Arquivo da categoria: Notícias

michael-gaida

Projeto autoriza importação de carro usados, mas entidades e governo são contra

Dois textos na Câmara autorizam importação de veículos usados, mas Ministério da Economia, Denatran e Anfavea apontam problemas

michael-gaida
Compra de carros usados no exterior é criticada por entidades da indústria e governo (Foto: Michel Gaipa/Pixabay)

Em audiência pública nessa  segunda-feira (13) na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, representantes do governo e da indústria automotiva colocaram vários obstáculos para a liberação da importação de carros usados, tema de dois projetos de lei em tramitação no colegiado (PLs 6468/16 e 237/20, este apensado ao primeiro).

Os debatedores afirmaram que os importados podem não atender a requisitos de segurança, eficiência energética e emissões de poluentes das normas brasileiras. Hoje, só é possível importar carros antigos para colecionadores, protótipos e veículos para o corpo diplomático.

O diretor de Assuntos Técnicos da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Henry Joseph, disse que os fabricantes nacionais têm de atender a mais de 50 requisitos técnicos e, até 2035, isso deve aumentar em mais 30 pontos. Segundo ele, essas normas vão desde itens de segurança até a maneira de marcar os chassis.

Henry acrescentou que os carros estrangeiros também podem não estar adequados às condições brasileiras como tipo de combustível e clima. Outro argumento é que não haveria assistência técnica para o consumidor.

Opção ao consumidor
Já o deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS), autor de um dos projetos (PL 237/20), defendeu a importação como meio de adquirir carros mais baratos e até mais seguros que os fabricados no País.

“Há muitos veículos usados em circulação no exterior, na Europa ou nos Estados Unidos – com apenas um ou dois anos de uso –, que têm um nível de segurança muito maior do que muitos novos produzidos no Brasil”, declarou.

Segundo Van Hattem, os órgãos públicos deveriam se adaptar para verificar se o carro importado atende ou não aos requisitos exigidos. Ele leu participações de cidadãos que acompanharam a audiência pela internet e manifestaram o desejo de ter a opção de um carro usado estrangeiro.

Segurança
Por sua vez, o coordenador-geral de Segurança no Trânsito do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Daniel Tavares, explicou que uma simples vistoria não teria como verificar o cumprimento das normas pelos carros estrangeiros porque o objetivo dessa ação é apenas checar a conformidade da identificação do veículo. Ou seja, seria necessária uma inspeção de segurança, o que é mais complexo.

“Muitas vezes, esses carros não guardam as condições de segurança que nós temos no Brasil. E, em muitos casos, apresentam-se em condição de sucata. Isso nos traz uma preocupação muito grande sobre o aspecto de segurança na circulação deles”.

Para a diretora de Qualidade Ambiental do Ibama, Carolina Mariani, a verificação da adequação do carro às normas sobre emissões de poluentes não poderia ser baseada apenas no manual do veículo importado.

Relatório
O deputado Hugo Leal (PSD-RJ), relator dos projetos de lei, já apresentou um parecer que é contrário à ampliação da importação de carros usados. Ele fez um substitutivo para regular a importação para colecionadores, que hoje é feita apenas por uma portaria. O texto reduz a idade mínima do carro de 30 para 25 anos. (Redação com  Agência Câmara )

Buser-viagem

Assembleia Legislativa aprova projeto que inviabiliza Buser em Minas

Texto aprovado na Assembleia Legislativa endurece regras para o transporte de ônibus fretado. Projeto proíbe serviço intermediado por terceiros e cria o ‘circuito fechado’, que inviabiliza a Buser

Buser-Viagens-gratis

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou sem segundo turno nessa terça (31) o Projeto de Lei (PL) 1.155/15, que regulamenta o transporte fretado de passageiros no estado. O texto endurece as regras e impõe restrições, que na prática pode proibir a atuação de empresas como a Buser, a ‘Uber dos ônibus’. O PL segue para sanção ou veto do governador Romeu Zema (Novo). Como forma de pressão, a empresa lançou promoção que oferece viagens grátis em Minas até 22 de setembro.

O projeto, de autoria do deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT) foi aprovado foi aprovada na forma do vencido (texto votado em 1º turno com alterações). Assim, fica proibida a prestação do serviço de fretamento intermediada por terceiros que promovam a comercialização das passagens.

Também é vedado o serviço de fretamento com características de transporte público, ou seja, com regularidade de horários e itinerários e com embarque de passageiros ao longo do itinerário e em terminais rodoviários.

CONFIRA MAIS:
Agências de turismo são proibidas de vender passagens regulares pelo Buser

FlixBus: rival da Buser chega ao Brasil para ser a Uber dos ônibus

Além disso, o PL 1.155/15 autoriza somente a oferta do serviço de fretamento em circuito fechado. Assim, são permitidas apenas viagens de grupos previamente definidos de pessoas, que devem retornar à origem no mesmo veículo que efetuou o transporte na viagem de ida. Tais regras, acabam por proibir a Buser em Minas.

Novas regras para ônibus fretado

O serviço de fretamento será autorizado pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DER-MG). Para isso, deverá ser feita uma requisição até seis horas antes do início do primeiro trecho da viagem.  A relação nominal dos passageiros a serem transportados poderá ser parcialmente alterada e comunicada ao DER-MG até o momento de início do primeiro trecho da viagem, no limite de dois passageiros ou de 20% da capacidade do veículo, o que for maior.

'Circuito fechado' pode inviabilizar Buser em Minas

‘Circuito fechado’ pode inviabilizar Buser em Minas

Como punição para o transporte clandestino de passageiros, estão previstas multa de 1 mil Ufemgs (o equivalente a R$ 3.990,00), remoção do veículo e suspensão do cadastro no DER-MG. A multa se aplica também às pessoas físicas e jurídicas que fizerem a intermediação da venda de passagens.

O PL 1.155/15 não estabelece limite de idade para os ônibus, micro-ônibus ou vans a serem utilizados no fretamento. Regulamento posterior deverá dispor sobre os instrumentos de garantia da segurança dos veículos, os quais serão mais rigorosos quanto maior for a idade do veículo.

LEIA TAMBÉM:

IPVA deve ser pago no estado em que o veículo circula, decide STF
Sua carteira venceu? Contran divulga prazo para renovar CNH vencida na pandemia
Seguro DPVAT: motorista pode ficar isento de cobrança nos próximos dois anos

No caso de fretamento de veículo para transporte intermunicipal de trabalhadores rurais, são dispensados o cadastramento do condutor e o envio ao DER-MG da relação nominal dos passageiros a serem transportados.

Mudanças inviabilizam a Buser

Essas mudanças promovidas pelo PL 1.155/15 têm impacto direto sobre o chamado fretamento colaborativo, viabilizado por aplicativos como o da empresa Buser ou FlixBus, que comercializam passagens mais baratas que as das empresas de ônibus convencionais.

O deputado Guilherme da Cunha (Novo) foi à tribuna para defender a rejeição do projeto, argumentando que os passageiros querem opções de passagens mais baratas. Ele citou vários exemplos da diferença de preços praticados pela Buser e pelas linhas regulares de ônibus.

No caso da viagem entre Belo Horizonte e Poços de Caldas (Sul de Minas), o ônibus convencional custa R$ 186,70, contra R$ 59,90 na Buser. O deputado Bartô (sem partido) e a deputada Laura Serrano (Novo) também defenderam o direito de escolha dos passageiros.

autor do PL 1.155/15 rebateu as críticas lembrando que o serviço convencional tem horários regulares, ao contrário dos ônibus dos aplicativos. “Desafio a Buser a mostrar o seu quadro de horários”, afirmou.

O deputado João Vítor Xavier (Cidadania) questionou a honestidade do aplicativo. “Não acho que o modelo do serviço convencional de ônibus seja bom. Mas paira uma desconfiança muito grande em relação à Buser”, afirmou.

Leia o projeto na íntegra

PROJETO DE LEI Nº 1.155/2015

Estabelece normas para a prestação de serviço de fretamento de veículo de transporte coletivo para viagem intermunicipal e metropolitana e dá outras providências.

A Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais decreta:

Art. 1º – A prestação de serviço de fretamento contínuo ou eventual de veículo de transporte coletivo para a realização de viagem intermunicipal e metropolitana depende de autorização do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais – DER-MG.

Parágrafo único – A autorização a que se refere o caput tem caráter precário, personalíssimo, intransferível e temporário.

Art. 2º – A autorização a que se refere o art. 1º será concedida para pessoa jurídica, permitida empresa de qualquer porte ou cooperativa, e deverá ser precedida de cadastro do requerente, do condutor e do veículo, nos termos de regulamento.

Art. 3º – A autorização a que se refere o art. 1º somente será concedida para o transporte de grupo de pessoas em circuito fechado, sendo obrigatório o envio, ao DER-MG, da relação nominal dos passageiros a serem transportados, a qual deverá ser a mesma em todos os trechos da viagem.

Parágrafo único – Entende-se como circuito fechado a viagem de um grupo previamente definido de pessoas com motivação comum que parte em um veículo do local de origem ao de destino e que, após percorrer todo o itinerário, retorna à origem no mesmo veículo que efetuou o transporte na viagem de ida.

Art. 4º – A requisição da autorização a que se refere o art. 1º e o envio ao DER-MG da relação nominal dos passageiros a serem transportados deverão ocorrer até seis horas antes do início do primeiro trecho da viagem.

Art. 5º – A relação nominal dos passageiros a serem transportados poderá ser parcialmente alterada, no limite de dois passageiros ou de 20% (vinte por cento) da capacidade do veículo, o que for maior, e comunicada ao DER-MG até o momento de início do primeiro trecho da viagem.

Art. 6º – É vedada a prestação do serviço de fretamento de que trata esta lei nas seguintes condições:

I – intermediada por terceiros que promovam a comercialização de lugares fracionada ou individualizada por passageiro;

II – com características de transporte público.

Parágrafo único – São características de transporte público que ensejam a vedação prevista no inciso II do caput:

I – a realização de viagens habituais, com regularidade de dias, horários ou itinerários;

II – a comercialização de passagens individualizadas por passageiro;

III – o embarque ou desembarque de passageiros ao longo do itinerário e em terminais rodoviários utilizados pelo transporte coletivo público.

Art. 7º – Durante todo o período de execução do serviço de fretamento de que trata esta lei, o condutor do veículo deverá portar o comprovante da autorização emitido pelo DER-MG, o documento fiscal referente ao contrato de fretamento e a relação nominal dos passageiros transportados, além de outros documentos exigidos pela legislação ou pela autorização concedida.

§ 1º – Os documentos de porte obrigatório previstos no caput poderão ser armazenados pelo condutor em formato digital, nos termos do regulamento, ficando o autorizatário e o veículo sujeitos às penalidades previstas nesta lei e na legislação aplicável, em caso de restrições de ordem tecnológica ou de comunicação impedirem a comprovação da regularidade do serviço à autoridade competente no momento da fiscalização.

§ 2º – Não se aplica a exigência do documento fiscal previsto no caput quando do transporte de pessoas vinculadas diretamente ao proprietário do veículo.

§ 3º – Na hipótese de fretamento contínuo, o envio da relação nominal dos passageiros transportados a que se refere o caput poderá ser substituído pelo porte de documento que comprove o vínculo das pessoas transportadas com o contratante dos serviços de fretamento.

Art. 8º – O autorizatário responde pelas ações ou pelas omissões de seus prepostos.

Art. 9º – Somente poderão ser utilizados, na prestação do serviço de que trata esta lei, ônibus, micro-ônibus ou vans, sem limite de idade do veículo.

Parágrafo único – Regulamento disporá sobre os instrumentos de garantia da segurança do veículo a serem exigidos para a concessão da autorização a que se refere o art. 1º, os quais serão mais rigorosos quanto maior for a idade do veículo.

Art. 10 – No caso de fretamento de veículo de transporte coletivo para transporte intermunicipal de trabalhadores rurais, são dispensados o cadastramento do condutor a que se refere o art. 2º e o envio ao DER-MG da relação nominal dos passageiros a serem transportados prevista no art. 3º.

Parágrafo único – Regulamento disporá sobre as demais condições do serviço de fretamento previsto no caput, o qual deve garantir:

I – a segurança dos veículos utilizados no fretamento, tendo em vista as condições específicas das vias e dos veículos utilizados;

II – o conforto e a segurança do condutor, dos passageiros transportados e de terceiros.

Art. 11 – O descumprimento das normas estabelecidas nesta lei ou em seu regulamento enseja a aplicação das penalidades previstas na Lei nº 19.445, de 11 de janeiro de 2011, na Lei Federal nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro, e nas demais normas aplicáveis.

Art. 12 – Fica acrescentado à Lei nº 19.445, de 2011, o seguinte art. 3°-A:

“Art. 3º-A – Não será considerado clandestino o transporte individual de passageiros realizado eventualmente por automóvel de aplicativo, nos termos da Lei Federal nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012, respeitadas as vedações previstas no parágrafo único do art. 3º desta lei.”.

Art. 13 – Os arts. 6º e 7º da Lei nº 19.445, de 2011, passam a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 6º – Serão aplicadas à pessoa física ou jurídica que realizar transporte clandestino ou irregular de passageiros as seguintes sanções:

I – multa de 1.000 (mil) Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais – Ufemgs;

II – remoção do veículo;

III – suspensão do cadastro e cancelamento da autorização emitida pelo DER-MG, na forma de regulamento, se for o caso.

§ 1º – O valor da multa prevista no inciso I do caput será duplicado a partir da primeira reincidência.

§ 2º – A sanção prevista no inciso I do caput aplica-se também à pessoa física ou jurídica que promover ou intermediar serviço de fretamento em desacordo com a legislação aplicável.

Art. 7º – Nos casos da aplicação de penalidade prevista no art. 6º, os passageiros serão desembarcados e o veículo será recolhido ao depósito.

§ 1º – O infrator é responsável pelo pagamento da multa, das taxas e das despesas com transbordo dos passageiros, remoção e estada do veículo em depósito.

§ 2º – A despesa com a estada do veículo em depósito será de 25 (vinte e cinco) Ufemgs por dia.

§ 3º – O DER-MG ou entidade conveniada poderá inscrever as multas vencidas e não pagas decorrentes da aplicação desta lei no sistema de registro de veículos do Departamento de Trânsito do Estado de Minas Gerais – Detran-MG – e em sistema de registro de dívidas e de títulos não pagos de pessoas físicas ou jurídicas.”.

Art. 14 – O processo de submissão, concessão e comprovação da autorização a que se refere o art. 1º será pautado pela simplificação e pela eficiência, priorizando-se procedimentos realizados por meio digital.

Art. 15 – As ações e políticas governamentais relacionadas com o fretamento de veículo de transporte coletivo terão como diretrizes o fortalecimento e a formalização das pequenas e microempresas e a geração de empregos no Estado.

Art. 16 – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

FlixBus-Alemanha

Uber dos ônibus: alemã FlixBus vai operar no Brasil

Unicórnio alemão investe  US$ 100 milhões no Brasil e pretende ser líder de mobilidade sustentável no paísFlixBus-Alemanha

Serviço que tem causado polêmica e discussão nos tribunais, o mercado de ônibus por aplicativos vai ganhar mais um player no Brasil. Trata-se da FlixBus, unicórnio alemão que já atua na Europa. a empresa espera autorização da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e outros órgãos para começar a atuar. Concorrente direta da brasileira Buser, o FlixBus vai investir US$ 100 milhões no mercado nacional. Os executivos planejam promoções agressivas de lançamento.

A empresa vai atuar em dois segmentos: terá opção de viagens mais baratas, como a Busar, mas também aposta no serviço premium. O FlixBus terá nessa modalidade ônibus mais confortáveis e acomodações leito e semileito. Montadoras e bancos são parceiros da empresa para oferecer os carros.

FlixBus pretende ser líder de mercado no Brasil

FlixBus pretende ser líder de mercado no Brasil

“Esperamos que a abertura do mercado brasileiro de mobilidade leve a uma mudança significativa e a muitas oportunidades para players inovadores como nós. Um mercado competitivo oferece mais opções para os clientes e leva a opções de mobilidade mais sustentáveis ​​e viagens acessíveis. Desde o início da FlixBus, muitos países europeus deram esse passo importante, em última análise, melhorando a oferta geral de mobilidade para o cliente”, disse André Schwämmlein, fundador e CEO da FlixBus.

Os US$ 100 milhões de invesimento no Brasil fazem parte de um pacote total de US$ 650, que inclui ainda expansão para os Estados Unidos e também ampliar oferta do FlixBus e FlixTrain em já existentes.

LEIA TAMBÉM:

Agências de turismo são proibidas de vender passagens regulares pelo Buser
IPVA deve ser pago no estado em que o veículo circula, decide STF
Sua carteira venceu? Contran divulga prazo para renovar CNH vencida na pandemia
Seguro DPVAT: motorista pode ficar isento de cobrança nos próximos dois anos

A FlixBus pretende operar em terminais rodoviários e também terá guichês para vendas físicas de passagem para democratizar o acesso. Os veículos serão de propriedade de terceiros; mas deverão ter a pintura oficial da empresa.

“O Brasil é um dos maiores mercados do mundo e estamos à espera apenas de licenças, pois em todos os lugares do mundo operamos de maneira regular”, declarou Edson Lopes, diretor-geral da FlixBus no Brasil em entrevista ao Estadão. O executivo afirma que a FlixBus será líder do mercado e terá mais de 10 milhões de passageiros.

FlixBus pretende ser líder de mercado no Brasil

LEIA TAMBÉM:
Justiça nega pedido de motorista para mudar placa ‘GAY’ de Toyota Corolla
Presidente da Stellantis explica carro com preço caro no Brasil: ‘consumidor quer mais SUVs e picapes’
Com inscrição a R$ 6 mil, Audi Driving Experience abre vagas para curso de direção em esportivos

Nova-Montana-2023

Chevrolet revela nome de sua picape anti-Toro: Nova Montana

General Motors confirmou o nome da sua inédita picape que vai encarar a Fiat Toro: a nova Montana 2023 será fabricada em São Caetano do Sul e utiliza a mesma plataforma do Onix e Tracker

Nova-Montana-2023

A Chevrolet confirmou nesta terça (29) o nome da sua inédita picape que chegará para concorrer com a best seller Fiat Toro. Trata-se da Nova Montana 2023, que será fabricada na planta de São Caetano do Sul (SP). O produto faz parte dos R$ 10 bilhões em investimentos feitos pela marca para a renovação sua gama de veículos.

Além de bater o martelo no nome, a General Motors também divulgou o primeiro teaser da Nova Montana 2023. A imagem de perfil deixa bem claro a origem da picape: ela é construída na mesma plataforma dos compactos Chevrolet Onix e Onix Plus e do SUV compacto Chevrolet Tracker. O carro será lançado no final de 2022, já como modelo 2023.

Chevrolet Montana 2023 em projeção artística livre feita por Jonhatan Machado, do Mentiras Automotivas
Chevrolet Montana 2023 em projeção artística livre feita por Jonhatan Machado, do Mentiras Automotivas

“A GM acredita no Brasil e por isso estamos retomando os nossos investimentos no país, mesmo em meio à pandemia. A fábrica de São Caetano do Sul irá receber novos robôs e ferramentais com conceitos inovadores de manufatura, contando inclusive com equipamentos sem precedentes na América do Sul para garantir resultados excelentes em segurança, qualidade e sustentabilidade”, comenta Carlos Zarlenga, presidente da GM América do Sul.

O diretor-executivo de Marketing da GM para América do Sul, Hermann Mahnke, explica que a marca resolveu manter o nome que já era utilizado há muitos anos com a finada compacta. “A Nova Montana irá unir um nome já consagrado de picape com um veículo de proporções inéditas que chegará repleto de inovações, especialmente concebida para atender as atuais preferências do consumidor”, explica .

Nova Montana 2023: fábrica preparada

Para receber o futuro modelo da Chevrolet Montana 2023, a linha de montagem da fábrica de São Caetano do Sul será preparada em várias etapas, no intuito de minimizar os impactos na produtividade do complexo. A primeira fase está prevista para iniciar logo nas próximas semanas.

LEIA TAMBÉM:
VÍDEO: Chevrolet Onix RS 2021 é esportivo no visual; veja em detalhes
Recém lançado, Chevrolet Onix Plus registra casos de incêndio e marca pode convocar recall

Chevrolet convoca ‘recall branco’ para consertar falha na direção do Onix e Tracker
GM tem até dia 6 para se explicar no Procon devido vazamento de óleo no Onix Plus
Estagiária da Volkswagen cria novo painel para o Nivus e fatura vaga no Design Center
Volkswagen apresenta Taos de olho em tomar o lugar do Compass

Mesmo tendo alcançado elevado nível tecnológico dentro do conceito da indústria 4.0, a fábrica de São Caetano do Sul vai receber ferramentais específicos, que precisarão ser instalados e devidamente implementados para iniciar a montagem do veículo inédito. Está prevista ainda uma completa readequação no fluxo fabril do complexo, além da capacitação dos empregados.

Jipe-PCD

Câmara derruba emenda do Senado e carro PcD volta a ter limite de isenção de IPI

Deputados derrubaram emenda do Senado sobre isenção de IPI para carro PcD. Medida Provisória segue para sanção presidencial

Jipe-PCD

Thiago Ventura

Durou menos de 24 horas a vitória da categoria das pessoas com deficiência em relação a compra de carro PcD zero quilômetro. Nessa quarta-feira (23), os deputados derrubaram todas as emendas aprovadas pelos senadores sobre a Medida Provisória (MP) 1.034/2021 que onera vários setores para subsidiar o preço do óleo diesel e do gás de cozinha. O texto tem vigência imediata e segue para sanção do presidente da República.

 

Os deputados derrubaram essa proposta e restauraram o limite para concessão desse desconto. Contudo, a Câmara manteve um limite bem superior ao pretendido pelo Governo. O texto aprovado aprova isenção de IPI para carro PcD até R$ 140 mil. A proposta original do Ministério da Economia era de até R$ 70 mil. O valor arrecadado será aplicado para reduzir o preço do óleo diesel, num acendo do presidente Bolsonaro aos caminhoneiros.

Isenção de IPI vale agora para veículos até R$ 140 mil

Isenção de IPI vale agora para veículos até R$ 140 mil

Além de restaurar o limite de isenção de IPI, os deputados também reduziram o tempo mínimo para que um motorista PcD possa trocar de carro. Os senadores haviam estabelecido dois anos de prazo; prevaleceu o que os deputados aprovaram três anos o tempo mínimo para a troca do carro PcD. A restrição vale até 31 de dezembro de 2021. Outra mudança incluída pelo relator permite o uso do desconto pelas pessoas com deficiência auditiva.

 

LEIA TAMBÉM
Perrengue chique: IPVA de McLaren é R$ 136 mil mais caro em São Paulo do que no ES
IPVA deve ser pago no estado em que o veículo circula, decide STF
Sua carteira venceu? Contran divulga prazo para renovar CNH vencida na pandemia
Seguro DPVAT: motorista pode ficar isento de cobrança nos próximos dois anos

 

corolla-2016-placa-gay

Motorista tenta mudar placa ‘GAY’ de carro, mas Justiça barra o pedido

Advogado perdeu na Justiça processo que moveu contra o Detran-DF para mudar placa GAY do carro. Juiz afirma que inicial da placa não pode se caracterizar em ofensa ou chacota contra o motorista

corolla-2016-placa-gay

A 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), por unanimidade, acolheu o recurso do Departamento de Trânsito do Distrito Federal – Detran-DF e julgou improcedente o pedido de um motorista que queria obrigar o órgáo de trânsito a mudar a placa do seu carro. O autor, um advogado, alegou que a placa do seu Toyota Corolla XEI 2015/2016 com a inicial GAY lhe causava situações constrangedoras.

Em seu pedido, o advogado contou que comprou o carro registrado em São Paulo em janeiro de 2020 e providenciou sua transferência para o DF, oportunidade em que consultou o órgão sobre a possibilidade de trocar os caracteres da placa de licenciamento do carro, uma vez que a sequência de letras formava a palavra “GAY”, o que poderia lhe causar diversos constrangimentos.

Diante da negativa, fez novo questionamento formal ao Departamento Nacional de Trânsito – Denatran, que respondeu que não há previsão legal que permita a substituição dos caracteres, conforme a situação indicada pelo requerente. A única possiblidade legal é no caso de placa clonada. Como não obteve êxito na via administrativa, ajuizou ação judicial no intuito de alterar a placa de seu carro.

No processo, o autor se declarou vítima de chacota e constrangimentos de cunho homofóbico, comentários jocosos, inclusive juntou fotos de situação em que pessoa desconhecida teria ridicularizado a placa do veículo. O juiz da 1ª instância julgou procedente o pedido e condenou o Detran-DF a fornecer nova placa ao autor no prazo de 30 dias, sob multa e R$ 500. Contra a sentença, o órgão de trânsito recorreu à segunda instância, que acatou o pedido.

O colegiado esclareceu que a situação não implica em violação de direito da personalidade, que autor tinha conhecimento da placa quando adquiriu o veículo e que a legislação não permite a substituição, salvo caso de clonagem.

LEIA TAMBÉM:
CNH vencida? Saiba como renovar a carteira de motorista e o valor a ser pago
IPVA deve ser pago no estado em que o veículo circula, decide STF
Sua carteira venceu? Contran divulga prazo para renovar CNH vencida na pandemia
Seguro DPVAT: motorista pode ficar isento de cobrança nos próximos dois anos

“A exclusão dos caracteres designativos da palavra “GAY” da placa do veículo não constituem proteção contra práticas homofóbicas, como equivocadamente sustenta o recorrente. Pois não se é escondendo, mascarando a grafia associada a uma orientação sexual que se extirpa o preconceito, mas através de políticas de educação e conscientização da população”, disse o juiz João Luís Fischer Dias, relator do caso.

O magistrado ainda frisou que, ao contrário do que apontou o motorista, a alteração de placa GAY, serviria justamente para “fortalecer a discriminação, o preconceito e estigmatizar este grupo, atuando na contramão do preconizado pelo Supremo Tribunal Federal na proteção de direitos desta classe”.

Volkswagen-eDelivery-brasil

Primeiro caminhão 100% elétrico do Brasil começa a ser fabricado no RJ

Em um dia histórico para a indústria nacional, a Volkswagen Caminhões e Ônibus iniciou a produção em série do e-Delivery. Caminhão 100% elétrico é o primeiro desenvolvido e testado totalmente no Brasil

A Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO) deu início à produção em série do caminhão elétrico e-Delivery, único 100% concebido, desenvolvido, testado e aprovado em território brasileiro. Com isso, a fábrica de Resende (RJ) torna-se a primeira linha de montagem larga escala de veículos com tecnologia zero emissões. O primeiro modelo, um e-Delivery 11 toneladas 4×2, vai compor a frota da própria montadora. Os caminhões podem chegar a uma autonomia de até 200 quilômetros, de acordo com a aplicação e a configuração do veículo.

A VWCO investiu cerca de R$ 150 milhões no desenvolvimento e complexo produtivo do e-Delivery. A marca alemã construiu uma nova área dedicada exclusivamente à eletrificação: o e-Shop. O espaço também passa a abrigar a maior infraestrutura de carregadores de alta potência do Brasil, com diferentes modelos.

“Criamos um processo sob medida para assegurar uma grande estrutura elétrica de forma eficiente. Vamos produzir os veículos aproveitando ao máximo os recursos já existentes, com um alto nível de sinergia, ao mesmo tempo que garantimos a inovação que o cliente espera e que o produto exige. Todo esse avanço é acompanhando por um amplo trabalho de preparação da cadeia com os envolvidos para viabilizar a mobilidade elétrica no país”, afirma Roberto Cortes, presidente e CEO da VW Caminhões e Ônibus.

A fabricação do Volkswagen e-Delivery também se beneficia de todos os ganhos da indústria 4.0. Isso inclui um nível de automação de 60% na armação de sua cabine. Também predomina a tecnologia de reconhecimento automático do veículo, com um chip em cada veículo para programação dos robôs.

LEIA TAMBÉM!
Volkswagen oferece Virtus por assinatura mensal de R$ 2 mil
Estagiária da Volkswagen cria novo painel para o Nivus e fatura vaga no Design Center
Volkswagen Arteon eHybrid: perua e coupé híbridos começam a ser vendidos na Europa
Volkswagen apresenta Taos de olho em tomar o lugar do Compass

Linha de montagem do e-Delivery

Coração da montagem elétrica, o e-Shop é o novo espaço em que os veículos recebem as baterias e são energizados pela primeira vez para serem ligados, satisfazendo todos os mais rígidos protocolos de segurança. Antes de chegar lá, os modelos e-Delivery nascem na mesma linha de montagem dos veículos diesel.

Pela primeira vez também, a suspensão pneumática é instalada dentro da própria fábrica. No fim de todas as montagens, a marca submete o veículo a novas aprovações específicas para caminhões com alta voltagem, além dos mesmos testes de qualidade que todos os outros produtos já passam antes de serem liberados para o cliente.

Ambev: 100 unidades

Em outubro de 2020, a Ambev e a VW Caminhões e Ônibus oficializaram acordo para entrega dos 100 primeiros caminhões elétricos e-Delivery. Os modelos deverão começar o trabalho no segundo semestre de 2021. A cervejeira pretende utilizar os limpa pelas ruas de São Paulo e Rio de Janeiro. O acordo faz parte do compromisso da companhia de ter 1.600 caminhões Volkswagen elétricos na sua frota parceira até 2023, um dos maiores anúncios do tipo no mundo

Já no primeiro ano de atuação, esses 100 caminhões juntos deixarão de emitir, aproximadamente, 1.540 toneladas de CO² na atmosfera e 583 mil litros de diesel serão economizados.

O plano é que os veículos sejam recarregados em uma das 48 usinas solares que a Ambev está implementando nos seus Centros de Distribuição (CDDs) espalhados pelo Brasil.

Fiat-Pulse-2022

Pulse é o nome do inédito SUV que será fabricado em Minas

Derivado do Argo, veículo será fabricado em Betim. Fiat Pulse 2022 será lançado neste ano com motor 1.0 turbo para concorrer com Volkswagen Nivus e outros concorrentes

Fiat-Pulse-2022

Chega de mistério! Fiat Pulse é o nome escolhido pela marca italiana para seu inédito SUV compacto produzido no Brasil. O nome do carro foi escolhido através de votação popular, iniciada na final do Big Brother Brasil.

Com uma enquete na plataforma digital suv.fiat.com.br, foram apresentadas três opções: Fiat Pulse, Fiat Domo e Fiat Tuo. Logo o assunto tomou conta das redes sociais, marcando o sucesso da iniciativa ao contabilizar mais de 380 mil votos.

“Pulse é um nome fantástico, que permite inúmeras associações. Tem energia, movimento e é extremamente conectado. Ele expressa a essência e a personalidade do veículo: um SUV com a alma da Fiat, mas que, ao mesmo tempo, possui o seu próprio toque, batimento e ritmo”, afirmou Herlander Zola, diretor do Brand Fiat América do Sul e Operações Comerciais Brasil.

Fiat Pulse

O novo SUV Fiat tem design italiano com linhas robustas e marcantes. O trabalho feito pelo designer Peter Fassbender conseguiu separar bem o modelo do Fiat Argo, do qual é derivado. A novidade terá faróis faróis full LED na dianteira e lanternas em LED na traseira. A Fiat também promete acesso de equipamentos de assistência à condução autônomos.

O Fiat Pulse 2022 vai também oferecer oferecer o Fiat Connect Me, plataforma de serviços conectados, que acaba de ser lançada na nova Toro. Com isso, o modelo deverá ter central multimídia com Android Auto e Apple Car Play sem fio e vai oferecer WiFi a bordo.

O Progetto 363 utiliza uma nova plataforma veicular que será produzida em Betim. Chamada de MLA, possui a promessa de aumentar os níveis de performance, robustez e conforto dos modelos. A Fiat destaca que isso garante possibilidade de utilizar motores turbo flex e de equipamentos eletrônicos sofisticados de apoio à condução.

O carro terá o inédito motor 1.0 Turbo GSE de três cilindros. O bloco será acoplado com uma transmissão automática do tipo CVT. Os números de potência e torque não foram divulgados, mas a expectativa é que seja acima dos 130 cv para ser o 1.0 turbo mais potente do Brasil.

O Fiat Pulse também terá o motor 1.3 Firefly aspirado, que já equipa o Fiat Argo e a nova Fiat Strada. Esse motor tem até 109 cavalos de potência e poderá ser oferecido com o novo câmbio CVT ou transmissão manual de cinco marchas.

SUV Fiat em websérie

Para revelar o novo Fiat Pulse, a Stellantis criou uma plataforma digital do Progetto Fiat 363 e lançou uma websérie com cinco episódios, que foi desenvolvida em parceria com a agência Leo Burnett Tailor Made. Com diversos convidados e especialistas que trabalharam no desenvolvimento do veículo, a cada capítulo foi apresentado os bastidores do desenvolvimento de cada um dos principais pilares do novo SUV da Fiat.

A montadora revelou que o projeto demorou longos três anos, tempo em que a concorrência deitou e rolou com blocos mais modernos e potentes: Polo, Onix e HB20, dentre outros. A Fiat afirma que o bloco passou por mais de 30 mil horas de teste de bancada e promete o melhor de dois mundos: maior performance e maior eficiência.

Derivado do Fiat Argo, o modelo será um ‘SUV subcompacto’, nicho que no passado recente era destinado aos ‘aventureiros’. Brechas na legislação permitem que as montadoras homologuem esses veículos como utilitários esportivos.

Flagra divulgado pelo Carro Esporte Clube mostra o novo veículo com estranhos equipamentos, semelhantes a uma ‘máquina do tempo’. Clique aqui para conferir.

Progetto 363

Em março, a planta de Betim começou a fabricar os novos blocos para a gama Fiat e Jeep. O ‘SUV do Argo’ terá o novo motor 1.0 turbo três cilindros GSE . Nossa aposta é que o motor tenha em torno de 130 cv, para brigar de igual para igual com o 1.0 TSI da Volkswagen. Também será oferecido na versão de entrada com bloco 1.3 FireFly. A transmissão será manual de cinco marchas ou automática do tipo CVT.

Enquanto nós conseguimos foto dessa ‘Máquina do Tempo’, nossos amigos do Autos Segredos tiraram foto da dianteira, inclusive já com peças finais para produção em série. Segundo o site, o carro terá dianteira alta e faróis Full LED. Grades terão filetes horizontais inspirados no conceito Fiat Fastback. Clique aqui para ler a matéria do Autos Segredos.

Design do Projeto 363 no BBB

Além do teaser, a marca divulgou o segundo episódio da websérie exibida no BBB sobre o Progetto Fiat 363. No vídeo, a marca explora um pouco do trabalho de design para criar o SUV.https://www.youtube.com/embed/ZBzrq_bAdpc?version=3&rel=1&showsearch=0&showinfo=1&iv_load_policy=1&fs=1&hl=pt-BR&autohide=2&wmode=transparent

O episódio mostra um visita do fotógrafo e artista plástico Felipe Morozinia ao Design Center Latam, no Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG) acompanhado de Daniel Gerzson, Chief Designer de Exterior da Stellantis para a América do Sul.

“O processo de desenvolvimento do design de um carro é composto por várias etapas onde os times criativos trabalham em conjunto. Partindo do Exterior e Interior do automóvel, passando pela Modelagem, Cores e Materiais e User Experience é que se transformam ideias em um automóvel. É gratificante que o assunto tenha visibilidade em rede nacional, ainda mais vindo de uma marca como a Fiat, que é premiada neste quesito, e principalmente por trazer a emoção mundialmente conhecida do design italiano”, afirma Peter Fassbender, diretor de Design da Stellantis para a América Latina.https://www.youtube.com/embed/jbKvWspXAMg?version=3&rel=1&showsearch=0&showinfo=1&iv_load_policy=1&fs=1&hl=pt-BR&autohide=2&wmode=transparent

LEIA TAMBÉM:
Em primeira mão: FCA começa a fabricar motores turbo em outubro e Projeto 363 chega em 2021
Fiat Strada 2021: nova geração da picape-compacta chega por R$ 63,5 mil
Fiat Strada vende mais que carro de passeio e fecha agosto na vice-liderança
Por R$ 92 mil, Fiat Strada 2021 ganha série limitada Opening Edition

Carro-PcD-Isenção-de-IPI

Senado amplia até 2016 isenção de IPI para veículos PcD e taxistas

Projeto aprovado estende até 2026 a isenção de IPI para carro PcD e motoristas que fazem transporte autônomo de passageiros. Legislação amplia isenção para acessórios do veículo de deficiente

Carro-PcD-Isenção-de-IPI

Foi aprovada nessa quinta-feira (27) a prorrogação, até 2026, da vigência da isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na compra de Carros PcD (Pessoas com deficiência) e também por motoristas que fazem o transporte autônomo de passageiros. A matéria segue para análise da Câmara dos Deputados. Da senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), o Projeto de lei (PL 5.149/2020) foi aprovado na forma de um substitutivo do relator, o senador Romário (PL-RJ).

O texto já havia sido discutido em Plenário esta semana e houve vários senadores defenderam o aumento do limite do valor do automóvel com direito ao benefício fiscal. Atualmente, só são aceitos carros PcD até o valor de R$ 70 mil, de acordo com a MP 1.034/2021. Romário concorda que esse valor deve ser reajustado, mas não na matéria aprovada nesta quinta. Por isso, rejeitou as emendas sobre o assunto.

LEIA MAIS:
FCA suspende vendas do Jeep Renegade PCD e cliente terá que pagar R$ 10 mil a mais no SUV

” Após as frutíferas discussões em Plenário e do consenso estabelecido entre os senadores que defendem a bandeira das pessoas com deficiência, estou convencido da relevância do debate em relação à definição do valor do automóvel com direito ao benefício fiscal, mas essa questão deve ser conduzida na MP 1.034, de 2021″, disse Romário.

O substitutivo aprovado estendeu a isenção às pessoas com deficiência auditiva. Pela regra atual, além dos taxistas, a lei contempla as pessoas com deficiência física, visual, mental severa ou profunda, ou autistas, diretamente ou por intermédio de seu representante legal.  O benefício fiscal terminará ao fim de 2021, mas o projeto prorroga a isenção do IPI até o fim de 2026.

Critérios carro PcD

Atualmente, a legislação contém um parâmetro para considerar a deficiência visual e estabelece que a Secretaria Especial dos Direitos Humanos juntamente com o Ministério da Saúde definam os outros critérios em ato conjunto.

Mas o texto aprovado pelo Senado determina como critério objetivo que uma pessoa com deficiência é “aquela com impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial que, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas”.

LEIA TAMBÉM
Perrengue chique: IPVA de McLaren é R$ 136 mil mais caro em São Paulo do que no ES
IPVA deve ser pago no estado em que o veículo circula, decide STF
Sua carteira venceu? Contran divulga prazo para renovar CNH vencida na pandemia
Seguro DPVAT: motorista pode ficar isento de cobrança nos próximos dois anos

Para a concessão do benefício, será necessária avaliação biopsicossocial feita por equipe multidisciplinar, prevista no Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146, de 2015). Essa avaliação considera os impedimentos nas funções e nas estruturas do corpo, os fatores socioambientais, psicológicos e pessoais; a limitação no desempenho de atividades; e a restrição de participação.

No entanto, essa avaliação biopsicossocial não será necessária para concessão do benefício enquanto não houver a regulamentação da medida pela Lei 13.146, de 2015. Dessa forma, no período de transição, ficam mantidas as exigências vigentes.

Isenção 

Pela Lei 8.989, de 1995, têm isenção do IPI os automóveis de passageiros de fabricação nacional, equipados com motor de cilindrada não superior a 2.000 cm³, de, no mínimo, quatro portas, movidos a combustível de origem renovável, sistema reversível de combustão ou híbrido e elétricos, quando adquiridos por motoristas profissionais e cooperativas que trabalhem com transporte autônomo de passageiros, além de pessoas com deficiência.

Pela legislação vigente, os acessórios opcionais do carro PcD não são isentos de IPI. Mas o substitutivo aprovado garante a isenção sobre acessórios opcionais utilizados para a adaptação do veículo ao uso por pessoa com deficiência.

Outras emendas 

Romário rejeitou as emendas que diminuiriam o tempo para possibilidade de troca do veículo, aumentariam o tempo de duração da vigência da lei, e estabeleceriam tempo mínimo de cadastro em plataforma para obter direito ao IPI. “São todas meritórias, mas merecem estudo mais detalhado, incluindo estimativas de custo e medidas de compensação exigidas pela LDO 2021 e pela LRF”, concluiu o baixinho no parecer.

O senador acatou somente a uma emenda do senador Flávio Arns (Podemos-PR) para atualizar a terminologia de “pessoas portadoras de deficiência” para “pessoas com deficiência”, conforme a Lei Brasileira de Inclusão (Lei 10.356, de 2015). As outras reivindicações nessa emenda também foram aceitas (a necessidade de avaliação biopsicossocial para a concessão do benefício e contemplação das pessoas com deficiência auditiva). (Fonte: Redação e Agência Senado)

Chevrolet-tracker-fabrica

GM paralisa produção em São Caetano por falta de peças e para produzir nova picape

Planta de São Caetano do Sul interrompe produção devido falta de peças e para adequar linha de montagem para a nova Chevrolet Montana. Paralisação de seis semanas vai atrasar entrega de Tracker e Spin
Chevrolet-tracker-fabrica


A fábrica da General Motors (GM) em São Caetano do Sul interrompe completamente suas atividades por seis semanas, informou a empresa nessa terça-feira (25). Segundo a marca, os motivos são a falta de peças e também a readequação da linha de montagem para a produção da nova picape Chevrolet Montana. Com essa pausa, as entregas de produtos como o Tracker e o Spin vão atrasar.

A paralisação na GM em 21 de junho para todos os trabalhadores, com retorno previsto para 2 de agosto. Mas já na próxima segunda-feira (1º), o turno noturno vai interromper a produção, mantendo apenas funilaria e pintura. Segundo o Estadão, a marca americana alegou dificuldades de conseguir peças e vai tomar as medidas para tentar manter empregos. Neste mês, a marca anunciou que vai fabricar uma inédita picape no Brasil, parte do plano de investimentos de R$ 10 bilhões no Brasil.

https://www.youtube.com/watch?v=pOJ5ShFlsts

A falta de peças tem prejudicado bastante a Chevrolet, que vem caindo nas vendas. A planta de Gravataí (RS), aonde são fabricados o Chevrolet Onix e Onix Plus ainda está com paralisação devido falta de peças, em especial semi-condutores. A volta completa das atividades no local deve acontecer em 19 de julho. (Redação com informações do Estadão)

A planta da General Motors em São Caetano do Sul é responsável atualmente pela produção do Chevrolet Tracker, Chevrolet Spin, Chevrolet Joy e Joy Plus. A linha de montagem completou 90 anos em agosto de 2020 e já produziu veículos como o Chevrolet Opala.

LEIA TAMBÉM:
VÍDEO: Chevrolet Onix RS 2021 é esportivo no visual; veja em detalhes
Recém lançado, Chevrolet Onix Plus registra casos de incêndio e marca pode convocar recall

Chevrolet convoca ‘recall branco’ para consertar falha na direção do Onix e Tracker

Fábrica da GM em São Caetano do Sul no presente e no passado

Fábrica da GM em São Caetano do Sul no presente e no passado