da PartnerRE Ltd .. John Elkann é membro do Conselho de Curadores e do Comitê de Nomeação do Museu de Arte Moderna (MoMA) . Ele também atua como Chairman da Fundação Giovanni Agnelli.

Robert Peugeot (Vice-presidente)

Robert Peugeot, presidente do conselho da FFP, é atualmente o representante permanente da FFP no Conselho de Supervisão da PSA, membro do Comitê de Finanças e Auditoria da PSA e Chairman do Comitê Estratégico da PSA. Ele atuará como Diretor da Stellantis após a conclusão da fusão. Robert Peugeot ingressou no Conselho de Supervisão da PSA como representante permanente da FFP em 25 de abril de 2014. Robert Peugeot é graduado pela École Centrale de Paris e pelo Institut Européen d’Administration des Affaires (INSEAD).

Robert Peugeot ocupou vários cargos executivos na PSA. De 1998 a 2007, ele foi vice-presidente de Inovação e Qualidade e membro do Comitê Executivo do PSA. Além disso, Robert Peugeot atua como Chairman do Conselho da FFP S.A .; diretor da Établissements Peugeot Frères S.A .; diretor da Faurecia S.A .; diretor da FFP Investment UK Ltd .; Chairman da F&P S.A.S .; diretor administrativo da S.A.R.L. CHP Gestion; diretor administrativo da SC Rodom; representante permanente da F&P S.A.S. no conselho de administração da Safran S.A .; membro do conselho fiscal da Signa Prime; diretora da Sofina S.A .; membro do conselho fiscal da Soparexo S.C.A .; diretor da Tikehau Capital Advisors S.A.S; e representante permanente da Maillot II S.A.S, no conselho de administração da Sicav Armene 2. Ele é um Cavaleiro da Ordem Nacional do Mérito da França e um Cavaleiro da Legião de Honra Francesa.

Henri de Castries (Diretor Independente Sênior)

Henri de Castries atuará como Diretor da Stellantis após a conclusão da fusão. Ele é graduado pela École des Hautes Etudes Commerciales (HEC) e pela École Nationale d’Administration (ENA). Henri de Castries foi Chairman do Conselho de Administração da AXA S.A. de 2000 e presidente e diretor executivo de abril de 2010 a setembro de 2016. Anteriormente, trabalhou para o Gabinete de Inspeção do Ministério das Finanças francês e para o Departamento do Tesouro francês. Além disso, Henri de Castries atualmente atua como diretor da Argus Media Ltd; Chairman da Europe e conselheiro especial da General Atlantic; Chairman do Conselho de Administração da AXA Assurances IARD Mutuelle; Chairman do Conselho de Administração da AXA Assurances Vie Mutuelle; membro do conselho consultivo global da Leapfrog Investments Ltd; diretor do HSBC Holdings plc .; e vice-presidente do Conselho de Administração da Nestlé S.A.

Andrea Agnelli (Diretor não executivo)

Andrea Agnelli atuará como Diretor não executivo da Stellantis após a conclusão da fusão. Andrea Agnelli é presidente da Lamse (desde 2007), uma holding financeira, presidente da Juventus Football Club SpA (desde 2010), presidente da “Fondazione del Piemonte per l’Oncologia” (desde 2017) e presidente da “European Club Association ”(desde 2017, membro do conselho desde 2012).

Ele estudou em Oxford (St. Clare’s International College) e em Milão (Università Commerciale Luigi Bocconi). Andrea Agnelli começou sua carreira profissional em 1999 na Ferrari Idea em Lugano antes de se mudar para Lausanne para ingressar na Philip Morris International, de 2001 a 2004. Em 2005, ele retornou a Turim para trabalhar no desenvolvimento estratégico para IFIL Investments S.p.A. (agora EXOR N.V.).

Andrea Agnelli é também General Partner de Giovanni Agnelli B.V., membro do Conselho de Administração da EXOR N.V., membro do Comité Executivo da UEFA e membro do Conselho Consultivo da BlueGem Capital Partners LLP. Anteriormente, atuou como membro do conselho da Lega Serie A e como membro do conselho da “Fondazione per la mutualità generale negli sport professionistici”. Andrea Agnelli foi nomeado para o conselho de administração da Fiat SpA em 30 de maio de 2004 e tornou-se membro do Conselho de Administração da FCA em 12 de outubro de 2014.

Fiona Clare Cicconi (Diretora não executiva)

Fiona Clare Cicconi atuará como representante dos funcionários no Conselho da Stellantis após a conclusão da fusão. Fiona Clare Cicconi é vice-presidente executiva e diretora de Recursos Humanos da AstraZeneca PLC desde 2014. Fiona Clare Cicconi começou sua carreira na General Electric, onde ocupou várias funções de Recursos Humanos no setor de petróleo e gás. Posteriormente, ela passou vários anos na Cisco, supervisionando Recursos Humanos no sul da Europa e, em seguida, relações industriais e de funcionários na EMEA, antes de ingressar na F. Hoffmann La Roche em 2006. Lá, ela foi mais recentemente responsável por Recursos Humanos globais para Global Technical Technical Operações. Fiona Clare Cicconi é formada em estudos de negócios internacionais pela Leeds Metropolitan University.

Nicolas Dufourcq (Diretor não Executivo)

Nicolas Dufourcq atuará como Diretor da Stellantis após a conclusão da fusão. Nicolas Dufourcq é graduado pela École des Hautes Etudes Commerciales (HEC) e pela École Nationale d’Administration (ENA).

Nicolas Dufourcq começou sua carreira no Ministério da Economia e Finanças da França em 1988 e depois ingressou no Ministério da Saúde e Assuntos Sociais da França em 1992, antes de ingressar na France Telecom em 1994. Em 1998, ele criou a Wanadoo, líder do acesso à Internet, uma subsidiária da France Telecom, e listou-a por € 20 bilhões em 2000. Entre 1998 e 2003, ele foi CEO da Wanadoo e diretor executivo da France Telecom responsável pela Internet, TV a cabo e TV paga.

Nicolas Dufourcq ingressou na Capgemini em 2003, onde era responsável pela região centro e sul da Europa. De 2004 a 2013, ele atuou como diretor financeiro e vice-presidente executivo da Capgemini. Desde 7 de fevereiro de 2013, Nicolas Dufourcq é o CEO da Bpifrance SA. Além disso, Nicolas Dufourcq atua como diretor executivo da Bpifrance Financement S.A .; diretor executivo da Bpifrance Investissement S.A.S .; diretor executivo da Bpifrance Assurance Export S.A.S .; presidente e diretor executivo da Bpifrance Participations S.A .; representante permanente da Bpifrance Participations S.A. no Conselho de Administração da Orange; vice-presidente do conselho fiscal da STMicroelectronics N.V .; e membro do conselho fiscal da Doctolib S.A.S.

Ann Frances Godbehere (Diretora Não Executiva)

Ann Frances Godbehere atuará como diretora não executiva da Stellantis após a conclusão da fusão. Nascida no Canadá, Ann Frances Godbehere começou sua carreira na Sun Life of Canada em 1976 em Montreal, Canadá, e ingressou no M&G Group em 1981, onde atuou como vice-presidente sênior e controladora de vida e saúde, e negócios de propriedades e acidentes em toda a América do Norte.

Ela ingressou na Swiss Re em 1996, após a aquisição do Grupo M&G, e atuou como diretora financeira de 2003 a 2007. De 2008 a 2009, ela foi diretora financeira interina e diretora executiva do banco Northern Rock no período inicial após sua nacionalização. Ann Frances Godbehere também ocupou vários cargos de diretoria não executiva na Prudential plc, British American Tobacco plc, UBS AG e UBS Group AG. Mais recentemente, e até maio de 2019, Ann Frances Godbehere atuou como diretora não executiva da Rio Tinto plc e da Rio Tinto Limited.

Ela também foi diretora sênior independente da Rio Tinto plc. Além disso, Ann Frances Godbehere atua como diretora não executiva da Royal Dutch Shell plc. Ela também é membro do Institute of Chartered Professional Accountants e membro da Certified General Accountants Association of Canada.

Wan Ling Martello (Diretora não Executiva)

Wan Ling Martello atuará como Diretora não executiva da Stellantis após a conclusão da fusão. Atualmente atua como sócia e cofundadora da BayPine, gestora de patrimônio privado, função que exerce desde 2020. De 2015 a 2018, a Sra. Martello atuou como vice-presidente executiva e diretora executiva da Ásia, Oceania e regiões da África Subsaariana na Nestlé.

De 2012 a 2015, a Sra. Martello atuou como diretora financeira da Nestlé e de 2011 a 2012 ela atuou como vice-presidente executiva da Nestlé. De 2005 a 2011, a Sra. Martello foi executiva sênior da Walmart Stores, Inc., uma empresa de varejo, onde atuou como vice-presidente executiva de comércio eletrônico global e vice-presidente executiva, diretora financeira e estratégia. A Sra. Martello atua no conselho de administração do Alibaba Group desde 2015 e da Uber Technologies, Inc. desde 2017. Wang Ling Martello tem MBA pela Universidade de Minnesota e bacharelado científico pela Universidade das Filipinas.

Jacques de Saint-Exupéry (Diretor não Executivo)

Jacques de Saint-Exupéry atuará como representante dos funcionários no Conselho da Stellantis após a conclusão da fusão. Jacques de Saint-Exupéry formou-se na Bordeaux Business School.

Jacques de Saint-Exupéry ocupou vários cargos na PSA desde 1984. Desde 2011, tem trabalhado na equipe de controle de gestão, abrangendo as atividades do departamento de finanças corporativas e tesouraria, bem como o departamento de comunicação financeira.

Além disso, Jacques de Saint-Exupéry está envolvido na atividade sindical desde 2008, inclusive como secretário do conselho de trabalhadores da PSA.

Kevin Scott (Diretor Não Executivo)

Kevin Scott atuará como Diretor não executivo da Stellantis após a conclusão da fusão. Kevin Scott é vice-presidente executivo de tecnologia e pesquisa e diretor de tecnologia da Microsoft desde 2017. A carreira de 20 anos de Kevin Scott em tecnologia abrange a academia e a indústria como pesquisador, engenheiro e líder. Antes de ingressar na Microsoft, Kevin Scott foi vice-presidente sênior de engenharia e operações do LinkedIn de 2011 a 2016. No início de sua carreira, Kevin Scott supervisionou a engenharia de anúncios para celular no Google, incluindo a integração da aquisição da AdMob pelo Google. Na AdMob, Kevin Scott foi responsável pela engenharia e operações da plataforma líder mundial de monetização para celular. Antes de ingressar na AdMob, Scott ocupou vários cargos de liderança no Google nas divisões de pesquisa e publicidade da empresa. Kevin Scott é o fundador da organização sem fins lucrativos Behind the Tech, membro do conselho de curadores do Instituto Anita Borg e diretor da Fundação Scott. Kevin Scott possui um M.S. em ciência da computação pela Wake Forest University, um B.S. em ciência da computação pela University of Lynchburg, e concluiu a maior parte de seu Ph.D. em ciência da computação na Universidade da Virgínia.

Carlos Tavares (Diretor Presidente)

Carlos Tavares é atualmente Presidente do Conselho de Administração da PSA e se tornará CEO e Diretor Executivo da Stellantis após a conclusão da fusão. Ele ingressou no Conselho de Administração da PSA em 1º de janeiro de 2014 e foi nomeado Presidente do Conselho de Administração da PSA em 31 de março de 2014. Carlos Tavares se formou na École Centrale de Paris. Ocupou vários cargos no Grupo Renault entre 1981 e 2004, antes de ingressar no Grupo Nissan. Carlos Tavares foi nomeado vice-presidente executivo, presidente do Management Committee Americas e presidente da Nissan North America em 2009, antes de ser nomeado Chief Operating Officer da Nissan, cargo que ocupou até 2013. Carlos Tavares também atua como diretor da Airbus Holding SA, e é membro do conselho de administração da European Automobile Manufacturers ‘Association (ACEA) .

Fonte: Redação com AFP

Produção em SP foi iniciada em 2016

Mercedes-Benz desiste de produzir carros no Brasil: fim de linha para Classe C e GLA nacionais

É a terceira vez que a marca alemã desiste de fabricar automóveis no Brasil. Mercedes-Benz alega atual situação do mercado brasileiro. Sedã e SUV compacto serão agora importados

Produção em SP foi iniciada em 2016
Produção em SP foi iniciada em 2016

Mercedes-Benz anunciou nessa quinta-feira (17) que encerrou a produção dos modelos Classe C e GLA na fábrica em Iracemápolis (SP). De acordo com comunicado enviado pela fabricante, a empresa tomou a decisão com base em vários fatores, incluindo a atual situação no mercado brasileiro. Além disso, a marca diz que busca a melhor alternativa para seus 370 colaboradores da unidade, o que pode incluir um programa de demissão voluntária, entre outras possibilidades .

Jörg Burzer, membro do Board da Mercedes-Benz AG, Produção e Cadeia de Suprimentos: “A situação econômica no Brasil tem sido difícil por muitos anos e se agravou devido à pandemia da Covid-19, causando uma queda significativa nas vendas de automóveis premium. Ao longo do nosso processo de transformação, continuamos a reestruturar a nossa rede de produção global. Aumentar nossa eficiência, otimizando a nossa capacidade de utilização é um facilitador importante. Por isso, decidimos encerrar a produção de automóveis premium no Brasil. Nosso primeiro objetivo agora é encontrar uma solução sustentável para os colaboradores dessa unidade, que contribuíram de forma decisiva para o sucesso da Mercedes-Benz no Brasil com seu comprometimento e expertise nos últimos anos”.

A Daimler AG manterá unidades de produção em São Bernardo do Campo, São Paulo (Caminhões e Chassis de Ônibus) e Juiz de Fora, Minas Gerais (Cabinas de Caminhões).

Sobre a fábrica de Iracemápolis

Com 370 colaboradores, a fábrica de Iracemápolis (São Paulo) tem sido responsável pela produção do Mercedes-Benz Classe C e pelo Mercedes-Benz GLA, que teve início das atividades em 2016. O volume de automóveis que era produzido em Iracemápolis será transferido para outras fábricas da rede de produção global.

Leia também:

IPVA-2021-Imposto-sobre-a-Propriedade-de-Veículos-Automotores-Carro-Esporte-Clube

IPVA 2021: saiba a escala de pagamento do imposto em Minas

Expectativa de arrecadação com o IPVA 2021 é de R$ 6,33 bilhões, uma alta de 6,7% mesmo em ano de pandemia. Valor da taxa de licenciamento ainda não foi revelado


IPVA 2021 começa a ser cobrado dia 18 de janeiro em Minas Gerias (Foto: Isabel Baldoni/PBH)

A escala de pagamento do IPVA 2021, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, em Minas Gerais começa em 18 de janeiro e termina em 24 de março, conforme anunciado nesta terça-feira (1/12) pela Secretaria de Estado de Fazenda (SEF). O contribuinte que decidir quitar o imposto à vista, na data de vencimento da primeira parcela de sua respectiva placa, terá 3% de desconto.

A tabela contendo as bases de cálculo e os valores do IPVA está disponível no Diário Eletrônico da SEF. As consultas de valores também podem ser realizadas no site da secretaria ou pelo telefone 155 (opção 5) do LigMinas.

Em comparação ao IPVA 2020, haverá redução média de 4,12% da base de cálculo adotada. A apuração do valor venal da frota, que serve de base para o cálculo do imposto, foi feita por técnicos da SEF, subsidiada por pesquisa de mercado da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), da Universidade de São Paulo (USP).

Arrecadação x frota

A expectativa de arrecadação com o IPVA em 2021 é de R$ 6,33 bilhões. O incremento previsto, em relação a 2020, é de 6,74% – R$ 399,8 milhões. O valor médio do imposto é de R$ 612,54.

A frota tributável teve um aumento de 241.444 veículos em relação ao ano anterior (2,39%), totalizando 10.343.686 (dado contabilizado até 16/10). Mais 90 mil veículos – entre zero quilômetro e transferidos de outros estados –, devem ser acrescidos à frota mineira até o fim de dezembro. Mesmo assim, a evolução registrada será inferior à do ano anterior, de acordo com o subsecretário da Receita Estadual, Osvaldo Scavazza.

LEIA TAMBÉM:

IPVA deve ser pago no estado em que o veículo circula, decide STF
Sua carteira venceu? Contran divulga prazo para renovar CNH vencida na pandemia
Seguro DPVAT: motorista pode ficar isento de cobrança nos próximos dois anos

“O aumento da frota e da estimativa de arrecadação 2021 x 2020 caiu em termos percentuais, se comparado ao aumento 2020 x 2019, quando foi registrado um incremento de 3,74% na frota e 9,07% na estimativa de arrecadação. Provavelmente, essa queda pode ser reflexo da crise provocada pela pandemia de covid-19”, explica.

Da frota do Estado, 3.057.590 (29,56%) veículos se encontram na Região Metropolitana de Belo Horizonte e 1.943.360 (18,79%) estão na capital.

Destinação da receita

Do valor total apurado com o IPVA, 20% são repassados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb); 40% ao caixa único do Estado e 40% para o município de licenciamento do veículo.

Pagamento

Os contribuintes terão a opção de pagar o IPVA em cota única, com desconto de 3%, ou em três parcelas, nos meses de janeiro, fevereiro e março. O valor mínimo do imposto para parcelamento é de R$ 150. Abaixo desse valor, somente em cota única.

O pagamento pode ser feito a partir desta terça-feira (1/12), diretamente nos terminais de autoatendimento ou guichês dos agentes arrecadadores – Bradesco, Mercantil do Brasil, Caixa Econômica Federal, Casas Lotéricas, Mais BB, Banco Postal, Santander e SICOOB –, bastando informar o número do Renavam do veículo. O Banco do Brasil e o Itaú aceitam o pagamento apenas de correntistas.

Para emitir a guia de arrecadação do IPVA 2021, o contribuinte deve acessar o site da SEF.

Penalidades

O não pagamento do IPVA nos prazos estabelecidos gera multa de 0,3% ao dia (até o 30º dia), e de 20% após o 30º dia, além de juros calculados pela taxa referencial do Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic).

Taxa de Licenciamento

O valor da Taxa de Renovação do Licenciamento Anual de Veículos (TRLAV) para 2021 ainda não foi definido porque a Secretaria de Fazenda aguarda a tramitação do projeto de lei enviado pelo Governo à Assembleia Legislativa. A iniciativa propõe mudança no atual critério usado para a correção anual do valor da Unidade Fiscal do Estado de Minas Gerais (Ufemg).

O texto mantém o IGP-DI (Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna), que variou 22,10% nos últimos 12 meses, mas acrescenta o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), cuja variação foi de 3,92%. A ideia é que, para fins de atualização da Ufemg, seja levado em conta sempre o menor índice.

Alerta

A Secretaria de Fazenda reforça que não envia boletos de IPVA para o endereço dos contribuintes nem mensagens eletrônicas para e-mail ou celular contendo links para acesso à tabela ou para a emissão de guias de arrecadação. (Fonte: Agência Minas)

O projeto cria o Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), uma espécie de listagem de bons condutores. (Foto Tânia Rego/ABr)

Projeto que altera regras de trânsito é sancionado e mudanças começam em abril

Entre as várias mudanças,  lei ampliar validade da CNH para 10 anos, abranda punição para motoristas infratores  e amplia até 40 pontos o limite para perder a carteira

O projeto cria o Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), uma espécie de listagem de bons condutores. (Foto Tânia Rego/ABr)
O projeto cria o Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), uma espécie de listagem de bons condutores. (Foto Tânia Rego/ABr)

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou nessa terça-feira (13) o Projeto de Lei 3267/19, que altera o Código de Trânsito Brasileiro. O texto foi uma iniciativa do próprio governo federal, apresentada no ano passado, e foi aprovado com alterações pela Câmara dos Deputados no último dia 22 de setembro. A lei  número 14.071/2020 está publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (14).

A principal mudança é o aumento na validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dez anos para condutores com menos de 50 anos de idade. A nova lei também torna todas as multas leves e médias puníveis apenas com advertência, caso o condutor não seja reincidente na mesma infração nos últimos 12 meses. O projeto cria o Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), uma espécie de listagem de bons condutores.

As novas regras começam a valer depois de 180 dias a partir da publicação da lei. Ou seja, a lei entra em vigor a partir de 11 de abril de 2021. A Secretaria-Geral da Presidência informou que o presidente vetou alguns pontos da nova lei, mas esses vetos ainda não foram detalhados.

“Não era aquilo que nós queríamos, mas houve algum avanço. Com toda a certeza, no ano que vem a gente pode apresentar novo projeto buscando corrigir mais alguma coisa. A intenção nossa é facilitar a vida do motorista”, afirmou Bolsonaro, durante uma live transmitida nas redes sociais, ao lado do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas.

Suspensão da carteira
A nova lei também estabelece uma gradação de 20, 30 ou 40 pontos em 12 meses conforme haja infrações gravíssimas ou não. Atualmente, a suspensão da carteira de motorista ocorre com 20 pontos, independentemente do tipo de infração.

Dessa forma, o condutor será suspenso com 20 pontos se tiver cometido duas ou mais infrações gravíssimas; com 30 pontos se tiver uma infração gravíssima; e com 40 pontos se não tiver cometido infração gravíssima no período de 12 meses.

Os condutores que exercem atividades remuneradas terão seu documento suspenso com 40 pontos, independentemente da natureza das infrações. Essa regra atinge motoristas de ônibus ou caminhões, taxistas, motoristas de aplicativo ou moto-taxistas. Se esses condutores participarem de curso preventivo de reciclagem ao atingir 30 pontos, em 12 meses, toda a pontuação será zerada.
Fonte: Redação e Agência Câmara

Audi e-tron Sportback 2020 - Carro Esporte Clube (3)

Audi e-tron Sportback: dirigimos o carro 100% elétrico de 408 cv

Segundo modelo 100 % elétrico da marca no Brasil, Audi e-tron Sportback surpreende pelo rodar silencioso e divertido com zero emissões de poluentes

 


Thiago Ventura

São Paulo (SP) * – Na corrida pela eletrificação em nível global, a Audi lançou no mercado brasileiro seu segundo veículo 100% elétrico, o e-tron Sportback 2020. O modelo, que divide o mesmo conjunto elétrico do e-tron, tem como destaque o design SUV Coupe, última moda nos utilitários-esportivos das mais diversas faixas de preço. Devido a traseira mais delgada e sensual, o e-tron Sportback 2020 ganhou 10km a mais na autonomia, chegando a 446 quilômetros (ciclo WLTP).  O modelo elétrico é vendido em duas versões com preços a partir de R$ 511,9 mil. Eu dirigi o modelo e conto minhas impressões nesta matéria.

Esqueça aquela história de carros com visual futurista e design dramático. Aqui  é um Audi. Quem não conhece o modelo, dificilmente saberá que é um carro elétrico. E aí está um dos diferenciais: sem ‘inventar muita moda’ no visual, pode cativar os fãs da marca e ainda captar consumidores ávidos por novidade, economia, respeito ao meio ambiente e, até mesmo, excelente performance!

Da dianteira até a coluna B, o design é muito idêntico ao SUV e-tron. A dianteira é marcada pela grade Singleframe octogonal, atual linguagem de estilo da marca, que não é vazada, ladeada pelos faróis Full LED com assistente de farol alto. Na lateral, belas rodas aro 21 com pinças de freio amarelas e, se equipado, vem com o virtual side mirror, pequenas câmeras no lugar dos retrovisores.

A partir da coluna C, o Audi e-tron Sportback 2020 exibe uma caída brusca do teto, gerando uma delgada traseira do veículo. Esse recurso de estilo fez o carro melhorar o coeficiente aerodinâmico e ganhar 10 km a mais na autonomia. Por trás, o lanternas em LED, ligadas por uma linha iluminada que deixa o visual muito bonito, especialmente à noite. Um detalhe interessante, o para-choques traseiro, é claro, não tem o ressalto para saída de escapamento, item básico no design automotivo.

Ao entrar no e-tron, motorista e passageiros são recebidos por uma projeção iluminada com o nome do veículo no chão, um charme só.  A vista do painel é dominada por três grandes telas: o quadro de instrumentos totalmente digital com 12,3″ e dois displays touch, o superior da central multimídia e configurações do carro com 10,1″ e a inferior de 8,6 do sistema de climatização. Duas telas dos opcionais retrovisores virtuais, localizadas na porta, completam o visual hightech. Aliás, tem ainda iluminação ambiente configurável em 30 cores.

Os acabamentos são premium, com couro, plásticos de toque agradável, inserts de tecido e aço escovado. Na versão topo de linha que dirigi, a  Performance Black, vem com bancos dianteiros em couro Alcântara. Ar-condicionado de 4 zonas, teto solar elétrico panorâmico Open Sky, abertura e fechamento elétrica do porta-malas e volante com regulagens elétricas são mimos de série desde a versão de entrada. Tudo com muito luxo e refinamento, como é esperado em um carro de mais de meio milhão de reais.

O Audi e-tron Sportback 2020 tem 4.901 milímetros de comprimento, 2.043 milímetros de largura e 1.616 milímetros de altura. A distância  entre eixos é de 2.928 milímetros e o porta-malas leva 555 litros, sem falar espaço adicional no capô, onde fica guardado o conector para abastecimento.

Carro 100% elétrico empolga

O grande destaque do Audi e-tron Sportback 2020 contudo está no conjunto elétrico. A experiência de guiar um modelo dessa tecnologia é completamente difrente dos modelos a combustão,  um pé no futuro da indústria. No momento restrita aos consumidores de alto padrão de vida, mas em médio prazo (nós torcemos por isso!) para mais pessoas.

O SUV Coupé possui o mesmo conjunto mecânico do e-tron, que  nós já experimentamos em Belo Horizonte. Possui dois motores elétricos que entregam 408 cv de potência e 664 Nm de torque – as forças são distribuídas em 135 kW de potência e 309 Nm de torque na frente e 165 kW de potência e 355 Nm no motor traseiro. A aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 5,7 segundos e a velocidade máxima é 200 km/h limitada eletronicamente.

Por falar em Audi e-tron, eu já havia feito um teste drive com o modelo! Confira em detalhes neste vídeo:

Eu fiz um teste drive de aproximadamente 55 quilômetros com o modelo elétrico, por autoestrada e marginais congestionadas de São Paulo. Mesmo assim, deu para experimentar bem o que promete o carro.

Para começo de conversa, o carro não produz barulho. É preciso atenção ao painel para perceber que o e-tron já está pronto para partir. Outra mudança, é que o torque abismal de 664 Nm é disponível  a zero rpm. Ou seja, ao pisar no acelerador (principalmente no modo S), o carro te joga para trás numa aceleração vigorosa.  É preciso dosar bem o apetite, em especial nas cidades. E olha que ele possui mais de duas toneladas.

A suspensão a ar e a tração integral quattro, ambas de série, garantem conforto e segurança nas curvas. Os puristas que me desculpem, mas o e-tron é um brinquedo de gente grande muito bom de dirigir.

Compre um carro, leve o posto

O Audi e-tron é abastecido por 36 módulos de bateria com capacidade de 95 kWh localizados no assoalho. Além de garantir estabilidade e baixo centro de gravidade, como são módulos independentes, facilitam e barateiam a eventual troca. Segundo a marca, o carro gasta cerca de 8,5 horas numa fonte padrão AC para carregar 100% da carga. Essa fonte, que é a mesma usada em residências e pontos de carregamentos em estabelecimentos comerciais, tem o gasto semelhante ao de um chuveiro elétrico.

Ou seja, se você tiver um e-tron vai gastar 8,5 horas de consumo de um chuveiro elétrico na conta para rodar cerca de 446 km no ciclo WLTP, sigla para Worldwide harmonized Light vehicles Test Procedure (Procedimento de Teste Global harmonizado para Veículos Leves).

A conta não é simples de fazer. Em primeiro lugar, você não precisa da carga completa para andar, salvo se for pegar uma viagem. Além disso, as baterias são recarregadas na frenagem.  De modo geral, o coupé obtém até 30% de sua autonomia através da recuperação. Por outro lado, vários pontos comerciais oferecem vagas exclusivas com carregador para carros elétricos.

Falando nisso, existem pontos de carregamento rápido DC, que permitem completar a bateria em apenas 40 minutos. Em parceria com a Porsche, Volkswagen e EDP, a Audi tem o plano de instalar 30 estações de recarga ultra rápida localizadas em estradas e rodovias pelo território brasileiro. Serão 29 estações de 150 kW e uma unidade de 350 kW. Porém, as estações são localizadas principalmente em São Paulo, Rio e Paraná.

Logo não precisa deixar seu ‘chuveiro ligado’ 8,5 horas por semana. E, principalmente, não vai gastar com posto de gasolina, com preço por litro variando de acordo com o humor político ou câmbio global. Em resumo, a conta de luz vai ficar mais cara, mas não terá gasto com combustível fóssil. Ou seja você compra o carro e o posto!

Para marcar a estreia do seu segundo modelo 100% elétrico no Brasil, o e-tron Sportback e do  SUV de grande porte Q7, a marca das quatro argolas promoveu o Audi Sky Experience. Os dois modelos puderam ser experimentados numa pista montada no topo do topo de Morumbi Shopping, em São Paulo (SP), numa ação exclusiva para cerca de 150 clientes pré-selecionados.

 

Audi e-tron Sportback 2020: versões, equipamentos e preços

Audi e-tron Sportback Performance 2020- R$ 511.990

Bancos dianteiros elétricos em couro, suspensão a ar adaptativa, ar-condicionado de 4 zonas, teto solar elétrico panorâmico Open Sky, volante com ajuste elétrico de altura, projeção da palavra e-tron na abertura de todas as portas e luzes internas personalizáveis com 30 opções.

Tem ainda: faróis Full LED com assistente de farol alto, controle de cruzeiro adaptativo com assistente de saída de faixa, abertura e fechamento elétrico do porta-malas com sistema hands-free, câmera 360º e oito airbags, dentre outros.

Opcionaispintura metálica e o Pacote Tecnológico (R$ 26 mil), que contempla head-up display, pre sense dianteiro – que avisa o motorista e prepara o veículo para o caso de uma colisão iminente – e o night vision assist.

Audi e-tron Sportback Performance Black 2020 (fotos) – R$551.990,00

Tudo da anterior, mais pacote S-line (soleiras em alumínio e iluminadas, capa do retrovisor externo na cor preta, frisos decorativos em High Gloss Black e pinças de freio laranja), bancos dianteiros em Alcântara, acabamento interno na cor cinza Volcano e teto interior na cor preta. Tem ainda sistema de som Bang & Olufsen 3D, com 16 alto falantes.

Opcionais:  pintura metálica e Pacote Tecnológico, os clientes podem acrescentar os retrovisores virtuais (R$ 13 mil) , faróis full LED Matrix HD com luz de direção dinâmica e o Audi Side Assist. Este último é um pacote que contempla tecnologias inovadoras como o Audi Pre Sense traseiro (reconhece a iminência de uma colisão e regula o tensionamento dos cintos dianteiros, posicionamento de banco e fechamento de teto solar e vidros), o Exit Warning Assist (aviso de perigo quando os passageiros estão saindo do veículo), o Audi Side Assist (aviso de perigo em mudança de faixa) e o Assistente de Tráfego Reverso (informa o condutor sobre a possibilidade de um acidente ao realizar uma manobra traseira com a utilização dos sensores e radares do veículo, além de uma breve utilização dos freios caso necessário).

 

 

Assim como seu irmão e-tron SUV, o Audi e-tron Sportback é

produzido em Bruxelas, na Bélgica, e tem garantia de 4 anos no veículo e 8 anos nas baterias. As duas versões estão disponíveis nas concessionárias Audi Center a partir de R$511.990,00 na versão Performance e de R$551.990,00 na Performance Black – ambos na modalidade venda direta.

*Jornalista viajou à convite da Audi do Brasil

Cerca de 1,4 mil empregados estão em Lay-Off na planta de Camaçari

Ford prorroga lay-off e oferece até R$ 93 mil extras em programa de demissão

Marca americana teve queda na produção devido pandemia do coronavírus e tenta ajustar folha de pagamento para evitar demissão em massa

Cerca de 1,4 mil empregados estão em Lay-Off na planta de Camaçari
Cerca de 1,4 mil empregados estão em Lay-Off na planta de Camaçari

A montadora americana Ford Motor Company fechou fechou acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari (BA) para um Programa de Demissão Voluntária (PDV). Um dos destaques é um adicional de até R$ 93 mil de salário extra para o funcionário que aderir ao programa.

A Ford também conseguiu prorrogar até o fim de dezembro a suspensão de contratos de trabalho (lay-off) de cerca de 1,45 mil funcionários próprios e de fornecedores que operam dentro do complexo na Bahia. Eles estão fora da fábrica desde março e, segundo o presidente do sindicato, Júlio Bonfim, se houver necessidade o prazo poderá ser estendido até maio.

A Ford é a terceira entre as cinco maiores fabricantes de automóveis do País a anunciar PDV para reduzir a ociosidade de mão de obra nas fábricas, intensificada pela pandemia do coronavírus. Das cinco, apenas Fiat e Hyundai ainda não anunciaram medidas desse tipo.

Pelo PDV, o valor mais alto será pago a quem trabalha na Ford há mais de 17 anos. Para os demais o valor vai variar de R$ 40 mil a R$ 80 mil, dependendo do tempo de contrato. O grupo fechou a fábrica do ABC paulista no ano passado e tem hoje 6,5 mil empregados em Camaçari. Outros 3,5 mil estão nos fornecedores de peças do complexo.

Em nota, a Ford informou que “o objetivo é ajustar os níveis de produção à significativa desaceleração do mercado gerada pela pandemia”. O PDV é voltado aos empregados da área de produção e as inscrições começam a partir de quinta-feira.

Segundo Bomfim, a Ford iniciou o ano com previsão de produzir 215 mil unidades do EcoSport e do Ka, mas a projeção caiu para 136 mil unidades “ou menos”. Para ele, a proposta do PDV da Ford – que tem acordo de não fazer demissões em massa até 2023 – “é a maior do Brasil”.

Ociosidade

Há duas semanas, trabalhadores da Volkswagen aprovaram programa para as quatro fábricas do grupo, que empregam ao todo cerca de 15 mil pessoas, de abertura de PDV que oferece até 35 salários extras para quem é funcionário há mais de 30 anos, valor que também segue uma tabela de acordo com o tempo de serviço.

A Volkswagen iniciou negociações dizendo ter 35% de mão de obra excedente, ou cerca de 5 mil funcionários. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, mesmo que não atinja a meta a empresa não fará cortes, mas pode adotar outras medidas de flexibilidade como lay-off. O PDV da General Motors teve adesão de 294 trabalhadores em São Caetano do Sul e de 235 em São José dos Campos (SP). A Renault, com fábrica no Paraná, tem PDV para cortar 747 vagas, número igual ao de demissões feitas em julho e que revogou após greve de funcionários.

Fonte: Redação e AE

Justiça entendeu que cliente dirigiu o veículo de forma imprudente

Cliente terá que indenizar concessionária após danos em veículo de teste drive

Fiat Toro parou de funcionar após motorista tentar atravessar córrego com a picape. Cliente terá que pagar R$ 7 mil para revenda no Sul de Minas

Justiça entendeu que cliente dirigiu o veículo de forma imprudente
Justiça entendeu que cliente dirigiu o veículo de forma imprudente

Em Pouso Alegre, região Sul de Minas, uma concessionária receberá reparação material de aproximadamente R$ 7 mil de uma cliente, porque ela danificou o motor de um carro durante o test-drive. A decisão é da 18ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), que determinou o ressarcimento do valor gasto pela empresa no conserto do veículo.

O caso aconteceu em agosto de 2017. A concessionária Via Mondo Automóveis e Peças Ltda, do Sul de Minas,  afirma que a motorista solicitou a realização do teste em um Fiat Toro Volcano. Ela foi até a cidade de Capitólio (MG), onde informou que o carro parou de funcionar após passar em um córrego.

A empresa afirma que os danos ocorridos no veículo decorreram de mau uso, pois a cliente adentrou “indevidamente” com o veículo na água. Por causa disso, várias peças do motor tiveram que ser substituídas.

fiat-toro-dentro

Em primeira instância, a Justiça acolheu o argumento da consumidora de que não foi responsável pelos danos, julgando improcedente o pedido de indenização da concessionária.

Termo de compromisso

No recurso ao TJMG, a concessionária alega que a cliente, ao retirar o veículo, assinou um termo de compromisso responsabilizando-se civil e criminalmente por quaisquer fatos oriundos de sua conduta. Além disso, a motorista estava ciente de que havia um trajeto estipulado, que não incluía rios, uma vez que o carro Fiat Toro foi projetado para rodar em vias terrestres e não para travessia de cursos d´água.

A loja aponta o check list de entrada do veículo na oficina, que indicava que este não funcionava, estava todo molhado, sujo ao redor e com a tampa traseira amassada. A consumidora, de acordo com a concessionária, deveria ressarcir as despesas com o conserto, já que assumiu a responsabilidade ao retirar o carro, porém utilizou-se dele com falta de cautela e imprudência. A empresa completou que o seguro cobre sinistros para uso normal do veículo, o que não foi o caso.

Decisão

Para o relator, desembargador Sérgio André da Fonseca Xavier, embora o Fiat Toro seja um veículo para uso nas vias terrestres rural e urbana, a mulher assinou um termo de responsabilidade ao retirar o veículo da concessionária, obrigando-se a responder pelos danos materiais causados a terceiros.

O magistrado completa que, ao tentar atravessar um rio com o veículo, a motorista não fez uso normal deste e também não teve o cuidado devido com o bem de terceiros, assumindo, com sua atitude imprudente, a responsabilidade pelos danos causados.

Assim, ficou decidido que ela deverá indenizar a concessionária em R$ 7.417,79. Acompanharam o relator os desembargadores José Eustáquio Lucas Pereira e Arnaldo Maciel.

Confira o acórdão.

 

Fonte: TJMG